quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Demand for retraction

To Mr. Chris Mitchell,
The Editor, The Australian

Dear Editor,

In today's Australian (Feb 19, 2008), your reporters Paul Toohey and Mark McKenna repeat the defamation of FRETILIN which we complained about in last Friday's edition, by wrongly linking FRETILIN to the attempted murder of President Jose Ramos Horta. In today's paper on
page 6, your reporters asserted; "Ms Pires is also linked to the opposition FRETILIN party, which was until recently Reinado's enemy".

Ms Angelita Pires, now a suspect in the attempted assassination of the President, has never been associated with FRETILIN, is a known supporter of the Democratic Party and campaigned hard against FRETILIN during the upheaval of 2006 and the elections of 2007. These facts are very well known in Dili and your reporters have no excuse for such writing such a gross untruth.

As an example of Ms. Pires' non links to FRETILIN is the following.

The only time Dr. Alkatiri ever met with Ms Pires was in 1998, at the request of Mr. Xanana Gusmao, when he was still imprisoned in Cipinang Jail in Jakarta. He had requested Dr. Alkatiri as the CNRT nominated negotiator for the Timor Sea Oil and Gas negotiations, to include her in the technical team supporting him as the head negotiator. After having met with her on one occasion in Darwin in 1998, Dr. Alkatiri came to the conclusion the person concerned did not have any technical expertise to offer the process, and informed Mr. Gusmao of this. Dr. Alkatiri subsequently never had any contact with her to this day, other than a very casual and courtesy greeting in public places. It is known to us that Dr. Alkatiri's refusal to integrate her into the
team had resulted in extreme personal and political resentment by her of Dr. Alkatiri and FRETILIN.

As the vice president of FRETILIN, I can also say that Mr. Antonio Pires has never been involved with FRETILIN's campaigns or other activities. I say confidently he is not an active supporter of FRETILIN either.

One major and grave concern for us is also that Mr. Toohey has never bothered in the least to contact either Dr. Alkatiri or any of the regular FRETILIN spokespersons who are well known and accessible in Dili for a comment on this matter. We expected at least that as a question of balance and good faith.

We can only conclude that these assertions continue to be made in your paper as a deliberate smear against FRETILIN and we are deeply concerned that this could provoke violent attacks on our leaders and members, as occurred in 2006. This would only further destabilize our country.

As we did in relation to the February 15 report, we demand a full retraction of this lie in your next edition.


Yours sincerely

Arsenio Paixao Bano
Vice-President, Fretilin
Dili, East Timor


Tradução:

Pedido de retracção

Ao Sr. Chris Mitchell,
O Editor, The Australian

Caro Editor,

No Australian de hoje (Fev 19, 2008), os seus repórteres Paul Toohey e Mark McKenna repetiram a difamação sobre a FRETILIN de que nos queixámos na edição da última Sexta-feira, ao ligarem erroneamente a FRETILIN com a tentativa de homicídio do Presidente José Ramos Horta. No jornal de hoje na página 6, os seus repórteres afirmaram que; "A Srª Pires está também ligada ao partido da oposição FRETILIN, que foi até recentemente inimigo de Reinado".

A Srª Angelita Pires, agora uma suspeita na tentativa de assassínio do Presidente, nunca esteve associada à FRETILIN, é uma conhecida apoiante do Partido Democrático e fez uma campanha forte contra a FRETILIN durante o levantamento de 2006 e nas eleições de 2007. Estes factos são muito bem conhecidos em Dili e os seus repórteres não têm nenhuma desculpa para escreverem uma tão grande inverdade.

Como exemplo das não ligações da Srª. Pires com a FRETILIN é o seguinte.

A única vez que o Dr. Alkatiri alguma vez se encontrou com a Srª Pires foi em 1998, a pedido do Sr. Xanana Gusmão, quando ele estava ainda preso na prisão de Cipinang em Jacarta. Ele tinha pedido ao Dr. Alkatiri que era o negociador nomeado pelo CNRT para as negociações do Petróleo e do Gás do Mar de Timor, para a incluir na equipa técnica que o apoiava como negociador chefe. Depois de se ter encontrado com ela numa ocasião em Darwin em 1998, o Dr. Alkatiri chegou à conclusão que essa pessoa não tinha nenhum conhecimento técnico para o processo, e informou disto o Sr. Gusmão. Subsequentemente o Dr. Alkatiri nunca teve nenhum contacto com ela até ao dia de hoje, para além das saudações muito casuais e de cortesia nos locais públicos. É sabido que a recusa do Dr. Alkatiri em integrá-la na equipa resultou num grande ressentimento pessoal e político dela contra o Dr. Alkatiri e a FRETILIN.

Como vice-presidente da FRETILIN, posso também dizer que o Sr. António Pires nunca esteve envolvido nas campanhas ou outras actividades de FRETILIN. Digo confidencialmente que também nunca foi um apoiante activo da FRETILIN.

Uma preocupação grande e séria nossa é também o facto do Sr. Toohey nunca ter procurado contactar quer o Dr. Alkatiri quer qualquer dos porta-vozes habituais da FRETILIN que são bastante conhecidos e estão acessíveis em Dili para um comentário sobre esta matéria. Esperávamos ao menos isso como questão de equilíbrio e de boa fé.

Podemos apenas concluir que essas afirmações que continuam a ser feitas no seu jornal são uma difamação deliberada contra a FRETILIN e estamos profundamente preocupados que isso possa provocar ataques violentos contra os nossos líderes e membros, como ocorreu em 2006. Isto apenas desestabilizará mais o nosso país.

Como fizemos em relação à notícia de 15 de Fevereiro, pedimos uma retracção total desta mentira na vossa próxima edição.


Sinceramente

Arsénio Paixão Bano
Vice-Presidente, Fretilin
Dili, Timor-Leste

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Pedido de retracção
Ao Sr. Chris Mitchell,
O Editor, The Australian

Caro Editor,

No Australian de hoje (Fev 19, 2008), os seus repórteres Paul Toohey e Mark McKenna repetiram a difamação sobre a FRETILIN de que nos queixámos na edição da última Sexta-feira, ao ligarem erroneamente a FRETILIN com a tentativa de homicídio do Presidente José Ramos Horta. No jornal de hoje na página 6, os seus repórteres afirmaram que; "A Srª Pires está também ligada ao partido da oposição FRETILIN, que foi até recentemente inimigo de Reinado ".

A Srª Angelita Pires, agora uma suspeita na tentativa de assassínio do Presidente, nunca esteve associada à FRETILIN, é uma conhecida apoiante do Partido Democrático e fez uma campanha forte contra a FRETILIN durante o levantamento de 2006 e nas eleições de 2007. Estes factos são muito bem conhecidos em Dili e os seus repórteres não têm nenhuma desculpa para escreverem uma tão grande inverdade.

Como exemplo das não ligações da Srª. Pires com a FRETILIN é o seguinte.

A única vez que o Dr. Alkatiri alguma vez se encontrou com a Srª Pires foi em 1998, a pedido do Sr. Xanana Gusmão, quando ele estava ainda preso na prisão de Cipinang em Jacarta. Ele tinha pedido ao Dr. Alkatiri que era o negociador nomeado pelo CNRT para as negociações do Petróleo e do Gás do Mar de Timor, para a incluir na equipa técnica que o apoiava como negociador chefe. Depois de se ter encontrado com ela numa ocasião em Darwin em 1998, o Dr. Alkatiri chegou à conclusão que essa pessoa não tinha nenhum conhecimento técnico para o processo, e informou disto o Sr. Gusmão. Subsequentemente o Dr. Alkatiri nunca teve nenhum contacto com ela até ao dia de hoje, para além das saudações muito casuais e de cortesia nos locais públicos. É sabido que a recusa do Dr. Alkatiri em integrá-la na equipa resultou num grande ressentimento pessoal e político dela contra o Dr. Alkatiri e a FRETILIN.

Como vice-presidente da FRETILIN, posso também dizer que o Sr. António Pires nunca esteve envolvido nas campanhas ou outras actividades de FRETILIN. Digo confidencialmente que também nunca foi um apoiante activo da FRETILIN.

Uma preocupação grande e séria nossa é também o facto do Sr. Toohey nunca ter procurado contactar quer o Dr. Alkatiri quer qualquer dos porta-vozes habituais da FRETILIN que são bastante conhecidos e estão acessíveis em Dili para um comentário sobre esta matéria. Esperávamos ao menos isso como questão de equilíbrio e de boa fé.

Podemos apenas concluir que essas afirmações que continuam a ser feitas no seu jornal são uma difamação deliberada contra a FRETILIN e estamos profundamente preocupados que isso possa provocar ataques violentos contra os nossos líderes e membros, como ocorreu em 2006. Isto apenas desestabilizará mais o nosso país.

Como fizemos em relação à notícia de 15 de Fevereiro, pedimos uma retracção total desta mentira na vossa próxima edição.


Sinceramente

Arsénio Paixão Bano
Vice-Presidente, Fretilin
Dili, Timor-Leste

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.