quinta-feira, maio 08, 2008

Exposição sobre o “Padre António Vieira”

O Instituto Camões (IC), o Centro Juvenil Pe. António Vieira (CJPV) e o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), em Díli têm o prazer de convidar V. Excia para a inauguração da Exposição “Padre António Vieira” da autoria de Pedro Cardim (Universidade Nova de Lisboa), que terá lugar na sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008, pelas 16h30, no Centro Juvenil Padre António Vieira, Taibessi- Díli.

A Exposição estará patente ao público até ao dia 25 de Maio.

Com a prestimosa colaboração da Embaixada do Brasil e da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e (UNTL).

UNMIT Daily Media Review - 8 May 2008


(International news reports and extracts from national media. UNMIT does not vouch for the accuracy of these reports)

Hunger threatens Timorese people – Suara Timor Lorosa’e

With the price of food going up, Timorese people are now facing the threat of food shortages. This year, farm products such as corn and rice did not yield a harvest as crops have been destroyed by too much rain. Also oil prices are increasing drastically in all over the world.

All food prices in Timor Leste have increased. A 38 kg sack of rice that used cost $18 USD in the previous times now sells for $25 USD. Most people cannot afford to buy the rice even though there the amount of rice for sale in the market is limited.

How this can be dealt by the Government, with all other stakeholders, as it is a serious problem in this nation. There is a need to control the price of the all items that are being circulated within the nation; otherwise people will face big problems regarding the food shortages.

Public transportation has been on strike for two days due to the oil prices that are being increased drastically. It has become a major problem for most people and students as they carry out their daily activities. Most classes are empty due to the limited public transportation.

TMR: one of the rebels is still hiding two guns – Suara Timor Lorosa’e

F-FDTL Brigadier General Taur Matan Ruak said that one of Salsinha and Alfredo’s associates is still hiding two guns, and the Apprehension Operation forces are searching for him.

“The name of the person is still in not determined. Regarding the two guns, the Apprehension Operation forces are still seeking him,” said Taur Matan Ruak to the journalists after a meeting with the PR Ramos-Horta on Wednesday (7/5) at the President Office in Farol, Dili.

Meanwhile TMR was asked about the recruitment of new F-FDTL members. He said that only 300 people will be recruited in July and August this year. The biggest priority is to recruit people who have a degree certificate and are 30 years old.

PR Horta visits Petitioners in Aitarak Laran – Suara Timor Lorosa’e

President Ramos-Horta visited the petitioners who are staying in Aitarak Laran cantonment on Wednesday (7/5). During the visit, the President said that he considers the problem of the petitioners as a national problem as it has affected the nation’s stability, institution of the F-FDTL, and all the reconciliation process.

President Ramos-Horta said that he not able to make a miracle to immediately solve the petitioners’ problem as his brain is not same as a scientist.

“I have been given a life by God but only a little knowledge. Therefore, I will not be able to make a miracle for the petitioners’ problem. But with my patience I will work together with the Government, MPs, and civil society to solve the problems and strengthen peace in Timor Leste,” said PR Ramos-Horta on Wednesday (7/5) at the Petitioners’ cantonment in Aitarak Laran, Dili.

Anticipated election will make people suffer and die – Suara Timor Lorosa’e

PNT MP Alianca de Araujo said that the anticipated election will create suffering for the people. She asked the ASDT party to not set people against each other.

“I ask all the leaders to not play with the people’s lives. If you are going to play with the people’s lives, you are going to lead these people suffering and death,” she said on Wednesday (&/5) at National Parliament.

She added that the anticipated election will create another crisis in Timor Leste because it is not embraced by the people themselves but rather by those who seek seats or position. It does not necessary mean it will prevent the people from suffering and death.

Xavier wants to kiss Fretilin’s feet: ASDT wants Fretilin to rule: – Timor Post

ASDT, which joined with CNRT, PD and PSD to create the Alliance of Majority in Parliament to form the AMP Government, has signed an accord with Fretilin and wants Fretilin to rule.

A strategic framework was signed officially be the high level leaders of ASDT and Fretilin yesterday (7/5) which aims to develop the people and nation of Timor-Leste.

After signing the accord, President ASDT Francisco Xavier do Amaral stated that ASDT wants to leave the AMP as the AMP has been living a good life while the people suffer.

“The AMP Government is using petroleum funds to go around by aeroplane, buy good foodstuff, and sleep in good hotel and has abandoned its people.

Before I had disagreements with Fretilin and did not want to join them. But now I am looking forward to it and want to save the nation.

Whatever [the beast] Fretilin was, now I can kiss its feet to help me save the nation,” said Mr. Xavier on Wednesday (7/5).

Mr. Xavier also said that signing the accord with Fretilin does not mean that his party is leaving AMP. But there is no guarantee that they will stay with AMP if the political attitude of the AMP leadership is not changed.

“I declare that I am still in AMP but in preparation. If AMP modifies its attitudes, then I will maintain my position with it. I may join with Fretilin or other parties to save the nation,” added Uncle Xavier.

Separately, Fretilin President Francisco Guterres Lu-Olo said that the two parties [Fretilin-ASDT] signed the accord to reaffirm themselves in this democratic state as they come from the same root.

“AMP should be aware of recent political movement and change their attitudes.The Government who rules should at least have a program that is focused in each ministry and not be preoccupied with international junkets,” said Fretilin President Lu-Olo.

ASDT and Fretilin agreed that the grand inclusive government to be established will be led by Fretilin in only two years from now.

The two parties have a coalition and established a grand inclusive government to solve the petitioners’ problem, create better conditions for the IDPs, reform security and defence sectors, reform public administration, and establish a high authority for good governance.

In the Accord of May 1 it also stated that the parties will normalize the functions of State institutions, be open to other parties who have no bench in the Parliament, and defend the establishment of international commission of inquiry to investigate the attacks of February 11, and defend the realization of early legislative elections.

Fretilin, not a good party to have coalition with – Timor Post

ASDT MPs in the National Parliament said that even though the leaders of their party have signed an agreement with Fretilin, they will continue to maintain their position in the Parliament.

ASDT MPs said that Fretilin is not a good model of a party with which to have coalition as it has a history of lack of good governance and has no good relations with other political parties.

“It really happened. For instance, on the 23 of April last, Fretilin President Lu-Olo insulted ASDT. IT is for me better to stand alone than have a coalition with Fretilin. This is a matter of principle. I do not agree with this position,” said ASDT MP Joao Manuel Carrascalão.

Mr. Carrascalão said that even though his party’s president has signed the accord with Fretilin he himself and four ASDT MPs in the National Parliament will continue give their supports to AMP.

LDP: asking Fretilin-ASDT not to try hard for political appointments – Timor Post

The leaders of Progressive Democratic League (LDP) and Millennium Democratic Party President Hermenegildo Kupa hoped that the accord signed between ASDT-Fretilin will bring address the interests of the people and not only gain political appointments.

Mr. Kupa said that he did not see negative aspects of signing agreement between ASDT-Fretilin and it is normal to happen.

“This is a sign for AMP to be more serious and make real what has been promised to people.

The step taken by ASDT-Fretilin might be the next phase of reconciliation or political dialogue. Now we are waiting for results that might favour the needs of the people,” said Mr. Kupa on Wednesday (7/5) in Hotel Timor, Dili.

Mr. Kupa also said it is important now for AMP and Fretilin to have a political dialogue to achieve common points of view in the national interest.

“If it is only dominated by the party’s interest, then this might be negative and not deserving.

We continue to suggest AMP to have a dialogue with Fretilin to have mutual understanding of their differences,” added Mr. Kupa.

The President of Social Democratic Party Mario Viegas Carrascalão stated that ASDT once had a coalition with his party and now with Fretilin. PSD maintains its position to support AMP.

“PSD has no intention to follow the example of ASDT because still have no reason to leave AMP,” said Mr. Carrascalao.

Mr. Carrascalao also said that PSD will continue together AMP to give warnings on what programs are not well implemented.

Ed: Is the ASDT-Fretilin’s accord a threat to AMP? – Timor Post

At last, Fretilin's struggle to have dialogue with political parties, especially those who are in AMP, has yielded positive results, results that give rise to hope for future governance.

Fretilin and ASDT signed an accord to make a coalition to establish a new government in the early elections of 2009 or 2012 elections. The political target of these parties seems to be good and is balanced because the two parties depend on the elections of 2009 and 2012.

Do not surprised at the signing of the accord the last week.

The decision made by the parties is for the future. It does not affect ASDT’s five MPs in the Parliament to continue support AMP. We should congratulate them.

If Fretilin wants to rock AMP, Fretilin should try hard with the political parties who have no bench in the Parliament, including parties outside of AMP in the parliament, to support them. If not then, then the dream to crack down on AMP will not realized until the 2012 elections. And if Fretilin gains victory in 2012 then all of their political plans for the nation may be implemented, not now. Just wait …!!!

Taur Matan Ruak: all will compete in the F-FDTL recruitment – Diario Nacional

The Commander of Defence Forces of Timor-Leste (F-FDTL) Brigadier General Taur Matan Ruak said that the recruitment for the new members of F-FDTL in the next month will allow all qualified people to compete.

Commander Matan Ruak said that the petitioners who are going to return to F-FDTL will also compete with the other candidates during the recruitment process.

“I still have no list as there are two groups of the petitioners. One is going back to F-FDTL and the other one is going to leave F-FDTL. The competition will be tough. Previously we had 12,000-15,000 candidates to compete for only 260 posts we wanted to fill at that time,” said Commander Taur Matan Ruak on Wednesday (7/5) in the Palace of the President, Dili.

Ed: The New Government …!!! – Diario Nacional

ASDT President Francisco Xavier Amaral with his Acting Secretary-General Francisco Gomes signed an accord for a coalition with Fretilin President Francisco Lu-Olo and Fretilin’s Secretary-General Mari Alkatiri on May 1 which aims to establish a new government in the near future.

The event is a threat for AMP as ASDT is one of the members of AMP. This might weaken AMP in the Parliament. It is a feather in the opposition's heat to take down the Government. If Fretilin succeeds in convincing PUN and UNDERTIM to join them, then Fretilin will have simple majority with 33 seats and may form a new government.

It is a normal thing in the world of democracy when these political games happen. But we should also be realistic about the recent atmosphere in the country.

What we have to consider is if there will be new crisis, and new IDPs because of the competition between the leaders. We still do not know whether ASDT has left AMP or not. Not yet, because ASDT President Xavier said that they have signed the accord but they are still a member of AMP. Will this last for five years or not?

The President of Democratic Party, also the President of the National Parliament Fernando Lasama, said that even though ASDT is stepping down from AMP, AMP will not be shaken. Just wait.



UNMIT Revista Diária dos Media - 8 Maio 2008


(Relatos de notícias internacionais e extractos de media nacionais. UNMIT não garante a correcção destes relatos)

A fome ameaça o povo Timorense – Suara Timor Lorosa’e

Com o preço da alimentação a subir, o povo Timorense está agora a enfrentar carências alimentares. Este ano, produções agrícolas como milho e arroz não tiveram colheita dado que as produções foram destruídas por demasiada chuva. Também os preços do petróleo estão a subir drasticamente em todo o mundo.

Todos os preços de alimentos aumentaram em Timor-Leste. Um saco de arroz de 38 kg que costumava custar $18 USD nos anos anteriores vende-se agora por $25 USD. A maioria das pessoas não consegue comprar o arroz mesmo apesar da quantidade de arroz à venda no mercado estar limitada.

Como é que isto pode ser resolvido pelo Governo, com todas as outras partes, dado que é um problema sério nesta nação. Há a necessidade de controlar o preço de todos os bens que estão a circular na nação; de outro modo o povo enfrentará grandes problemas no que diz respeito a carências alimentares.

Os transportes públicos estão em greve durante dois dias devido ao preço do petróleo que está a aumentar drasticamente. Isto tornou-se um grande problema para a maior parte das pessoas e estudantes para desenvolverem as suas actividades diárias. A maioria das classes estão vazias devido à limitação dos transportes públicos.

TMR: um dos amotinados ainda tem duas armas escondidas – Suara Timor Lorosa’e

O Brigadeiro General das F-FDTL Taur Matan Ruak disse que um dos associados de Salsinha e Alfredo esconde ainda duas armas, e as forças da Operação Apreensão andam à procura dele.

“O nome da pessoa ainda não está determinada. Sobre as duas armas, as forças da Operação Apreensão estão ainda a procurá-las,” disse Taur Matan Ruak para os jornalistas depois dum encontro com o PR Ramos-Horta na Quarta-feira (7/5) no Gabinete do Presidente em Farol, Dili.

Entretanto foi perguntado a TMR sobre o novo recrutamento para os novos membros das F-FDTL. Disse que apenas 300 pessoas serão recrutadas em Julho e Agosto deste ano. A maior prioridade será recrutar pessoas que tenham um grau académico e 30 anos de idade.

PR Horta visita peticionários em Aitarak Laran – Suara Timor Lorosa’e

O Presidente Ramos-Horta visitou os peticionários que estão acantonados em Aitarak Laran na Quarta-feira (7/5). Durante a visita, o Presidente disse que considera o problema dos peticionários como um problema nacional dado que afectou a estabilidade da nação, a instituição das F-FDTL, e todo o processo de reconciliação.

O Presidente Ramos-Horta disse que não é capaz de fazer um milagre e de resolver imediatamente o problema dos peticionários dado que o seu cérebro não é igual ao de um cientista.

“Deus deu-me a vida mas apenas um pouco de conhecimento. Por isso, não serei capaz de fazer um milagre para o problema dos peticionários. Mas com paciência trabalharei junto com o Governo, deputados e sociedade civil para resolver os problemas e reforçar a paz em Timor-Leste,” disse o PR Ramos-Horta na Quarta-feira (7/5) no acantonamento dos peticionários em Aitarak Laran, Dili.

Eleições antecipadas farão as pessoas sofrer e morrer – Suara Timor Lorosa’e

A deputada do PNT Alianca de Araújo disse que as eleições antecipadas criarão sofrimento ao povo. Pediu ao partido ASDT para não pôr umas pessoas contra outras.

“Peço a todos os líderes para não brincarem com as vidas das pessoas. Se forem brincar com as vidas das pessoas, vão levar essas pessoas ao sofrimento e morte,” disse ela na Quarta-feira (6/5) no Parlamento Nacional.

Acrescentou que as eleições antecipadas criarão outra crise em Timor-Leste porque não é abraçada pelo próprio povo mas pelos que procuram lugares ou posição. Isso não significa necessariamente que evitará sofrimento e morte ao povo.

Xavier ques beijar os pés da Fretilin: a ASDT quer que a Fretilin governe: – Timor Post

A ASDT, que se juntou com o CNRT, PD e PSD para criar a Aliança da Maioria no Parlamento para formar o Governo da AMP assinou um acordo com a Fretilin e quer que a Fretilin governe.

Uma moldura estratégica foi assinada oficialmente pelos líderes de topo da ASDT e Fretilin ontem (7/5) que visa desenvolver o povo e a nação de Timor-Leste.

Depois de assinar o acordo, o Presidente da ASDT Francisco Xavier do Amaral afirmou que a ASDT quer sair da AMP dado que a AMP tem andado numa boa vida enquanto o povo sofre.

“O Governo AMP está a usar o fundo do petróleo para andar a passear de avião, comprar boa comida e dormir em bons hoteis e abandonou o seu povo.

Antes, eu tinha desacordos com a Fretilin e não me quis juntar a eles. Mas agora estou desejoso disso e quero salvar a nação.

Fosse qual fosse [o animal] que a Fretilin foi, agora posso beijar os seus pés por me ajudar a salvar a nação,” disse o Sr. Xavier na Quarta-feira (7/5).

O Sr. Xavier disse ainda que assinar o acordo com a Fretilin não significa que o seu partido está a sair da AMP. Mas não há nenhuma garantia que fiquem com a AMP se a atitude política da liderança da AMP não mudar.

“Declaro que ainda estou na AMP mas em preparação. Se a AMP modificar as suas atitudes, então manterei a minha posição nisso. Posso juntar-me à Fretilin ou a outros partidos para salvar a nação,” acrescentou o Tio Xavier.

Em separado,o Presidente da Fretilin Francisco Guterres Lu-Olo disse que os dois partidos [Fretilin-ASDT] assinaram um acordo para se reafirmarem eles próprios neste Estado democrático dado que vieram da mesma raíz.

“A AMP deve estar consciente do recente movimento político e mudar as suas atitudes. O Governo no poder devia ao menos ter um programa que estivesse focado em cada ministério e não estar preocupado com passeatas internacionais,” disse o Presidente da Fretilin Lu-Olo.

A ASDT e a Fretilin acordaram que deve ser estabelecido um governo de grande inclusão liderado pela Fretilin em apenas dois anos a partir de agora.

Os dois partidos têm uma coligação e estabeleceram um governo de grande inclusão para resolver o problema dos peticionários criar melhores condições para os deslocados, reformar o sector da segurança e da defesa, reformar a administração pública, e estabelecer uma alta autoridade para a boa governação.

No Acordo de 1 de Maio afirma-se também que os partidos normalizarão as funções das instituições do Estado, estarão abertos aos outros partidos que não têm assentos no Parlamento, e defende o estabelecimento da comissão internacional de inquérito para investigar os ataques de 11 de Fevereiro, e defende a realização de eleições antecipadas legislativas.

A Fretilin, não é um bom partido para se ter coligação – Timor Post

Deputados da ASDT no Parlamento Nacional disse que mesmo apesar dos líderes do seu partido terem assinado um acordo com a Fretilin, continuarão a manter a sua posição no Parlamento.

Deputados da ASDT disseram que a Fretilin não é um bom modelo dum partido com quem se tenha coligação dado que tem uma história de falta de boa governação e não tem boas relações com outros partidos políticos.

“Isso aconteceu realmente. Por exemplo, em 23 de Abril passado, o Presidente da Fretilin Lu-Olo insultou a ASDT. É melhor para mim ficar sozinho do que ter uma coligação com a Fretilin. Isto é uma questão de princípio. Não concordo com esta posição,” disse o deputado da ASDT João Manuel Carrascalão.

O Sr. Carrascalão disse que mesmo apesar do presidente do seu partido ter assinado o acordo com a Fretilin ele próprio e quatro deputados da ASDT no Parlamento Nacional continuarão a dar apoio à AMP.

LDP: pedindo à Fretilin-ASDT para não tentar por nomeação políticas – Timor Post

Os líderes da Liga Democrática Progressivae (LDP) e Partido Democrático Millennium Presidente Hermenegildo Kupa esperam que o acordo assinado entre ASDT-Fretilin responderá aos interesses do povo e não apenas ganhem nomeações políticas.

O Sr. Kupa disse que não niu aspectos negativos na assinatura do acordo entre ASDT-Fretilin e que isso é normal acontecer.

“Isto é um sinal para a AMP ser mais séria e tornar real o que foi prometido ao povo.

O passo dado pelas ASDT-Fretilin pode ser a próxima fase da reconciliação ou diálogo político. Agora estamos à espera de resultados que possam favorecer as necessidades do povo,” disse o Sr. Kupa na Quarta-feira (7/5) no Hotel Timor, Dili.

O Sr. Kupa disse também que é importante agora para a AMP e Fretilin terem diálogo político para alcançar pontos de vista comuns no interesse nacional.

“Se isso é apenas dominado por interesses do partido, então isso pode ser negativo e não merecedor.

Continuamos a sugerir à AMP para ter um diálogo com a Fretilin para terem entendimento mútuo das suas diferenças,” acrescentou o Sr. Kupa.

O Presidente do Partido Social Democrático Mário Viegas Carrascalão afirmou que a ASDT antes teve uma coligação com o seu partido e tem agora com a Fretilin. O PSD mantém a sua posição de apoiar a AMP.

“O PSD não tem intenção de seguir o exemplo da ASDT porque não tem ainda razão para deixar a AMP,” disse o Sr. Carrascalão.

O Sr. Carrascalão disse também que o PSD continuará junto da AMP para dar avisos sobre que programas não são bem implementados.

Ed: É o acordo ASDT-Fretilin uma ameaça para a AMP? – Timor Post

Por fim, a luta da Fretilin de ter diálogo com partidos políticos, especialmente aqueles que estão na AMP, teve resultados positivos, resultados que aumentam a esperança para o governo futuro.

A Fretilin e a ASDT assinaram um acordo para fazer uma coligação para estabelecer um novo governo nas eleições antecipadas de 2009 ou nas eleições de 2012. O objectivo político destes partidos parece ser bom e está equilibrado porque os dois partidos dependem das eleições de 2009 e 2012.

Não é surpresa a assinatura do acordo da semana passada.

A decisão tomada pelos partidos é para o futuro. Não afecta os cinco deputados da ASDT no Parlamento para continuar a apoiar a AMP. Devemos dar-lhes os parabéns.

Se a Fretilin quer balançar a AMP, a Fretilin deve tentar forte com os partidos políticos que não têm assento no Parlamento, incluindo partidos fora da AMP no parlamento, para os apoiar. Se não então, então o sonho de derrubar a AMP não se realizará até às eleições de 2012. E se a Fretilin não ganhar a vitória em 2012 então todos os seus planos políticos para a nação podem ser implementados, não agora. Esperem …!!!

Taur Matan Ruak: tudo competirá ao recrutamento nas F-FDTL – Diario Nacional

O Comandante das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) Brigadeiro General Taur Matan Ruak disse que o recrutamento para os novos membros da F-FDTL no próximo mês permitirá todas as pessoas qualificadas competirem.

O Comandante Matan Ruak disse que os peticionários que vão voltar para as F-FDTL também competirão com outros candidatos durante o processo de recrutamento.

“Não tenho ainda nenhuma lista dado que há dois grupos de peticionários. Um é para regressarem às F-FDTL o outro é para saírem das F-FDTL. A competição será dura. Antes tínhamos 12,000-15,000 candidatos para competirem para apenas 260 postos que nessa altura queríamos preencher,” disse o Comandante Taur Matan Ruak na Quarta-feira (7/5) no Palácio do Presidente, Dili.

Ed: O Novo Governo …!!! – Diario Nacional

O Presidente da ASDT Francisco Xavier Amaral com o seu Secretário-Geral em exercício Francisco Gomes assinaram um acordo para uma coligação com o Presidente da Fretilin Francisco Lu-Olo e o Secretário-Geral da Fretilin Mari Alkatiri em 1 de Maio que visa estabelecer um novo governo no futuro próximo.

O evento é uma ameaça para a AMP dado que a ASDT é um dos membros da AMP. Isto pode enfraquecer a AMP no Parlamento. É uma pena no chapéu da oposição para derrubar o Governo. Se a Fretilin tiver sucesso em convencer o PUN e o UNDERTIM para se juntar a eles, então a Fretilin terá simplesmente uma maioria com 33 lugares e poderá formar um novo governo.

É uma coisa normal no mundo da democracia quando acontecem estes jogos políticos. Mas devemos também ser realistas com a recente atmosfera no país.

O que temos de considerar é se houver novas crises e novos deslocados por causa da competição entre os líderes. Ainda não sabemos se a ASDT deixou ou não a AMP. Ainda não porque o Presidente da ASDT Xavier disse que assinaram o acordo mas que são ainda um membro da AMP. Durará isso cinco anos ou não?

O Presidente do Partido Democrático, também o Presidente do Parlamento Nacional Fernando Lasama, disse que mesmo apesar da ASDT estar a sair da AMP, a AMP não tremerá. Esperemos.


Governo não está ameaçado, dizem Xanana Gusmão e Fernando "La Sama"

Díli, 08 Mai (Lusa) - O primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, e o presidente do Parlamento Nacional, Fernando "La Sama" de Araújo, afirmaram hoje à Agência Lusa que o Governo "não está ameaçado".

Xanana Gusmão e Fernando "La Sama" de Araújo lideram, respectivamente, o Congresso Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT) e o Partido Democrático (PD), dois dos cinco partidos (dois deles numa coligação) que formam a Aliança Para Maioria Parlamentar (AMP), no poder.

Os dois dirigentes timorenses falavam à Agência Lusa após uma reunião simultânea de quase três horas do Conselho de Estado e do Comité de Alto Nível, na Presidência da República, com a presença de vários membros do Governo.

A reunião simultânea discutiu e deu decisão favorável ao fim, já a partir de hoje, do estado de sítio que ainda vigorava no distrito de Ermera.

O CNRT tem 18 deputados na actual legislatura e o PD tem oito, entre 65 assentos, num Parlamento onde o Governo, sustentado pela AMP, conta por regra com o apoio de 37 deputados.

Xanana Gusmão excluiu a hipótese de aceitar a proposta do maior partido da oposição, a Fretilin, e da Associação Social Democrática Timorense (ASDT), para a formação de um "Governo de grande inclusão".

O primeiro-ministro devolveu a pergunta da Lusa sobre essa proposta: "Por que haveria de aceitar agora se não aceitei em Julho?"

A Fretilin venceu as eleições legislativas de 30 de Junho de 2007, sem maioria absoluta, e, no final de consultas e negociações alargadas sob iniciativa do Presidente da República, Xanana Gusmão e a AMP foram chamados a formar Governo.

A ASDT, parceiro de coligação do Partido Social-Democrata (PSD) e integrante da AMP, assinou quarta-feira uma "plataforma estratégica" com a Fretilin, com vista à formação de um Governo de inclusão e a realização de eleições antecipadas no prazo máximo de dois anos.

"As eleições deviam acontecer em Junho ou Julho de 2009, mas o nosso receio agora é de que este governo não se aguente até lá", afirmou o secretário-geral da Fretilin, Mari Alkatiri, à Lusa após a assinatura do acordo com a ASDT.

Xanana Gusmão, demonstrando boa disposição e brincando com as perguntas dos jornalistas, recusou comentar a aliança assinada entre Francisco Xavier do Amaral, primeiro chefe de Estado e líder da ASDT, e Francisco Guterres "Lu Olo", ex-presidente do Parlamento e líder da Fretilin.

O primeiro-ministro afirmou que a reunião de alto nível que hoje aconteceu na Presidência da República não era o lugar para comentar as decisões do seu parceiro de coligação.

Fernando "La Sama" de Araújo rejeitou também que a AMP e o Governo estejam em perigo.

"Temos garantias da bancada da ASDT que se mantém unida à AMP", afirmou o líder do PD.

"Enquanto houver unidade no Parlamento, o Governo não cairá. Nós estamos a preparar eleições, sim, mas são as de 2012", acrescentou Fernando "La Sama" de Araújo.

"Agora a AMP conta com 37 votos. Penso que vamos aumentar para 40", afirmou ainda o presidente do Parlamento.

O líder do PD foi peremptório quanto à hipótese de a Fretilin convencer deputados da sua bancada a alinhar com a oposição: "Eles que nem pensem!"

"Não vão ter os votos do PD. E assim com a UNDERTIM. E assim com o PUN. E assim com o PSD. E assim com a ASDT", acrescentou Fernando "La Sama" de Araújo, referindo uma aritmética que, a concretizar-se, daria à AMP o apoio de 42 cadeiras no Parlamento.

"Não haverá eleições antecipadas", garantiu o presidente do PD.


Primeiro-Ministro Kay Rala Xanana Gusmão anuncia medidas para a Reforma da Administração Pública

República Democrática de Timor-Leste
Gabinete do Primeiro-Ministro
Gabinete de Imprensa

Gabinete de Imprensa
“2008 Ano da Reforma”


Primeiro-Ministro Kay Rala Xanana Gusmão anuncia medidas para a Reforma da Administração Pública

Díli, 8 de Maio de 2008

O Primeiro-Ministro Kay Rala Xanana Gusmão anunciou hoje em Díli que o Governo AMP vai estabelecer ainda este ano uma Comissão para a Administração Pública; uma Comissão Anti-Corrupção e reforçar os poderes do Gabinete do Inspector-geral, dando assim cumprimento ao Programa do IV Governo Constitucional, que elegeu o corrente ano de 2008 como “O Ano da Reforma”.

Na abertura da Conferencia “2008 Ano da Reforma Administrativa”, que decorreu esta manhã no salão de conferencias do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, em Díli, o Chefe do Executivo disse que a Comissão para a Administração Pública será “um órgão independente, sem estar sujeito a influência ou interferência política”.

A Comissão da Reforma Administrativa irá reportar ao Parlamento Nacional e “não estará sujeita ao controle ou direcção do Governo, do Primeiro-Ministro ou qualquer Ministro” garantiu Kay Rala Xanana Gusmão.

O Primeiro-Ministro sublinhou que não haverá lugar ao “patrocínio político, favoritismo, corrupção e mau desempenho” na Administração Pública em Timor-Leste e que o papel da Comissão para a Reforma Administrativa será garantir que todos os funcionários da Administração Pública compreendam as suas responsabilidades e obrigações.

Na mesma ocasião, o Chefe do Governo sublinhou que o Governo tem o compromisso de “minimizar o risco de corrupção no nosso país”, criando como importante instrumento para esse combate a Comissão Anti-Corrupção, que irá dispor de “fortes e coercivos poderes”.

“Precisamos de tomar atitudes firmes e medidas fortes. Este não é o tempo para pequenos passos. Não vamos permitir que a corrupção crie raízes na nossa jovem democracia!” afirmou o Primeiro-Ministro.

A Comissão Anti-Corrupção irá reportar igualmente ao Parlamento Nacional.

Kay Rala Xanana Gusmão anunciou ainda o reforço dos poderes do Gabinete do Inspector-geral, que será o “Auditor independente do Governo” e que reportará igualmente ao Parlamento Nacional.

“Pela primeira vez, Timor-Leste terá um organismo independente com responsabilidade de identificar e denunciar a forma como é gerido o dinheiro público”, disse o Chefe do Governo.

O reforço dos poderes do Gabinete do Inspector-geral tem por objectivo assumir o papel independente de Auditor Geral do Estado.

Estes três importantes vectores da Reforma da Administração Pública – já aprovados em Conselho de Ministros – pretendem garantir ao Parlamento Nacional e ao Povo o acompanhamento da gestão dos fundos públicos e o uso do dinheiro público por parte do Governo de uma forma mais efectiva, eficiente e ética, de acordo com a lei.

No Programa do Governo AMP “dissemos que prestar uma governação limpa, aberta e transparente. Dissemos que iríamos minimizar os riscos de corrupção. É isto que o Povo merece do Governo”, concluiu o Primeiro-Ministro.



Gabinete de Imprensa
República Democrática de Timor-Leste
Gabinete do Primeiro-Ministro





Dili, 8 May 2008

Ministry of Foreign Affairs


Ladies and Gentlemen,

Last year I announced that 2008 would be a Year of Administrative Reform to improve Government accountability and strengthen the civil service.

On coming to Government, we were determined to establish an effective institutional framework of good governance.

And I am pleased to announce today our progress in establishing this foundation of good governance – a foundation to ensure effective service delivery to our people and the ethical and proper use of public money.

The Government is committed to improving good governance because improved governance results in improved performance.

Since our nation won its independence in 1999, we have asked ourselves:

What sort of a nation do we want?

How we will create that nation?

What do the people of Timor-Leste stand for?

And sometimes, we do not always agree – that’s what a democracy is all about.

But by establishing an effective institutional framework of good governance, we continue to improve our country, our society and our democracy – by protecting that democracy with strong, independent bodies.

This is what the people of Timor-Leste voted for. This is what they deserve.

We will deliver improved governance thorough the initiatives of the Year of Administrative Reform. These reforms are:

· the establishment of a Civil Service Commission
· boosting the powers of the Office of the Inspector-General to enable it to become the Government’s independent auditor, and
the establishment of an Anti-Corruption Commission.

These important reforms will strengthen a culture of accountability and openness in the civil service.

They will create institutions that are independent of executive Government that will keep Government honest and accountable - institutions that can put the spotlight on Government failings and help us to improve our performance.

Together these reforms will deliver on our commitment to create high authorities for good governance.

They will also make the civil service – the service that delivers programs and helps the people of Timor-Leste – more approachable for the people it serves, the people of Timor-Leste.

It is a bold Government that gives such a priority to establishing strong independent institutions that can hold it publicly to account.

We have decided to go down this path because we believe that transparency and independent accountability are not obstacles to effective governing, but rather, they ensure that we govern well and in the interests of the people.

With these three reforms, we will have an open Government and a Government subject to independent, rigorous and public scrutiny.

Civil Service Commission

I am very pleased to announce today that the Council of Ministers has approved the framework for the establishment of the Timor-Leste Civil Service Commission.

This framework was developed following extensive consultation within Government.

The Civil Service Commission will be the driving force to develop a modern and professional civil service.

It will be an independent body with the key objectives of ensuring:

employment in the civil service is based on merit and political impartiality
the civil service provides quality services to the Government and people
the civil service is efficient and effective
employees are treated fairly and reasonably
strong values and leadership are developed across the civil service.

This is a very exciting development for the Government and people of Timor-Leste.

An effective and efficient civil service is the necessary foundation for the delivery of services – whether it be it in health, education, justice, infrastructure or any of the other important services government provides.

The delivery of services is what the people of Timor-Leste expect from good government. The delivery of services from an effective and efficient civil service is the goal of the Government of Timor-Leste.

The framework for the Civil Service Commission is uniquely Timorese – it reflects our circumstances and aspirations.

The Civil Service Commission will be an independent body – it will not be subject to political interference or influence. It will report to the National Parliament and will not be subject to control or direction by the Government, the Prime Minister or any Minister.

The Commission will set standards and determine employee disputes and misconduct issues.

There will be no place in our civil service for political patronage, favoritism, corruption or bad performance, and it will be the role of the Civil Service Commission to ensure our managers and employees understand their responsibilities and obligations.

A Civil Service that eliminates political patronage, favoritism, corruption or bad performance is what the people of Timor-Leste deserve.

And it is what the Government has set out to achieve for the people of Timor-Leste.

It will take time to implement, but I am committed to delivering a civil service of which the people of Timor-Leste can be proud.

We also want to improve the performance of our civil service. The Civil Service Commission will help Ministries train their staff and design their jobs.

The Taskforce has now commenced work on the second stage of its work which includes the development of detailed legislation and an operating plan. The Chair of the Taskforce, Mr Greg Vines, will speak more about this in his presentation this morning.

The Taskforce will continue to consult widely with the civil service and I acknowledge the contribution many of you made to its development.

Boosting the powers of the Inspector-General

The second key reform of the Year of Administrative Reform is to boost the powers of the Inspector-General so that is becomes the independent government auditor reporting to the National Parliament.

Today I can announce that the Council of Ministers has approved a policy framework to expand the mandate of the Office of the Inspector General to assume the role of the independent Auditor General of the State.

For the first time, Timor-Leste will have an independent body with responsibility to oversee and report on the use and management of public money.

This reform will ensure that the Government:
· is accountable to the National Parliament and to the people
· uses public money in an ethical, efficient and effective way
· acts in accordance with the rule of law in the use of funds.

These reforms will give the Office of the Inspector-General responsibility to undertake financial and performance audits of government departments and agencies.

And it will perform these functions independently of Government.

The current arrangements under which the Office of the Inspector-General reports to the Prime Minister will change, and instead, it will report directly to the National Parliament.

This initiative demonstrates the Government of Timor-Leste’s commitment to openness and independent scrutiny.

The importance of independent financial auditing to good governance cannot be overstated.

It ensures that Government is accountable and transparent. An independent, well-resourced and independent audit body is a critical part of an open democracy.

An accountable and transparent Government is what the people of Timor-Leste deserve.

The Inspector-General will also be given a mandate to conduct any performance audit he or she considers necessary.

A performance audit will determine whether Government departments and agencies are achieving their purpose in an effective, efficient and lawful way.

These performance reviews will open the Government to independent scrutiny of whether it is effectively providing services to the people.

Financial and performance auditing have played an important function in the history of public administration.

It ensures that Governments and the people can be confident that their money is been spent properly and can be accounted for.

It is a significant part of the integrity systems of all developed nations and is central to the promotion of good governance. The audit process promotes an effective democracy through enhancing participation, accountability and effectiveness of Government.

With the approval by the Council of Ministers for boosting the powers of the Inspector-General, the drafting of legislation will now commence. The Inspector-General, Francisco de Carvalho, will speak more about this important reform in his presentation this morning.

The Anti-Corruption Commission

The third key initiative of the Year of Administrative Reform is the establishment of an Anti-Corruption Commission.

This Government is committed to minimizing the risk of corruption in our country. To strengthen these efforts, we will establish an Anti-Corruption Commission with strong and coercive powers to fight corruption.

We must make sure that corruption does not pay in Timor-Leste – that the risks of engaging in corrupt behavior are real and substantial.

We need to take bold actions and strong measures – this is not a time for small steps and incremental change. It is critical that we do not allow corruption to take root in our new democracy. And we now have the strongest political will to prevent this from happening.

This is what the people of Timor-Leste deserve.

And the Government is committed to establishing an Anti-Corruption Commission is forward looking.

We are not interested in this body being used for political purposes – it will not be established to look at the sins of the past.

It will be a forward looking body that is independent of Government and which reports to the National Parliament.

There has already been debate about the best way to implement the Government’s policy to establish an Anti-Corruption Commission.

International experience tells that for Anti-Corruption Commissions to be successful they must be supported by civil society.

And our Government will not establish this body without first talking to the people – to get their views on the best way forward. We will be working closely with civil society on the development of the Commission.

So today I can announce that the Government will commence a period of consultation with civil society and interested parties on the best way forward – on the structure, mandate and powers of the Anti-Corruption Commission.

To assist this process a discussion paper has been distributed today that sets out options for the establishment of an Anti-Corruption Commission.

The Government will now be undertaking an extensive consultation process. This will include the conduct of information sessions and workshops throughout the country.

In other words, the Government of Timor-Leste will consult with its own people about this important new body.

One which the people of Timor-Leste can have confidence will act without fear or favor to expose, root out and punish those who are guilty of corruption in our society.

And the Government will consult directly with interested stakeholders including Government agencies, authorities directly involved in fighting corruption, civil society organisations, business and industry associations, and donors.

And we will welcome submissions from you on the best way forward to establish an Anti-Corruption Commission with the strong support of both the Government and the people.

* * *

When we came to Government we said that we would create an apolitical civil service that delivers to the people. We said we would deliver a clean, open and transparent Government. We said that we would minimize the risks of corruption.

That is why we are here today.

The initiatives of the Year of Administrative Reform will provide an effective framework for good governance. And improved governance will result in improved performance.

By establishing this governance framework, we will improve our country, our society and our democracy.

This is what the people deserve from Government.

These reforms will make sure that the Government is kept honest and accountable. They will create institutions that are independent of executive Government.

With these important reforms, we can all work together to strengthen democratic governance for Timor-Leste.

Thank you.

Kay Rala Xanana Gusmão



Gabinete de Imprensa
República Democrática de Timor-Leste
Gabinete do Primeiro-Ministro





Dili, 8 Maio 2008

Ministério dos Negócios Estrangeiros


Senhoras e Senhores,

No ano passado anunciei que 2008 será o Ano da Reforma Administrativa para melhorar a responsabilização do Governo e reforçar o serviço público.

Ao virmos para o Governo, estávamos determinados em estabelecer uma moldura institucional efectiva de boa governação.

E tenho o prazer de anunciar hoje os nossos progressos em estabelecer esta fundação da boa governação – uma fundação para assegurar prestação efectiva de serviço ao nosso povo e o uso ético e apropriado do dinheiro público.

O Governo estás comprometido a melhorar a boa governação porque melhorou os resultados da governação em performance melhorada.

Desde que a nossa nação ganhou a sua independência em 1999, temos perguntado a nós próprios:

Que espécie de nação queremos?

Como criaremos essa nação?

O que é que o povo de Timor-Leste defende?

E algumas vezes, nem sempre concordamos – o que é que é a democracia.

Mas estabelecendo uma moldura institucional efectiva de boa governação, continuamos a melhorar o nosso país, a nossa sociedade e a nossa democracia – protegendo essa democracia com órgãos fortes, independentes.

Foi para isto que o povo de Timor-Leste votou. É isto que merece.

Prestaremos governação melhorada através das iniciativas do Ano da Reforma Administrativa. Essas reformas são:

· o estabelecimento duma Comissão de Serviço Público
· reforço dos poderes do Gabinete do Inspector-General para que possa tornar-se o auditor independente do Governo, e
o estabelecimento duma Comissão Anti-Corrupção.

Essas importantes reformas reforçarão uma cultura de responsabilização e abertura no serviço público.

Criarão instituições independentes do Governo executivo que manterão o Governo honesto e responsável – instituições que podem pôr o foco sob os falhanços do Governo e ajudar a melhorar a nossa performance.

Juntas estas reformas darão o nosso compromisso para criar altas autoridades para boa governação.

Tornarão também o serviço público – o serviço que presta programas e ajuda o povo de Timor-Leste – mais acessível às pessoas que serve, o povo de Timor-Leste.

É audaz um Governo que dá uma tal prioridade estabelecendo instituições fortes independentes que o podem responsabilizar publicamente.

Decidimos ir nesta via porque acreditamos que a transparência e responsabilização independente não são obstáculos a governar efectivamente, mas ao contrário, eles asseguram que governamos bem e no interesse do povo.

Com estas três reformas, teremos um Governo aberto e um Governo sujeito ao escrutínio independente, rigoroso e público.

Comissão do Serviço Público

Tenho muito prazer em anunciar hoje que o Conselho de Ministros aprovou a moldura para o estabelecimento da Comissão de Serviço Público de Timor-Leste.

Esta moldura foi desenvolvida após extensivas consultas dentro do Governo.

A Comissão de Serviço Público será a força motora para desenvolver o serviço público moderno e profissional.

Será um órgão independente com os objectivos chaves de assegurar:

emprego no serviço público é baseado no mérito e imparcialidade política
o serviço público presta serviços de qualidade ao Governo e ao povo
o serviço público é eficiente e efectivo
empregados são tratados justamente e razoavelmente
valores fortes e liderança são desenvolvidos pelo serviço público.

Este é um desenvolvimento muito excitante para o Governo e povo de Timor-Leste.

Um serviço público efectivo e eficiente é a fundação necessária para a prestação de serviços – seja ela na saúde, educação, justiça, infraestruturas ou quaisquer outros serviços importantes que o governo presta.

A prestação de serviços é o que o povo de Timor-Leste espera dum bom governo. A prestação de serviços por um serviço público efectivo e eficiente é o objectivo do Governo de Timor-Leste.

A moldura da Comissão de Serviço Público é unicamente Timorense – reflecte as nossas circunstâncias e aspirações.

A Comissão de Serviço Público será um órgão independente – não estará sujeito a interferência ou influência política. Responde ao Parlamento Nacional e não será sujeito ao controlo ou direcção do Governo, Primeiro-Ministro ou qualquer Ministro.

A Comissão define padrões e determina disputas de empregados e questões de má conduta.

Não haverá lugar no nosso serviço público para patrocínio político, favoritismo, corrupção ou má performance, e será papel da Comissão do Serviço Público assegurar que os nossos gestores e empregados compreendam as suas obrigações e responsabilidades.

Um Serviço Público que elimine patrocínio político, favoritismo, corrupção ou má performance é o que merece o povo de Timor-Leste.

E é o que o Governo decidiu alcançar para o povo de Timor-Leste.

Levará tempo a implementar, mas estou comprometido a estabelecer um serviço público de que o povo de Timor-Leste se possa orgulhar.

Queremos também melhorar a performance do nosso serviço público. A Comissão de Serviço Público ajudará os Ministérios a formar o seu pessoal e a desenhar os seus empregos.

A Taskforce começou agora a trabalhar no segundo estágio do seu trabalho que inclui o desenvolvimento de legislação detalhada e um plano operacional. O Director da Taskforce, Sr Greg Vines, falará mais sobre isto no seu discurso esta manhã.

A Taskforce continuará a fazer consultas amplas com o serviço público e reconheço a contribuição que muitos de vocês fizeram para o seu desenvolvimento.

Reforçando os poderes do Inspector-General

A segunda reforma chave do Ano da Reforma Administrativa é reforçar os poderes do Inspector-General para que se torne um auditor independente do governo respondendo ao Parlaamento Nacional.

Hoje posso anunciar que o Conselho de Ministros aprovou uma moldura política para expandir o mandato do Gabinete do Inspector-Geral para assumir o papel do Auditor-Geral independente do Estado.

Pela primeira vez, Timor-Leste terá um órgão independente com a responsabilidade de fiscalizar e relatar sobre o uso e gestão do dinheiro público.

Esta reforma assegurará que o Governo:
· é responsável perante o Parlamento Nacional e o povo
· usa o dinheiro público de modo ético, eficiente e efectivo
· actua de acordo com o domínio da lei no uso dos fundos.

Estas reformas darão ao Gabinete do Inspector-Geral responsabilidade para fazer auditorias financeiras aos departamentos e agências do governo.

E desempenhará essas funções independentemente do Governo.

Os correntes arranjos sob os quais o Gabinete do Inspector-Geral responde ao Primeiro-Ministro mudarão, e em vez disso, ele responderá directamente ao Parlamento Nacional.

Esta iniciativa mostra o compromisso do Governo de Timor-Leste com abertura e escrutínio independente.

A importância de auditoria financeira independente para a boa governação não pode ser sobre-estimada.

Isso assegura que o Governo é responsável e transparente. Um órgão de auditoria independente, bem-abastecido e independente é uma parte séria duma democracia aberta.

Um Governo responsável e transparente é o que merece o povo de Timor-Leste.

Ao Inspector-Geral será também dado um mandato para conduzir qualquer auditoria que ele ou ela considere necessária.

Uma auditoria determinará se departamentos ou agências do Governo estão a alcançar os seus propósitos de modo efectivo, eficiente e legal.

Estas revisões de performance abrirão o Governo ao escrutínio independente se está efectivamente a prestar serviços ao povo.

Auditorias financeiras e de performance terão uma função importante na história da administração pública.

Assegura que o Governo e o povo podem confiar que o seu dinheiro está a ser gasto correcta e responsavelmente.

É uma parte significativa de sistemas de integridade de todas as nações desenvolvidas e é central para a promoção da boa governação. O processo de auditoria promove uma efectiva democracia através do reforço da participação, responsabilização e efectividade do Governo.

Com a aprovação pelo Conselho de Ministros do reforço dos poderes do Inspector-Geral, começará agora a feitura da legislação. O Inspector-Geral, Francisco de Carvalho, falará mais desta reforma importante no seu discurso esta manhã.

A Comissão Anti-Corrupção

Esta terceira iniciativa chave do Ano da Reforma Administrativa é o estabelecimento duma Comissão Anti-Corrupção.

Este Governo está comprometido a minimizar o risco de corrupção no nosso país. Para reforçar estes esforços, estabeleceremos uma Comissão Anti-Corrupção com poderes fortes e coercivos para combater a corrupção.

Devemos tornar certo que a corrupção não paga em Timor-Leste – que são reais e substancial os riscos de engajamento em comportamento corrupto.

Precisamos de tomar acções audazes e medidas fortes – este não é tempo de pequenos passos e mudança de acréscimo. É critico que não autorizemos que corrupção crie raízes na nossa nova democracia. E temos agora a mais forte vontade política para prevenir que isto aconteça.

É isto o que o povo de Timor-Leste merece.

E o Governo está comprometido a estabelecer a Comissão Anti-Corrupção que procura o futuro.

Não estamos interessados que este órgão seja usado para propósitos políticos – não será estabelecido para procurar os pecados do passado.

Será um órgão virado para o futuro que é independente do Governo e que responde ao Parlamento Nacional.

Já houve debate acerca da melhor maneira de implementar a política do Governo para estabelecer uma Comissão Anti-Corrupção.

A experiência internacional diz que para as Comissões Anti-Corrupção terem sucesso devem ser apoiadas pela sociedade civil.

E o nosso Governo não estabelecerá esse órgão sem primeiro falar com o povo – para obter as suas opiniões sobre a melhor via para avançar. Trabalharemos de perto com a sociedade civil sobre o desenvolvimento da Comissão.

Assim hoje posso anunciar que o Governo começará um período de consultas com a sociedade civil e partes interessadas sobre a melhor maneira de avançar – na estrutura, mandato e poderes da Comissão Anti-Corrupção.

Para assistir este processo foi distribuído um papel de discussão hoje que marca opções para o estabelecimento duma Comissão Anti-Corrupção.

Agora o Governo fará um extensivo processo de consulta. Isso incluirá a realização de sessões de informações e de workshops através do país.

Por outras palavras, o Governo de Timor-Leste consultará o seu próprio povo acerca deste importante novo órgão.

Um em que o povo de Timor-Leste pode ter confiança que actuará sem medo ou favor para expor, enraizar e punir os que são são culpados de corrupção na nossa sociedade.

E o Governo consultará directamente com parceiros interessados incluindo agências do Governo, autoridades envolvidas directamente no combate à corrupção, organizações da sociedade civil, associações de negócio e indústria e dadores.

Damos as boas vindas a contributos de vocês sobre a melhor maneira de avançar para estabelecer uma Comissão Anti-Corrupção com o forte apoio de ambos, o Governo e o povo.

* * *

Quando viemos para o Governo dissemos que criaríamos um serviço público apolítico que servisse o povo. Dissemos que faríamos um Governo limpo, aberto e transparente. Dissemos que minimizaríamos os riscos da corrupção.

É por isso que aqui estamos hoje.

As iniciativas do Ano da Reforma Administrativa darão uma moldura efectiva para a boa governação. Uma governação melhorada resultará em performance melhorada.

Estabelecendo esta moldura de governação, melhoraremos o nosso país, a nossa sociedade e a nossa democracia.

É isto que o povo merece do Governo.

Estas reformas garantirão que o Governo é mantido honesto e responsável. Criarão instituições que são independentes do Governo executivo.

Com estas importantes reformas, podemos todos trabalhar juntos para reforçar a governação democrática para Timor-Leste.


Kay Rala Xanana Gusmão


É preciso lata...

Dos leitores

Margarida deixou um novo comentário na sua mensagem "Vamos para Ataúro":

Vamos para Ataúro?

Parece-me que o Loro continua com a pontaria errada. Então depois dele próprio reconhecer que há em Díli um “exército privado” do Xanana, que este tem ódio mortal quer à Fretilin, quer ao Rogério, quer ao Alkatiri – que levaram à morte morte de mulheres e crianças “queimadas vivas” de um e a planos para raptar a família do outro, e agora a “sabotar um indulto presidencial – depois de desabafar “chega de golpes pelas costas”, o que deveria propor não era vamos para Ataúro mas sim o tribunal do Distrito de Díli! É lá que funciona a justiça para os crimes que ocorreram – ou que estiveram para ocorrer - na cidade, e portanto é lá o local indicado para que a verdade venha ao de cima e a justiça prevaleça.

MNE destaca solidariedade cubana em visita oficial a Cuba

Havana, 07 Mai (Lusa) - O ministro dos Negócios Estrangeiros timorense, Zacarias da Costa, destacou hoje em Havana as relações de solidariedade e de cooperação com Cuba, no final de um encontro com o seu homólogo cubano, Felipe Pérez Roque.

"Valorizamos o extraordinário apoio que nos brinda o governo e povo cubanos", frisou o governante timorense, citado pela agência noticiosa cubana Prensa Latina.

Cuba e Timor-Leste estabeleceram relações diplomáticas a 20 de Maio de 202, quando a independência timorense foi reconhecida pela comunidade internacional após 24 anos de ocupação indonésia.

Presentemente, em Timor-Leste trabalham 269 médicos cubanos e Cuba acolhe 698 estudantes timorenses, que frequentam cursos de Medicina, enquanto outros 148 estão inscritos na Faculdade de Medicina de Díli, criada com apoio das autoridades cubanas.

No final do encontro, o governante cubano reiterou o compromisso do seu país em continuar a cooperar com Timor-Leste e agradeceu a posição timorense contra o bloqueio económico, comercial e financeiro imposto há dezenas de anos pelos Estados Unidos, segundo a Prensa Latina.

Zacarias da Costa, que chegou terça-feira a Havana para uma visita oficial a convite de Felipe Pérez Roque, tem previsto encontros com outros responsáveis cubanos e visitas a locais de interesse económico, social e cultural, segundo a imprensa cubana.


FRETILIN expresses solidarity with the people of Myanmar


Media release7 May 2008

FRETILIN, the largest political party in Timor-Leste (East Timor), has expressed its solidarity with the people and the democratic forces of Myanmar (Burma) after Cyclone Nargis wreaked destruction in thecoastal regions of the country.

FRETILIN Secretary General Mari Alkatiri said, "The natural disaster in Myanmar is a humanitarian disaster of tragic proportions and we express solidarity with the people of Myanmar. We hope that thecountry is able to recover quickly."

The state run media in Myanmar is reporting that Cyclone Nargis has left more than 23,000 people dead, whilst some international media outlets are now reporting a figure as high as 100,000 deaths.

The cyclone is also reported to have left more than 1 million people homeless in Myanmar with an estimated 41,000 people still missing.

Dr Alkatiri said, "We urge and support all efforts by the international community to assist Myanmar through this difficultperiod.

"We also urge the government of Myanmar to work closely with the international community to effectively and efficiently co-ordinate thereconstruction and humanitarian efforts and also to help distributeaid throughout the country."

Dr Alkatiri added, "I believe that the governments of Asia should consider establishing a cyclone watch and early warning mechanism to allow countries to better prepare against cyclones and diminish suchhigh death tolls."

For more information, please contact:
Jose Teixeira (+670) 728 7080


FRETILIN expressa solidariedade com o povo de Myanmar


Comunicado de Imprensa 7 Maio 2008

A FRETILIN, o maior partido político de Timor-Leste, expressou a sua solidariedade com o povo e as forças democráticas de Myanmar (Burma) depois do ciclone Nargis ter provocado destruições nas regiões costeiras do país.

O Secretário-Geral da FRETILIN Mari Alkatiri disse, "O desastre natural em Myanmar é um desastre humanitário de proporções trágicas e expressamos solidariedade com o povo de Myanmar. Esperamos que o país seja capaz de recuperar rapidamente."

Os media estatais de Myanmar estão a relatar que o ciclone Nargis deixou mais de 23,000 pessoas mortas, ao mesmo tempo que algumas publicações de media internacionais relatam agora um número tão elevado quanto 100,000 mortos.

É também relatado que o ciclone deixou mais de 1 milhão de pessoas sem casa em Myanmar com uma estimativa de 41,000 pessoas ainda com paradeiro desconhecido.

Disse o Dr Alkatiri, "Urgimos e apoiamos todos os esforços da comunidade internacional a assistir Myanmar neste período difícil.

"Urgimos também o governo de Myanmar a trabalhar de perto com a comunidade internacional para efectivamente e com eficiência co-ordenar a reconstrução e os esforços humanitários e também a ajudar a distribuir a ajuda pelo país."

Acrescentou o Dr Alkatiri, "Acredito que os governos da Ásia deviam considerar estabelecer um observatório de ciclones e um mecanismo de aviso imediato para possibilitar que os países se preparassem melhor contra os ciclones e diminuíssem um tão grande número de mortes."

Para mais informação, por favor contacte:
José Teixeira (+670) 728 7080


COMUNICADO À IMPRENSAReunião do Conselho de Ministros de 07 de Abril de 2008
O Conselho de Ministros, reunido esta Quarta-feira, 07 de Abril, 2008, naSala de Reuniões do Conselho de Ministros, no Palácio do Governo, em Díli,aprovou os seguintes diplomas:* Proposta de Resolução ao Parlamento Nacional para a ratificação da Convenção n.º 29 da Organização Internacional do Trabalho – OIT, sobreTrabalho Forçado.

Esta Proposta de Resolução ao Parlamento Nacional visa a adopção da Convenção n.º 29 da Organização Internacional do Trabalho, sobre o TrabalhoForçado.

Como membro da Organização Internacional do Trabalho, desde 19 de Agosto de2003, Timor-Leste assume, desta forma, o compromisso de abolir o trabalhoforçado em todos os sentidos, promovendo o Estado de Direito e o respeitopelo ser humano.* Proposta de Resolução ao Parlamento Nacional para a ratificação daConvenção n.º 182 da Organização Internacional do Trabalho – OIT, sobre aProibição das Piores Formas de Trabalho Infantil.

Esta Proposta de Resolução a submeter ao Parlamento Nacional visa abolirtodo o tipo de trabalho que seja ilegal ou que afecte a moral ou a saúdefísica das crianças e, ainda, reafirmar o compromisso de Timor-Leste emrespeitar e implementar os padrões internacionais do trabalho, que têm comoobjectivo a concepção de um sistema mínimo para a promoção e protecção dasrelações do trabalho em todo o mundo.

* Resolução do Governo que aprova o apoio a conceder aos peticionários.

Esta Resolução do Governo vem criar um sistema de apoio para desmobilizaçãoe reintegração dos peticionários na vida activa, resultando de um conjuntode esforços promovidos pelo Governo para a resolução desta questão.

Museu do Oriente: Presença portuguesa na Ásia em destaque

Lisboa, 07 Mai (Lusa) - A presença portuguesa na Ásia é o tema da principal exposição do Museu do Oriente, que abre ao público sexta-feira e na qual assumem particular relevo peças de arte namban consideradas raras.

É o caso de um capacete namban fabricado em camadas de papel e laca, com o interior dourado e com um emblema familiar.

De todas as peças que formam a colecção de arte japonesa da Fundação Oriente (que criou o museu) é "aquela que assume um carácter mais particular", refere o catálogo da exposição sobre esta peça, considerada "um símbolo" do encontro entre ocidentais e japoneses.

Esta é também uma das peças favoritas do presidente da Fundação Oriente, Carlos Monjardino, que hoje acompanhou os jornalistas numa visita guiada ao Museu.

"As peças namban são das mais relevantes nesta colecção", afirmou por sua vez Fernando Baptista Pereira, comissário desta exposição de carácter permanente.

Duas colunas hindus que vieram do Forte de São Julião da Barra surgem logo à entrada.

"Pertenceram outrora a um templo da cidade ou do território de Goa e no fundo estão aqui para representar a cultura milenar que existia quando os portugueses chegaram à Índia", explicou Fernando Baptista Pereira.

"Os Lusíadas" (numa edição de 1584) e "Peregrinação" (edição do século XVIII) são duas obras que podem também ser vistas logo a seguir, no início da exposição, lembrando as viagens e as façanhas dos portugueses.

Estão lá porque são as duas obras máximas da literatura portuguesa relativa ao Oriente e ficarão no Museu cerca de três meses porque não podem estar expostas muito tempo.

"Uma espelha uma visão épica, a outra a visão aventureira. As duas completam-se e só as duas provam aquilo que realmente os portugueses foram no Oriente - soldados, aventureiros, missionários, comerciantes, um pouco de tudo", referiu o comissário.

Os biombos também têm um papel de destaque na exposição, incluindo exemplares de arte namban e chineses, com pinturas sobre a chegada e a presença de portugueses e ocidentais ao Oriente.

Dois sofisticados escritórios em laca e madrepérola e oratórios figuram igualmente entre as peças de arte namban.

Um pagode oferecido pela cidade de Macau à rainha D. Maria quando a família real se encontrava no Brasil também pode ser visto no Museu, onde pontua igualmente uma colecção de pratos de porcelana brasonada.

Uma segunda parte desta exposição é dedicada ao tema do Coleccionismo de Arte Oriental, constituído igualmente por peças da Fundação, a que se juntam acervos provenientes do Museu Nacional Machado de Castro, de Coimbra, com os legados do poeta Camilo Pessanha e do escritor Manuel Teixeira Gomes.

Da notável colecção de 600 frascos de rapé deste último, o Museu vai expor uma selecção de 120.

"Estas colecções estavam no Museu Machado de Castro e o Estado português depositou-as por 15 anos no Museu do Oriente", explicou Baptista Pereira, sublinhando que estavam na posse do Estado "há mais de 80 anos mas nunca tinham sido devidamente expostas nem estudadas"

O coleccionador Joe Berardo também emprestou quatro peças orientais ao Museu.

Num outro piso do edifício da Doca de Alcântara recuperado para a instalação deste museu pode ser vista a exposição "Deuses da Ásia", feita a partir das peças da colecção de um chinês de Hong Kong, Kwok On.

A colecção Kwok On tem no total cerca de 13 mil peças de arte popular asiática que serão expostas por ciclos.

Actualmente, a exposição "Deuses da Ásia" reúne 650 peças de países como a Índia, Vietname, China, Nepal, incluindo pinturas, trajes para rituais e festas, altares e diversos objectos utilizados em festivais, num colorido que contrasta com a sobriedade da exposição sobre a presença portuguesa na Ásia.

A mesma colecção Kown On deu origem a uma terceira mostra - "Máscaras da Ásia" - instalada no espaço destinado a exposições temporárias.

Além das exposições, este museu, que funcionará como um centro cultural, vai apresentar uma programação que aposta principalmente no cinema e na música.

Para a inauguração do Museu, a Fundação Oriente encomendou um espectáculo concebido pelo pianista Mário Laginha, que convidou instrumentistas asiáticos para o acompanharem (o guitarrista vietnamita Nguyen Lê, o tablista indiano Parbou Edhouard e o percussionista japonês Joji Hirota).

"Trimurti" é o título do espectáculo que será apresentado durante quatro dias no auditório do Museu (de sexta-feira a segunda-feira).

A Carris vai ter uma carreira de autocarros que passa à porta do Museu do Oriente, anunciou Carlos Monjardino.

O Museu do Oriente tem ainda uma loja que vende, numa primeira fase, "artesanato de qualidade" de quatro países representados nas exposições - Índia, Tailândia, China e Japão.


Novo blog em Timor-Leste

Novo blog: Loron Económico

Espaço de Análise e Debate da Política Económico-Social Sobre Timor Leste.

UNMIT Daily Media Review - 7 May 2008


(International news reports and extracts from national media. UNMIT does not vouch for the accuracy of these reports)

ASDT to stand for AMP; Horta not thinking of an early election – Televizaun Timor-Leste

Even though ASDT has given signals that it will leave the Alliance Majority in Parliament (AMP), five of its members in Parliament continue to give their support to AMP to govern the country.

“The decision in the Parliament belongs to the bench [of ASDT]. We continue to support AMP. If they [ASDT-Fretilin] have signed an accord outside of the Parliament … that’s up to them.

The president of the party said it would leave the AMP. But as MPs we have the right to continue to support AMP,” said ASDT MP José Manuel Carrascalão on Tuesday (6/5) in the National Parliament.

Mr. Carrascalão also said that many militants in the party [ASDT] disagreed with the signing the coalition accord.

ASDT has signed an accord with Fretilin as an agreement and commitment between the two parties to form new government on May 1, 2008. In the accord, entitled Accord of 1 May, the two parties agreed to form a strong coalition to rule the country in the national interest.

President José Ramos-Horta said that he is not thinking about early elections which are preoccupying others with now.

PR Horta said that the recent Government led by AMP is a Government with legitimacy, a Government he chose to rule the country.

“An early election gives no opportunity to the legitimate Government which I chose to implement their programs for the people. At the moment I am not preoccupied with early elections but am thinking about holding a dialogue between the Government and the big party, Fretilin,” said PR Horta on Tuesday (6/5) in on his visit to the petitioners in Aitarak-Laran, Dili.

Respecting dignity, PR Horta visits the petitioners – Timor Post

For the first time after his return from Darwin, Australia, PR Ramos-Horta visited the petitioners in Aitarak-Laran on Tuesday (6/5), a sign of respecting the dignity and rights of the petitioners.

“I have come here to give a message to my children, [my] young brothers, the petitioners that the First President never forgets.

They are human. We should respect their dignity and rights. That is why I have come to them and I will try to collaborate with the Government to quickly implement the options for you [my] children,” said PR Horta.

Salsinha does not provide NID with a list of supporters’ names – Timor Post

Rebel leader Gastão Salsinha does not want to provide a list of the names of [rebel] supporters who took part in the attempt against PM Xanana Gusmão in, Balibar, Dili on February 11, to the National Investigation Department (NID) as part of their investigation.

NID official Nuno R. Gomes said that during the investigation, including a hearing process in the court, Salsinha never gave the names of people who supported him in carrying out the attacks on February 11.

“During the investigation we did asked him about the people who supported him, but he did not give any names for the reason that he will do so during his trial in the court,” said Mr. Gomes on Tuesday (6/5) Timor Post via telephone.

Horta: coalition of ASDT-Fretilin, a normal process in democracy – Timor Post

PR Ramos-Horta said that the formation of a coalition between ASDT and Fretilin is a normal process. But he admitted that he had still not talked about this directly with ASDT President Francisco Xavier do Amaral and the AMP side.

“I heard that Uncle Xavier’s party had left AMP. I still have had not discussed this with Uncle Xavier and the Prime Minister about the coalition of ASDT and Fretilin and its implications. I am not surprised and preoccupied with this as it is a normal process in democracy,” said PR Horta on Tuesday (6/5) in Aitarak-Laran, Dili.

“Mr. Xavier Amaral knows the reasons for forming the new coalition. But I know that they have discussions now -- a big delegation of AMP has talked to Mr. Xavier – it is a normal process, so never be surprised,” added PR Horta.

However, PR Horta said that PM Xanana himself with the Government will have to make efforts to execute public funds appropriately to avoid corruption, collusion, and nepotism within the Government.

“Do not look only for cousins and families in the institution. Do not replace district administrators based on their political backgrounds.

Whether this is happening or not, Fretilin’s members are concerned about it. I have talked to the Prime Minister and recommended he pay attention to this issue. We cannot change the political administration based on the party. Public administration should be totally professional,” said PR Horta.

Fr. Martinho: ASDT-Fretilin coalition, a suicide for Xavier – Suara Timor Lorosa’e

The Commission of Justice and Peace Director of Baucau Diocese, Fr. Martinho Gusmão considers the decision made by ASDT President Francisco Xavier do Amaral to enter into a coalition with Fretilin is equivalent to political suicide.

According to Fr. Martinho, in 2007 Mr. Xavier backed Ramos-Horta in the presidential campaign and appealed to all people not to cast their votes for Lu-Olo (President of Fretilin), as a vote for Lu-Olo equaled a vote for suicide.

Fr. Martinho said Mr. Xavier’s recent decision to choose Lu-Olo, means he is on a suicidal path.

“ASDT has brilliant ideas about the people’s interest. But from what I read, they talk about the positions provided after they won over the election. This means that they are using people’s interest to achieve particular goals,” said Fr. Gusmão on Tuesday (6/5).

Ed: ASDT and Fretilin’s coalition – Suara Timor Lorosa’e

Recently ASDT made a coalition with Fretilin and signed an accord to prepare for the 2012 elections. However, ASDT continues to back AMP by collaborating with Prime Minister Xanana to develop the nation.

The coalition between groups or parties is a normal occurrence as foreseen in our Constitution – the questions is why has ASDT made a coalition with Fretilin, which never recognize the historical leader Francisco Xavier do Amaral as the founder of ASDT/Fretilin and the Proclamator of Independence in Timor-Leste.

We still remember, during the campaign, Uncle Xavier said, “If we vote for Ramos-Horta we will only get a headache. If vote for Lu-Olo we will all die.” What we are worried about now is that Uncle Xavier words are coming back to haunt him.

About the May 1 Accord, it is said that Fretilin wants to give eight positions to ASDT, such as Vice President of the National Parliament, Vice Prime Minister, Minister of Telecommunications, Minister of Tourism, Minister of Transportation and Commerce, State Secretary of Environment, State Secretary of Solidarity and State Secretary of Administration.

If the ASDT has coalition with Fretilin is based on the positions offered, then we all can see that all parties are ambitious and power hungry.

We may say that the coalition intends to go against and knock Xanana down. It is normal boy … !!!

Fretilin wants Xanana to face the court – Suara Timor Lorosa’e

Fretilin MPs in the National Parliament want Prime Minister Xanana Gusmão to make a statement to the Court as Horta has done, because he is one of the victims of the attacks on February 11.

“Related to the cases which took place, we still do not hear that Xanana has given his statement to the Court,” said Mr. Arsenio Paixão Bano on a press conference held on Tuesday (6/5) in the National Parliament, Dili.

Mr. Bano also said that the work of the Prosecutor-General is sluggish because some cases are still pending, such as Rai Los’s case.

However, the Vice President of the National Parliament, Vicente Guterres said that we should not hamper the work of the judiciary, as the court is an independent body in this country.

Separately, Prime Minister Xanana Gusmão said that he is ready to welcome inquiries from the Prosecutor-General. Previously he had also responded to an inquiry from Provedor of Human Rights-Justice and the Prosecutor-General.

1,137 IDPS return home – Suara Timor Lorosa’e

Some 1137 IDPs have decided to return home after occupying the National Hospital since the 2006 crisis.

At a reintegration ceremony of IDPs at the National Hospital, Dili, the Minister of Social Solidarity Maria Domingas Alves said that the IDPs’ readiness to return home was a positive step towards a better life.

Among the participants at the ceremony was the President of the National Parliament Fernando Lasama, Vice Minister of Health Madalena Hanjam, Dili District PNTL Commander Pedro Belo and other officials from the UN Agencies that worked together on the process of reintegration.

Meanwhile, the PR of the National Parliament Fernando Lasama thanked all the IDPs for their decision to return home.

“Once again, thanks a lot to all of you who have decided to return home, as the decision is in your hands,” said PR Lasama on Tuesday (6/5) during the reintegration ceremony.

Public transportation on strike over the price of oil – Diario Nacional

Drivers of public transportation were on strike in front of the Government Palace on Tuesday (6/5) due to dramatic increase in the price of oil in Timor-Leste.

The strike was aimed at demanding the Government to control the problem immediately.

Egas Patrício, one of the drivers, said that the oil prices are being raised without any regulaton. The drivers are demanding the Government to control the price.

“We all are on strike because the oil price is very high. We need the Government to solve the problem as soon as possible,” said Egas.



UNMIT Revista Diária dos Media - 7 Maio 2008

(Relatos de notícias internacionais e extractos de media nacionais. A UNMIT não garante a correcção destes relatos)

ASDT Apoia a AMP; Horta não pensa em eleições antecipadas – Televizaun Timor-Leste
Mesmo apesar da ASDT ter dado sinais que sairá da Aliança da Maioria no Parlamento (AMP), cinco dos seus membros no Parlamento continuam a dar apoio à AMP para governar o país.
“A decisão no Parlamento pertence à bancada [da ASDT]. Continuamos a apoiar a AMP. Se eles [ASDT-Fretilin] assinaram um acordo fora do Parlamento … isso é com eles.

O presidente do partido disse que sairá da AMP. Mas como deputados temos o direito de continuar a apoiar a AMP,” disse o deputado da ASDT José Manuel Carrascalão na Terça-feira (6/5) no Parlamento Nacional.

O Sr. Carrascalão disse também que muitos militantes no partido [ASDT] discordam com a assinatura do acordo de coligação.

A ASDT assinou em 1 de Maio, 2008 um acordo com a Fretilin como acordo e compromisso entre os dois partidos para formar um novo governo. No acordo, chamado Acordo de 1 de Maio, os dois partidos acordaram em formar uma coligação forte para governar o país no interesse nacional.
O Presidente José Ramos-Horta disse que não está a pensar em eleições antecipadas que agora estão a preocupar outros.

O PR Horta disse que o recente Governo liderado pela AMP é um Governo com legitimidade, um Governo que ele escolheu para governar o país.

“Eleições antecipadas não dão oportunidade ao Governo legítimo que eu escolhi para implementar os seus programas para o povo. No momento não estou preocupado com eleições antecipadas mas estou a pensar fazer um diálogo entre o Governo e o grande partido, a Fretilin,” disse o PR Horta na Terça-feira (6/5) na sua visita aos peticionários em Aitarak-Laran, Dili.

Respeitando a dignidade, PR Horta visita os peticionários – Timor Post

Pela primeira vez depois do seu regresso de Darwin, Austrália, o PR Ramos-Horta visitou os peticionários emAitarak-Laran na Terça-feira (6/5), um sinal de respeito da dignidade e direitos dos peticionários.

“Vim aqui dar uma mensagem aos meus filhos, [meus] jovens irmãos, os peticionários que o Primeiro Presidente nunca esquece.

São humanos. Precisamos de respeitar a sua dignidade e direitos. É por isso que vim aqui e tentarei colaborar com o Governo para implementar rapidamente as opções para vocês [meus] filhos,” disse o PR Horta.

Salsinha não deu ao NID uma listo com os nomes dos apoiantes – Timor Post

O líder amotinado Gastão Salsinha não quer dar uma lista com os nomes dos apoiantes [amotinados] que participaram na tentativa contra o PM Xanana Gusmão em Balibar, Dili em 11 de Fevereiro ao Departamento Nacional de Investigação (NID) como parte da sua investigação.

O oficial do NID Nuno R. Gomes disse que durante a investigação, incluindo o processo de audiência no tribunal, Salsinha nunca deu os nomes das pessoas que o apoiaram para desenvolver os ataques em 11 de Fevereiro.

“Durante a investigação perguntámos sobre as pessoas que o apoiaram, mas ele não deu nenhum nome pela razão que o fará durante o julgamento no tribunal,” disse o Sr. Gomes na Terça-feira (6/5) ao Timor Post via telefone.

Horta: coligação ASDT-Fretilin, é um processo normal na democracia – Timor Post

O PR Ramos-Horta disse que a formação duma coligação entre a ASDT e Fretilin é um processo normal. Mas admitiu que ainda não tinha falado sobre isto directamente com o Presidente da ASDT Francisco Xavier do Amaral e o lado AMP.

“Ouvi dizer que o partido do Tio Xaviertinha saído da AMP. Não discuti isto ainda com o Tio Xavier e o Primeiro-Ministro acerca da coligação da ASDT e Fretilin e as suas implicações. Não estou surpreendido e preocupado com isto dado que é um processo normal na democracia,” disse o PR Horta na Terça-feira (6/5) em Aitarak-Laran, Dili.

“O Sr. Xavier Amaral sabe as razões para formar a nova coligação. Mas sei que agora têm discussões – uma grande delegação da AMP falou com o Sr. Xavier – é um processo normal, não deve haver surpresa,” acrescentou o PR Horta.

Contudo, o PR Horta disse que o próprio PM Xanana com o Governo terá de fazer esforços para executar as finanças públicas de maneira correcta para evitar a corrupção, conivência e nepotismo dentro do Governo.

“Não procurem apenas primos e famílias na instituição. Não troquem administradores do distrito com base nos seus passados políticos.

Se isto está ou não a acontecer, os membros da Fretilin estão preocupados com isto. Eu falei com o Primeiro-Ministro e recomendei-lhe que prestasse atenção a esta questão. Não podemos mudar a administração política com base no partido. A administração pública deve ser totalmente profissional,” disse o PR Horta.

Padre. Martinho: coligação ASDT-Fretilin, um suicídio para Xavier – Suara Timor Lorosa’e

O Director da Comissão da Justiça e Paz da Diocese de Baucau, padre Martinho Gusmão considera que a decisão feita pelo Presidente da ASDT Francisco Xavier do Amaral de entrar numa coligação com a Fretilin é o equivalente a suicídio político.

De acordo com o padre Martinho, em 2007 o Sr. Xavier apoiou Ramos-Horta na campanha presidencial e apelou às pessoas para não votarem em Lu-Olo (Presidente da Fretilin), dado que um voto em Lu-Olo equivalia a um voto para o suicídio.

O padre Martinho disse que a decisão recente do Sr. Xavier de escolher Lu-Olo, significa que está numa via para o suicídio.

“A ASDT tem ideias brilhantes sobre os interesses do povo. Mas do que li, falam acerca de posições depois de ganharem a eleição. Isto significa que estão a usar o interesse do povo para alcançar objectivos particulares,” disse o padre Gusmão na Terça-feira (6/5).

Ed: Coligação da ASDT e Fretilin – Suara Timor Lorosa’e

Recentemente a ASDT fez uma coligação com a Fretilin e assinou um acordo para preparar as eleições de 2012. Contudo, a ASDT continua a apoiar a AMP colaborando com o Primeiro-Ministro Xanana para desenvolver a nação.

A coligação entre grupos ou partidos é uma ocorrência normal como previsto na nossa Constituição – as questões são porque é que a ASDT fez uma coligação com a Fretilin, que nunca reconheceu o líder histórico Francisco Xavier do Amaral como fundador da ASDT/Fretilin e o Proclamador da Independência de Timor-Leste.

Lembramos que durante a campanha, o Tio Xavier disse, “Se votarmos por Ramos-Horta apanharemos apenas uma dor de cabeça. Se votarmos por Lu-Olo morreremos.” O que nos preocupa agora é que as palavras do Tio Xavier regressaram para o perseguir.

Sobre o Acordo de 1 de Maio, é dito que a Fretilin quer dar oito posições à ASDT, tais como Vice-Presidente do Parlamento Nacional, Vice-Primeiro-Ministro, Ministro das Telecomunicações, Ministro do Turismo, Ministro dos Transportes e Comércio, Secretário de Estado do Ambiente, Secretário de Estado da Solidariedade e Secretário de Estado da Administração.

Se a ASDT tem uma coligação com a Fretilin é com base em posições oferecidas, então podemos todos ver que todos os partidos são ambiciosos e com fome de poder.

Podemos dizer que a coligação tem a intenção de ir contra e de derrubar Xanana. Isso é normal rapaz … !!!

Fretilin quer que Xanana enfrente o tribunal – Suara Timor Lorosa’e

Deputados da Fretilin no Parlamento Nacional querem que o Primeiro-Ministro Xanana Gusmão faça uma declaração ao Tribunal como Horta fez, por que é uma das vítimas dos ataques de 11 de Fevereiro.

“Relacionado com os casos que ocorreram, ainda não ouvimos dizer que Xanana tivesse feito uma declaração ao Tribunal,” disse o Sr. Arsénio Paixão Bano numa conferência de imprensa realizada na Terça-feira (6/5) no Parlamento Nacional, Dili.

O Sr. Bano disse ainda que o trabalho do Procurador-Geral é preguiçoso porque alguns casos estão ainda pendentes, tal como o caso de Rai Los.

Contudo, o Vice-Presidente do Parlamento Nacional, Vicente Guterres disse que não devemos embaraçar o trabalho do sector judicial, dado que o tribunal é um órgão independente neste país.
Em separado, o Primeiro-Ministro Xanana Gusmão disse que está pronto para receber inquéritos do Procurador-Geral. Anteriormente tinha também respondido num inquérito do Provedor dos Direitos Humanos-Justiça e do Procurador-Geral.

1,137 deslocados regressam a casa – Suara Timor Lorosa’e

Cerca de 1137 deslocados decidiram regressar a casa depois de ocuparem o Hospital Nacional Hospital desde a crise de 2006.

Na cerimónia de reintegração dos deslocados do Hospital Nacional, Dili, a Ministra da Solidariedade Social Maria Domingas Alves disse que a prontidão dos deslocados para regressarem a casa era um passo positivo para uma vida melhor.

Entre os participantes na cerimónia estava o Presidente do Parlamento Nacional Fernando Lasama, Vice-Ministro da Saúde Madalena Hanjam, Comandante da PNTL do Distrito de Dili Pedro Belo e outros funcionários de Agências da ONU que trabalharam juntos no processo da reintegração.

Entretanto, o Presidente do Parlamento Nacional Fernando Lasama agradeceu todos os deslocados pela sua decisão de voltarem a casa.

“Mais uma vez, muito obrigada a todos que decidiram voltar a casa, dado que a decisão estava nas vossas mãos,” disse o Presidente Lasama na Terça-feira (6/5) durante a cerimónia de reintegração.

Transportes públicos em greve por causa do preço do petróleo – Diario Nacional

Motoristas de transportes públicos entraram em greve em frente do Palácio do Governo na Terça-feira (6/5) devido ao aumento dramático do preço do petróleo em Timor-Leste.

A greve tem o objectivo de exigir que o Governo controle o problema imediatamente.

Egas Patrício, um dos motoristas, disse que os preços do petróleo estão a subir sem quaisquer regras. Os motoristas estão a exigir que o Governo controle o preço.

“Estamos todos em greve porque o preço do petróleo está muito alto. Precisamos que o Governo resolva o problema tão cedo quanto possível,” disse Egas.



Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.