terça-feira, abril 08, 2008

ETimor government offers 'cash apology'

ABC Radio Australia
7.04.2008
Updated 10 hours 12 minutes ago


US Assistant Secretary of State Christopher Hill has praised East Timor's response to the attempts on the lives of East Timor's leaders in February. [Reuters]

United States Assistant Secretary of State for East Asian and Pacific Affairs Christopher Hill has praised East Timor for its response to the attempted assassinations of its leaders in February.

On a visit to Dili, Mr Hill told reporters that the government had handled the crisis "pretty well".

Both President Jose Ramos-Horta and Prime Minister Xanana Gusmao were targeted by rebel soldiers on February 11.

Mr Gusmao escaped without injury but President Ramos-Horta nearly died after being shot in the stomach, and has been recovering in the northern Australian city of Darwin.

"We saw a succession, putting in an acting president and issues like that, putting in an emergency rule process," Mr Hill said.

"It was a good sign, (and) I think we can look for a continuation of a consolidation of this state."

However, almost two months after the attacks, Radio Australia's Stephanie March reports from Dili that many of those responsible for carrying out the double attack remain on the run.

Hundreds of police and military have been searching countryside in Ermera district in the mountainous interior without success.

As the hunt continues, there have been a growing number of reports of violence against civilians by the military.

East Timorese MP and leader of the Parliamentary Committee for Human Rights Fernanda Borges says her constituents in Ermera have complained of beatings and aggressive interrogations by military personnel, who are seeking rebel leader Gastao Salsinha.

"There are questions like 'were you involved?' 'did you know him?' and sometimes when the answer is not to their liking they get beaten up," Ms Borges said.

Last month the government acknowledged that inappropriate tactics had been used as part of the operation to locate the rebel attackers, and promised to investigate complaints of abuse.

It has also offered to give each of the 52 communities in Ermera which have complained a $US600 grant towards holding belated Easter parties, although on the condition that military and police officials be invited.

"We want the community to understand first that they should celebrate this Easter together with FFDTL and PNTL," said East Timor State Secretary for Security Francisco Gutteres.

"We would like them to understand that these two institutions are the state institutions that will protect them."

One community which will receive the grant is Erulu, a small mountain village in Ermera which is home to some of rebel leader Gastao Salsinha's family members.

Erulu village chief Lenilda Maia says the community has received an apology after a number of young people were physically abused by military personnel.

She says locals remain nervous, and are reluctant to begin the coffee harvest for fear of encountering military personnel or rebel troops.

She says if the problem is not resolved soon, the harvest will rot and crucial income will be lost.

However she says there is no guarantee an Easter party will restore damaged relations with the military.

"We don't really know if the money makes up for it, but we'll see after the party," she said.

Francisco Gutteres says a number of military personnel have been suspended from active duty pending investigations, but says they will not be dismissed regardless of the investigation outcome.

"We will not dismiss these guys just because of a slap on people," he said.

MP Fernanda Borges says the military's response risks "fostering impunity".

"That is not a strong disciplinary measure, (and) that is not stating 'no-tolerance' to human rights violations," she said.

She has criticised the decision to offer communities money in return for forgiveness of abuse.

"They shouldn't start a practice of using money, because it's still very much an unprofessional force," she said.

2 comentários:

Margarida disse...

Tradução:
Governo de Timor-Leste oferece 'pedidos de desculpa em dinheiro'
ABC Radio Australia
7.04.2008
Actualizado 10 horas 12 minutos atrás


O Secretário de Estado Assistente dos USA Christopher Hill louvou a resposta de Timor-Leste aos atentados contra as vidas dos líderes de Timor-Leste em Fevereiro. [Reuters]

O Secretário de Estado Assistente dos USA para os Negócios do Leste Asiático e Pacífico Christopher Hill louvou a resposta de Timor-Leste às tentativas de assassínio dos seus líderes em Fevereiro.

Numa visita a Dili, o Sr Hill disse aos repórteres que o governo tinha gerido a crise "bastante bem".

Ambos o Presidente José Ramos-Horta e o Primeiro-Ministro Xanana Gusmão estiveram sob mira de soldados amotinados em 11 de Fevereiro.

O Sr Gusmão escapou ileso mas o Presidente Ramos-Horta quase morreu depois de ser baleado no estômago, e tem estado a recuperar na cidade do norte da Austrália de Darwin.

"Vimos uma sucessão de nomear um presidente interino e questões como isso, de pôr em efeito um processo de medidas de emergência," disse o Sr Hill.

"Isso foi um bom sinal, (e) penso que podemos esperar uma continuação duma consolidação deste Estado."

Contudo, quase dois meses depois dos ataques Stephanie March da Radio Australia relata de Dili que muitos desses responsáveis pelo duplo ataque mantém-se em fuga.

Centenas de polícias e militares têm andado à procura no campo no distrito de Ermera no interior montanhoso sem sucesso.

Enquanto a caça continua, tem havido um número crescente de relatos de violência contra civis pelos militares.

A deputada Timorense e líder do Comité Parlamentar dos Direitos Humanos Fernanda Borges diz que os cidadãos em Ermera se queixaram de agressões e de interrogatórios agressivos por pessoal militar, que andam à procura do líder amotinado Gastão Salsinha.

"Fazem perguntas como 'esteve envolvido?' conhece ele?' e às vezes quando a resposta não é do agrado deles são agredidos," disse a Srª Borges.

No mês passado o governo reconheceu que tinham sido usadas tácticas incorrectas como parte da operação para localizar os atacantes amotinados, e prometeu investigar queixas de abusos.

O governo ofereceu também a cada uma das 52 comunidades em Ermera que se queixaram doações de $US 600 para fazerem festas da Páscoa tardias, apesar de ser na condição de convidarem militares e oficiais da polícia.

"Queremos que a comunidade entenda primeiro que devem celebrar esta Páscoa juntamente com as FFDTL e PNTL," disse o Secretário de Estado para a Segurança Francisco Guterres.

"Gostaríamos que entendessem que estas duas instituições são instituições do Estado que as protegerão."

Uma comunidade que receberá a doação é Erulu, uma pequena aldeia da montanha em Ermera que é a terra de alguns membros da família do líder amotinado Gastão Salsinha.

A chefe da aldeia Erulu Lenilda Maia diz que a comunidade recebeu um pedido de desculpas depois de alguns jovens terem sido abusados físicamente por pessoal militar.

Ela diz que os residentes locais se mantém nervosos, e relutantes em começar a colheita do café por receio de encontrarem pessoal militar ou tropas amotinadas.

Diz que se o problema não se resolver em breve, a produção apodrecerá e os rendimentos serão perdidos.

Contudo, ela diz que não há qualquer que a festa de Páscoa restaurará as relações danificadas com os militares.

"Realmente não sabemos se o dinheiro resolverá as coisas, mas veremos depois da festa," disse ela.

Francisco Guterres diz que um número de pessoal militar foi suspenso do serviço activa enquanto pendem investigações, mas diz que não serão demitidos independentememte do resultado da investigação.

"Não demitiremos estes tipos apenas porque deram bofetadas nas pessoas," disse ele.

A deputada Fernanda Borges diz que a resposta dos militares risca "fomentar a impunidade".

"Essa não é uma medida disciplinar forte, (e) isso não é afirmar 'nenhuma tolerância' a violações dos direitos humanos," disse ela.

Ela criticou a decisão de oferecer dinheiro às comunidades em troca de perdão para abusos.

"Eles não deviam começar a prática de usar dinheiro, porque é uma força ainda muito não profissional," disse ela.

Anónimo disse...

It just goes to show that Xanana Gusmao is incapable of running a Nation without recoursing to thr International Forces and National Forces. Xanana is playing with the lives of the Timorese people. He is incapable of making sound decisions. How can he send the F-FDTL Forces to capture Salsinha, after the massacre of the members of PNTL being escorted by UN Police on 25th of May 2006? Good on you Ms. Borges for speaking up for the voiceless. If the International Community want the trust of the Timorese People, forget about friendships and act fairly towards the Timorese People.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.