quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Investigadores da ONU dizem que o objectivo era eliminar os dois dirigentes

Ataques contra Xanana e Ramos-Horta terão sido feitos pelo mesmo grupo
20.02.2008 - 17h08 PÚBLICO

As investigações preliminares da missão das Nações Unidas em Timor-Leste aos ataques da semana passada contra Ramos-Horta e Xanana Gusmão revelam que terá sido o mesmo grupo a atacar o Presidente e o primeiro-ministro e que o seu propósito era eliminar os mais altos dirigentes do país.

Segundo o site da RTP, que cita o correspondente da Lusa em Timor-Leste, o relatório do departamento de investigação da missão das Nações Unidas no país fornece informações detalhadas sobre os ataques do passado dia 11.

De acordo com a mesma fonte, o ataque à casa do Presidente timorense terá começado às 06h05, quando “doze a treze pessoas”, armadas e com uniformes militares, chegaram ao local em duas viaturas.

O militar das Falintil-Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) que fazia a guarda ao portão principal da residência foi manietado por três dos atacantes, enquanto outros sete, liderados pelo major Alfredo Reinado, entraram no complexo residencial em busca de Ramos-Horta.

Os investigadores adiantam que o grupo de Reinado não conseguiu encontrar o Presidente no interior do complexo e acabaria por ser visado por um outro militar das F-FDTL que fora entretanto acordado por um funcionário da residência. O militar disparou contra o major Reinado e um outro atacante, que estava encapuzado, tendo matado e desarmado ambos.

Ramos-Horta só foi atingido quando regressava a casa depois de uma corrida junto à praia, na companhia de dois seguranças. Apesar de ter ouvido disparos, que um civil terá atribuído a exercícios das tropas americanas, o Presidente prosseguiu a marcha e só se apercebeu do ataque quando estava a 50 metros da residência, ao ver militares encapuzados na estrada.

O Presidente atirou-se para o chão por indicação de um dos seguranças, mas ainda assim foi atingido com dois disparos “no lado direito do peito”, acrescentam os investigadores. O outro segurança abriu fogo contra os atacantes que fugiram do local em direcção às montanhas, acrescenta o relatório, dando a entender que só aí se encontraram com a caravana automóvel em que seguia Xanana Gusmão que saiu ileso da emboscada.

3 comentários:

Meira da Rocha disse...

Pelo Google Earth, não vi ligação viária entre a residência de Ramos-Horta e a de Xanan Gusmão, pelas montanhas próximas à residência do Presidente... O caminho teria obrigatoriamente que passar pela cidade. Estou errado?

Malai Azul disse...

Correcto. Ou por baixo, pela estrada da Areia Branca, ou por cima, entrando na cidade por Becora.

Anónimo disse...

A ONU faz o jogo internacional, agora nao acrediro que os alvos incluia o Xanana mas sim o major Alfredo e o Horta.


CHINAMETAN

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.