quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Pergunta Meira da Rocha:

Meira da Rocha

Apresentando-me: Sou jornalista e professor de jornalismo de Porto Alegre, do Sul do Brasil. Tenho interesse na comunidade luso-falante pelo mundo e na cobertura da imprensa sobre o trágico incidente.

1. Quais os trajetos dos peticionários?
2. Por que um militar experiente como Reinado faria um "ataque" tão mal planeado, enquanto ataque?
3. Quantos grupos, viaturas e homens se envolveram no incidente?
4. Quem e quando atirou em Reinado?
5. Quem atirou em Ramos-Horta?
6. O que dizem os parentes de Ramos-Horta que estavam na residência?
7. O que dizem os seguranças do presidente?
8. O que fizeram os peticionários durante meia hora entre os dois tiroteios?
9. Por que a segurança do presidente não deu o alerta?
10. Por onde fugiram os peticionários, depois do tiroteio?

2 comentários:

Zé disse...

malae azul.... estás tramado com tanta pergunta que te vão fazer

h correia disse...

Um abraço para o Rio Grande do Sul, Brasil, para o Prof. Meira da Rocha.

O seu contributo para este blog é bem-vindo e espero que continue a colaborar.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.