terça-feira, fevereiro 12, 2008

TIMOR-LESTE: Curfew in Dili after attacks on premier, president

DILI, 11 February 2008 (IRIN) - A 48-hour state of emergency and curfew have been imposed in Dili after this morning’s attacks on the prime minister, who escaped uninjured, and the president, who is undergoing medical treatment in Australia.

The attacks on President Jose Ramos-Horta and an hour later on Prime Minister Xanana Gusmao have left the country questioning whether stability and security, deemed by senior UN officials to have been reasonably good recently, can be maintained.

In a late afternoon press conference in Dili, Finn Reske-Nielsen, acting special representative for the UN Secretary-General, said the UN deplored the attacks.

“Over the course of the day, the UN has been in a series of high-level meetings with the government of Timor-Leste, the International Security Forces [ISF] and the F-FDTL [defence force] and simultaneously the police are investigating the events,” Reske-Nielsen said.

During the attacks, the fugitive former military police commander, Alfredo Reinado, and one of his comrades were killed.

According to Reske-Nielsen, the UN Police (UNPol) is on a high state of alert and is coordinating with the ISF and the Timorese authorities: Meetings had been held to ensure a coordinated response to the incident.

He also said road blocks had been set up on roads leading out of Dili, and police were searching cars in an attempt to capture those responsible for the attacks. No one had been arrested, he said.

Prime minister blames “petitioners”

"[Prime Minister Xanana Gusmao] has certainly taken control of the situation in his capacity as prime minister and the powers of the president have been moved on in the accordance with the constitution. So I think as far as the functioning of the state institutions things are progressing as we would expect them to do," Reske-Nielsen said.

Gusmao himself has blamed some of the “petitioners” - the nearly 600 disgruntled defence force troops dismissed in 2006. “I called upon all the `petitioners’ to solve their problems, but some `petitioners’ have responded with bullets,” he said, adding: “This can be considered a strong action against the nation, not just against myself or the president.”



In a statement from UN headquarters in New York, the UN Secretary-General said he “condemned in the strongest possible terms these unacceptable attacks on the legitimate institutions of the state and called on the Timorese people to remain calm and refrain from all violent acts.”

With some 30,000 displaced people still living in camps in Dili that are becoming increasingly politicised with the passage of time, some concern was raised at the UN press conference that today’s events may lead to unrest in some of the camps and other sensitive locations in the city.

“All I can say at this point in time is that a lot of effort has gone in to strengthening security in Dili and elsewhere,” Reske-Nielsen said. “But these are difficult details to share as we need them to be effective... The necessary operational measures have been taken and we expect all of this to be in place by nightfall.”

sm/bj/cb

[ENDS]

Tradução:

TIMOR-LESTE: Recolher obrigatório em Dili depois de ataques contra o primeiro-ministro, presidente

DILI, 11 Fevereiro 2008 (IRIN) - Foram impostos o estado de sítio de 48 horas e o recolher obrigatório em Dili depois dos ataques deste manhã ao primeiro-ministro, que escapou incólume, e o presidente, que está a ter tratamento médico na Austrália.

Os ataques ao Presidente José Ramos-Horta e uma hora mais tarde ao Primeiro-Ministro Xanana Gusmão deixaram o país a questionar se a estabilidade e a segurança recentemente consideradas por funcionários de topo da ONU serem razoavelmente boas, podem ser mantidas.

Numa conferência de imprensa no fim da tarde em Dili, Finn Reske-Nielsen, representante especial em exercício do Secretário-Geral da ONU, disse que deplorava os ataques.

“No decurso do dia a ONU esteve numa série de encontros de alto nível com o governo de Timor-Leste, as Forças Internacionais de Segurança [ISF] e as F-FDTL [força de defesa] e simultâneamente a polícia está a investigar os eventos,” disse Reske-Nielsen.

Durante os ataques, o foragido antigo comandante da polícia militar, Alfredo Reinado, e um dos seus camaradas foram mortos.

De acordo com Reske-Nielsen, a polícia da ONU (UNPol) está em alto estado de alerta e em coordenação com as ISF e as autoridades Timorenses: realizaram-se encontros para assegurar a resposta coordenada ao incidente.

Disse ainda que tinham sido montados bloqueios nas estradas em direcção a Dili, e a polícia está a revistar os carros numa tentativa de capturar os responsáveis pelos ataques. Ninguém tinha sido preso, disse.

Primeiro-ministro acusa os “peticionários”

"[O Primeiro-Ministro Xanana Gusmão] tomou com certeza o controlo da situação na sua qualidade de primeiro-ministro e os poderes do presidente foram transferidos de acordo com a constituição. Assim penso que no que respeita o funcionamento das instituições do Estado as coisas estão a progredir como se podia esperar," disse Reske-Nielsen.

O próprio Gusmão tem acusado alguns dos “peticionários” - os quase 600 solddos decepcionados demitidos em 2006. “Chamei todos os `peticionários’ para resolver os problemas deles, mas alguns dos `peticionários’ responderam com balas,” disse, acrescentando: “Isto pode ser considerado uma acção forte contra a nação, não apenas contra mim ou o presidente.”



Numa declaração da sede da ONU em Nova Iorque, o Secretário-Geral da ONU disse que ele “condenava nos termos mais fortes possíveis esses ataques inaceitáveis sobre as instituições legítimas do Estado e pediu aos Timorenses para se manterem calmas e absterem-se de todos os actos violentos.”

Com cerca de 30,000 deslocados a viverem ainda em campos em Dili que se estão a tornar cada vez mais politicizados com a passagem do tempo, algumas preocupações foram levantadas na conferência de imprensa da ONU que os eventos de hoje podem levar ao desassossego nalguns dos campos e noutros locais sensíveis na cidade.

“Tudo o que posso dizer nesta altura é que muitos esforços foram postos para reforçar a segurança em Dili e noutros lugares,” disse Reske-Nielsen. “Mas há detalhes difíceis de partilhar dado que precisamos que sejam eficazes... As necessárias medidas operacionais foram tomadas e esperamos que tudo esteja no lugar pelo cair do dia.”

sm/bj/cb


[FIM]

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
TIMOR-LESTE: Recolher obrigatório em Dili depois de ataques contra o primeiro-ministro, presidente

DILI, 11 Fevereiro 2008 (IRIN) - Foram impostos o estado de sítio de 48 horas e o recolher obrigatório em Dili depois dos ataques deste manhã ao primeiro-ministro, que escapou incólume, e o presidente, que está a ter tratamento médico na Austrália.

Os ataques ao Presidente José Ramos-Horta e uma hora mais tarde ao Primeiro-Ministro Xanana Gusmão deixaram o país a questionar se a estabilidade e a segurança recentemente consideradas por funcionários de topo da ONU serem razoavelmente boas, podem ser mantidas.

Numa conferência de imprensa no fim da tarde em Dili, Finn Reske-Nielsen, representante especial em exercício do Secretário-Geral da ONU, disse que deplorava os ataques.

“No decurso do dia a ONU esteve numa série de encontros de alto nível com o governo de Timor-Leste, as Forças Internacionais de Segurança [ISF] e as F-FDTL [força de defesa] e simultâneamente a polícia está a investigar os eventos,” disse Reske-Nielsen.

Durante os ataques, o foragido antigo comandante da polícia militar, Alfredo Reinado, e um dos seus camaradas foram mortos.

De acordo com Reske-Nielsen, a polícia da ONU (UNPol) está em alto estado de alerta e em coordenação com as ISF e as autoridades Timorenses: realizaram-se encontros para assegurar a resposta coordenada ao incidente.

Disse ainda que tinham sido montados bloqueios nas estradas em direcção a Dili, e a polícia está a revistar os carros numa tentativa de capturar os responsáveis pelos ataques. Ninguém tinha sido preso, disse.

Primeiro-ministro acusa os “peticionários”

"[O Primeiro-Ministro Xanana Gusmão] tomou com certeza o controlo da situação na sua qualidade de primeiro-ministro e os poderes do presidente foram transferidos de acordo com a constituição. Assim penso que no que respeita o funcionamento das instituições do Estado as coisas estão a progredir como se podia esperar," disse Reske-Nielsen.

O próprio Gusmão tem acusado alguns dos “peticionários” - os quase 600 solddos decepcionados demitidos em 2006. “Chamei todos os `peticionários’ para resolver os problemas deles, mas alguns dos `peticionários’ responderam com balas,” disse, acrescentando: “Isto pode ser considerado uma acção forte contra a nação, não apenas contra mim ou o presidente.”



Numa declaração da sede da ONU em Nova Iorque, o Secretário-Geral da ONU disse que ele “condenava nos termos mais fortes possíveis esses ataques inaceitáveis sobre as instituições legítimas do Estado e pediu aos Timorenses para se manterem calmas e absterem-se de todos os actos violentos.”

Com cerca de 30,000 deslocados a viverem ainda em campos em Dili que se estão a tornar cada vez mais politicizados com a passagem do tempo, algumas preocupações foram levantadas na conferência de imprensa da ONU que os eventos de hoje podem levar ao desassossego nalguns dos campos e noutros locais sensíveis na cidade.

“Tudo o que posso dizer nesta altura é que muitos esforços foram postos para reforçar a segurança em Dili e noutros lugares,” disse Reske-Nielsen. “Mas há detalhes difíceis de partilhar dado que precisamos que sejam eficazes... As necessárias medidas operacionais foram tomadas e esperamos que tudo esteja no lugar pelo cair do dia.”

sm/bj/cb


[FIM]

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.