segunda-feira, janeiro 28, 2008

East Timor leader wants peacekeepers to shift focus

Radio New Zealand
Posted at 5:44pm on 28 Jan 2008

East Timor's Prime Minister wants international peacekeepers in his country to move away from security duties and focus instead on mentoring and training.

There are almost 800 New Zealand and Australian troops working on security duties in East Timor.

Prime Minister Xanana Gusmao thanked the troops for their efforts during a lunch at the barracks in Dili on Sunday.

He said he was happy with the current number of troops, because it is the quality of the soldiers that counts, not the quantity.

"I believe that right now you can see you can get the difference of the environment. When they came it was so difficult, now it's so calm," he said.

Australian Brigadier General John Hutcheson agreed the environment in East Timor was becoming safer, allowing troops to shift focus towards community engagement and repairing East Timor's infrastructure.

However, Brigadier Hutcheson said there was still a need for the International Stabilisation Forces to remain in East Timor to guarantee that peace prevailed.

UN to address food shortage

The United Nations and aid agencies would meet in East Timor this week to discuss how to manage food shortages brought on by recent monsoonal storms and locust infestations.

The ABC reports East Timor was facing another food shortage after a series of monsoonal storms, floods and landslides that have killed three people and caused problems in 11 out of 13 districts.

A UN spokesman said one solution being considered is food-for-work in areas that are experiencing food shortages. He said the agencies would also look at longer-term controls.

Tradução:

Líder de Timor-Leste quer que tropas mudem de foco Radio New Zealand

Postado em 5:44pm em 28 Jan 2008

O Primeiro-Ministro de Timor-Leste quer que as tropas internacionais no seu país medem dos serviços de segurança e se foquem em vez disso na monitorização e formação.

Há quase 800 tropas da Nova Zelândia e Australianas a trabalharem em serviços de segurança em Timor-Leste.

O Primeiro-Ministro Xanana Gusmão agradeceu às tropas os seus esforços durante um almoço no quartel em Dili no Domingo.

Disse estar satisfeito com o número corrente das tropas porque é a qualidade dos soldados que conta, não a quantidade.

"Acredito que agora podem ver a mudança no ambiente. Quando chegaram era tão difícil, agora é tão calmo," disse.

O Brigadeiro General Australiano John Hutcheson concordou que o ambiente em Timor-Leste estava mais seguro, o que permite que as tropas mudem o foco para o engajamento da comunidade e a reparação de infra-estruturas em Timor-Leste.

Contudo, o Brigadeiro Hutcheson disse que há ainda a necessidade das Forças Internacionais de Estabilização se manterem em Timor-Leste para garantir que a paz prevalece.

ONU vai responder às carências alimentares

As Nações Unidas e agências de ajuda vão-se encontrar esta semana em Timor-Leste para discutir como gerir as carências alimentares trazidas pelas tempestades das monsões recentes e as pragas de gafanhotos.

A ABC noticia que Timor-Leste está a enfrentar uma outra carência alimentar depois duma série de tempestades das monsões, inundações e deslisamentos de terras que mataram três pessoas e causaram problemas em 11 de 13 distritos.

Um porta-voz da ONU disse que uma solução que está a ser considerada é alimentação-por-trabalho em áreas que experimentam carências alimentares. Disse que as agências procurarão também por controlos a mais longo prazo.

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Líder de Timor-Leste quer que tropas mudem de foco
Radio New Zealand
Postado em 5:44pm em 28 Jan 2008

O Primeiro-Ministro de Timor-Leste quer que as tropas internacionais no seu país medem dos serviços de segurança e se foquem em vez disso na monitorização e formação.

Há quase 800 tropas da Nova Zelândia e Australianas a trabalharem em serviços de segurança em Timor-Leste.

O Primeiro-Ministro Xanana Gusmão agradeceu às tropas os seus esforços durante um almoço no quartel em Dili no Domingo.

Disse estar satisfeito com o número corrente das tropas porque é a qualidade dos soldados que conta, não a quantidade.

"Acredito que agora podem ver a mudança no ambiente. Quando chegaram era tão difícil, agora é tão calmo," disse.

O Brigadeiro General Australiano John Hutcheson concordou que o ambiente em Timor-Leste estava mais seguro, o que permite que as tropas mudem o foco para o engajamento da comunidade e a reparação de infra-estruturas em Timor-Leste.

Contudo, o Brigadeiro Hutcheson disse que há ainda a necessidade das Forças Internacionais de Estabilização se manterem em Timor-Leste para garantir que a paz prevalece.

ONU vai responder às carências alimentares

As Nações Unidas e agências de ajuda vão-se encontrar esta semana em Timor-Leste para discutir como gerir as carências alimentares trazidas pelas tempestades das monsões recentes e as pragas de gafanhotos.

A ABC noticia que Timor-Leste está a enfrentar uma outra carência alimentar depois duma série de tempestades das monsões, inundações e deslisamentos de terras que mataram três pessoas e causaram problemas em 11 de 13 distritos.

Um porta-voz da ONU disse que uma solução que está a ser considerada é alimentação-por-trabalho em áreas que experimentam carências alimentares. Disse que as agências procurarão também por controlos a mais longo prazo.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.