quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Xanana Gusmão quer prolongar estado de sítio

Díli, 20 Fev (Lusa) - O primeiro-ministro de Timor-Leste, Xanana Gusmão, disse hoje que o Governo vai propor o prolongamento do estado de sítio decretado a 11 de Fevereiro, na sequência dos ataques contra o presidente e o chefe do Governo.

Numa declaração aos jornalistas após um encontro com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Irlanda, Dermot Ahern, que hoje esteve na capital timorense, Xanana Gusmão, afirmou que o momento que se vive actualmente no país "exige ponderação e firmeza".

"A fase em que estamos exige de nós, o Estado, ponderação e firmeza porque não sendo assim isso não é política, isto é acção e por isso não posso estar a falar de estratégias nem tácticas", referiu.

Xanana Gusmão explicou que o seu Executivo vai propor o prolongamento do estado de sítio até que os "objectivos sejam alcançados", mas escusou-se a especificar mais detalhes ao aceitar apenas duas questões da imprensa, uma em português e outra em tétum, sem tradução.

O estado de sítio, que inclui o recolher obrigatório entre as 20:00 e as 06:00, foi decretado inicialmente por 48 horas, na sequência dos ataques contra o Presidente da República, José Ramos-Horta, que ficou gravemente ferido, e Xanana Gusmão, que escapou ileso.

Posteriormente, o estado de sítio foi prolongado por mais dez dias, até 23 de Fevereiro.

Por sua vez, Dermot Ahren, disse que o Governo timorense aceitou a proposta irlandesa de receber Nuala O'Loan, especialista em situações de conflito com trabalho realizado na Irlanda do Norte e que se deslocará a Timor-Leste para trabalhar em propostas de resolução dos problemas do país, tendo em conta as opiniões e posições de todas as partes.

O chefe da diplomacia da Irlanda esclareceu que a proposta do seu Governo estava a ser estudada há várias semanas, assim como a sua visita também tinha sido combinada antes dos ataques de 11 de Fevereiro a Ramos-Horta e Xanana Gusmão.

"Queremos partilhar a nossa experiência na resolução de conflitos e na construção de parcerias", referiu Dermot Ahern ao acrescentar que o trabalho dos especialistas do seu país será coordenado por uma ambaixadora itenerante, Nuala O'Loan, e será desenvolvido por um grupo de trabalho da Unidade de Resolução de Conflitos.

Dermot Ahren defendeu também que a experiência adquirida no seu país e agora em Timor-Leste poderá vir a ser aplicada noutras zonas de conflito, uma missão que a Irlanda quer assumir no contexto internacional da promoção da estabilidade.

Além de Xanana Gusmão, o ministro irlandês tem encontros agendados em Díli com Fernando "La Sama" de Araújo, o presidente da República em exercício, e com Mari Alkatiri, o líder da Fretilin e ex-primeiro-ministro.

Dermot Ahern vai ainda visitar projectos fundados pela ajuda irlandesa, que já investiu mais de 20 milhões de euros em Timor-Leste entre 2003 e 2007.

JCS/PRM.
Lusa/fim

2 comentários:

Anónimo disse...

Ao prolongar o estado de sítio,significa que temos um governo ou um estado que tem medo do seu próprio povo.O sr.gusmão sente-se inseguro,medo e está cada vez mais longe do seu próprio povo.Dantes o povo gritava o seu nome e adorava-o,mas agora o povo sabe da verdade sobre o homem que sempre foi ídolo do povo.Se continuar a ter medo do seu próprio povo,a solução é pega na sua família e vai-se embora ou enfretará a justiça e será humilado pelo seu próprio povo.

Povo maubere

h correia disse...

"Xanana Gusmão explicou que o seu Executivo vai propor o prolongamento do estado de sítio até que os "objectivos sejam alcançados""

Recordemos uma entrevista de Salsinha a Adelino Gomes, em 8-6-2006:

"AG - Está optimista à resolução do problema [peticionários]?

S - Estou. Tenho certeza de que pode ser resolvido. Mas penso que só através do Presidente da República [Xanana].

AG - Também defende que o primeiro ministro [Alkatiri] deve ser demitido?

S - Seria melhor ele demitir-se para alguém ir, por ele, resolver o problema.

AG - Quanto tempo dá a Xanana para isso?

S - Está nas medidas de emergência: 30 dias.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.