terça-feira, abril 08, 2008

Reinado was high on 'ice'

The Age
Lindsay Murdoch, Darwin
April 8, 2008

REBEL leader Alfredo Reinado was under the influence of a cocktail of alcohol and the drug known as "ice" when he led the February attacks in Dili, East Timor's President, Jose Ramos Horta, has revealed.

Mr Ramos Horta has also rejected speculation in Dili that a powerful Timorese politician was behind the attacks, saying Reinado did not take orders from anyone.

"I do not know of any political figure who was involved in any way whatsoever in supporting Alfredo Reinado," Mr Ramos Horta told The Age in Darwin, where he is recovering from gunshot wounds.

He said Reinado "came to my house on his own while under the influence of alcohol and drugs, although behind the scenes he was also manipulated by certain people.

"Whether his intent was to kidnap me to exert pressure on the Government — I don't know his intent," he said. "What is absolutely clear, though, is that he came to my house in a hostile manner and if I had been in the house, he probably would have shot me point blank."

Mr Ramos Horta earlier named Timorese-born Australian woman Angelita Pires as one of the people who influenced Reinado in the lead-up to the attacks. Ms Pires has admitted she was Reinado's lover but denied any wrongdoing.

Mr Ramos Horta said there was no information Reinado was supported by sources from either Indonesia or Australia. But he said there were indications that Timorese individuals in non-government organisations provided cash and other support for Reinado that were passed to him by Ms Pires.

The President told The Age he wanted East Timor's Prosecutor-General, Longuinhos Monterio, who is leading the investigation into the attacks, to report his findings as soon as possible to Parliament to prevent unfounded speculation that could further destabilise the country. Mr Monterio briefed Mr Ramos Horta on the investigation in Darwin yesterday.

Mr Ramos Horta said that while he was recovering well although still in pain, he was struggling to understand how the rebels could have shot him twice in the back with a high-powered rifle. "Aiming such a high-powered rifle at me — I was unarmed — and then shooting me in the back as I turned to run was a criminal act of absolute cowardice," he said

Mr Ramos Horta said he had known since 2006 that Reinado was abusing alcohol and methamphetamines, or "ice", although the rebel was sober on the occasions he met him in the country's mountains when trying to negotiate his surrender.

He praised the Timorese soldier who shot Reinado dead at his house shortly after dawn on February 11. "The soldier who shot Reinado did his duty," he said.

Speaking only days before he is expected to receive the report of a commission of inquiry set up in 2005 to uncover the truth behind violence that swept East Timor in 1999, Mr Ramos Horta criticised Indonesian military officers for refusing to admit responsibility and apologise.

He expects to return to Dili this month.

2 comentários:

Margarida disse...

Tradução:
Reinado estava sob influência de 'ice'
The Age
Lindsay Murdoch, Darwin
Abril 8, 2008

O líder amotinado Alfredo Reinado estava sob a influência dum cocktail e droga conhecida como "ice" quando liderou os ataques em Fevereiro em Dili, revelou o Presidente de Timor-Leste, José Ramos Horta.

O Sr Ramos Horta rejeitou ainda especulações em Dili de um poderoso político Timorense ter estado por detrás dos ataques, dizendo que Reinado não aceitava ordens de ninguém.

"Não sei de nenhuma figura política que estivesse envolvida fosse de que maneira fosse a apoiar o Alfredo Reinado," disse o Sr Ramos Horta ao The Age em Darwin, onde está em recuperação de ferimentos das balas.

Ele disse que Reinado "veio a minha casa pelo seu pé sob a influência de álcool e drogas, apesar de por detrás da cena ser também manipulado por certas pessoas.

"Se a sua intensão era raptar-me ou exercer pressão sobre o Governo — não sei qual era a sua intensão ," disse ele. "O que é absolutamente claro, contudo, é que ele veio a minha casa de modo hostil e se eu estivesse em casa, provavelmente tinha-me baleado sem mais."

Antes o Sr Ramos Horta tinha nomeado a mulher Australiana Timorense por nascimento Angelita Pires como uma das pessoas que influenciavam Reinado antes dos ataques. A Srª Pires admitiu que era amante de Reinado mas nega qualquer má acção.

O Sr Ramos Horta disse que não havia nenhuma informação que Reinado era apoiado por fontes quer da Indonésia ou da Austrália. Mas disse que havia indicações de indivíduos Timorenses em ONG's terem dado dinheiro e outro apoio a Reinado que lhe chegaram através da Srª Pires.

O Presidente disse ao The Age que queria que o Procurador-Geral, Longuinhos Monteiro, que lidera a investigação aos ataques, reporte as suas conclusões tão cedo quanto possível ao Parlamento para evitar especulação não fundada que possa desestabilizar mais o país. O Sr Monteiro informou o Sr Ramos Horta sobre a investigação ontem em Darwin.

O Sr Ramos Horta disse que apesar de estar a recuperar bem apesar de ainda ter dores, estava a lutar para entender como é que os amotinados o puderam balear duas vezes nas costas com uma espingarda de alta potência. "Apontar uma espingarda de tão alta potência a mim — eu estava desarmado — e depois balear-me nas costas quando me virei para correr foi um acto criminoso de absoluta cobardia," disse ele

O Sr Ramos Horta disse que sabia desde 2006 que Reinado estava a abusar do álcool e de metafetaminas, ou "ice", apesar do amotinado estar sóbrio nas ocasiões em que se encontrou com ela nas montanhas do país quando tentou negociar a sua rendição.

Ele louvou o soldado Timorense que matou Reinado a tiro na sua casa pouco depois da madrugada de 11 de Fevereiro. "O soldado que baleou Reinado cumpriu o seu dever," disse ele.

Falando apenas dias antes em que se espera que receba um relatório da comissão de inquérito montada em 2005 para revelar a verdade por detrás da violência que varreu Timor-Leste em 1999, o Sr Ramos Horta criticou oficiais das forças militares Indonésias por recusarem admitir responsabilidades e pedirem desculpa.

Espera regressar a Dili este mês.

Anónimo disse...

This is a serious accusation! How do you know that Reinado was under the influence of Alchol and methamphetamines? And why don't you share your Nobel Peace Prize with the soldier who shot Reinado on the eyes? he saved your life, worth more than the Nobel Prize.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.