sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Ten questions for... Tom Hyland

RTÉ (Irlanda) - 22 Feb 2008

Minister for Foreign Affairs Dermot Ahern is currently on a three-day visit to Timor-Leste (formerly East Timor). The visit went ahead despite an attempted
coup last week when the president was shot twice.

Yesterday it was announced that the former Northern Ireland Police Ombudsman, Nuala O'Loan, is to serve as special envoy to Timor-Leste further strengthening Ireland's links with the Southeast Asian country.

To get some further insight into Timor-Leste we asked Tom Hyland some questions.

The former Dublin Bus driver who teaches English in Timor-Leste has been at the forefront of the campaign to highlight the issue in Ireland for more than a decade.


RTÉ.ie: Has the situation calmed down since last week's violence?

Tom Hyland: Yes, we still have a night time curfew in place and that will last until 23 February.

RTÉ.ie: Who do you think was responsible for the attacks on President José Ramos-Horta?

TH: It is claimed that the attacks were carried out a group of rebels who used to be members of the army. Two of them were killed during an exchange of gunfire at the president's house. One was the leader of the rebels, Major Alfredo Reinado.

RTÉ.ie: What type of a role can Ireland play in Timor-Leste?

TH: We have a very important role in the area of conflict resolution. We have some lessons from the Northern Ireland Peace Process that might be shared. We also need to share our lessons on how we developed our economy, particularly in the area of youth unemployment.

RTÉ.ie: Why is Dermot Ahern's visit so important?

TH: It is very important for a number of reasons:

1. It is a signal of support and solidarity following the terrible events of last week and Mr Ahern has taken time out to come and speak on the issue of conflict resolution given our own experiences in the Good Friday agreement.

Also that he has touched on the importance of economic growth in Timor-Leste so that young people have a vested interest in the future of this country. We were very supportive of the Timorese in their struggle for liberation. Mr Ahern also played an important role in bringing the peace process to fruition.

2. We have a very excellent development aid program through Irish Aid which targets the poor and marginalised people of this country.

3. The Timorese look to Ireland as a model on how they can bring peace to their country and prosperity to their people.

RTÉ.ie: How is the relationship between Indonesia and Timor-Leste developing?

TH: Very well. There have been a number of very high level visits to Indonesia and vice-versa. Indonesia is a very important trading neighbour for Timor-Leste and many Timorese students are now studying in Indonesia with the assistance of the Indonesian government.

RTÉ.ie: What brought you to Timor-Leste, and what type of work are you doing there?

TH: I came to Timor to see if there is a role I can play following independence. I teach English and work with a number of community groups.

RTÉ.ie: What are NGOs in Timor-Leste able to achieve in the current climate?

TH: They play a vital role in a number of areas including womens' rights, protection of the environment, protecting human rights, and disseminating information. There are many local NGOs who are very important in this society. They are involved with young people, community groups, unemployment issues, womens' rights, domestic violence, peace issues etc.

RTÉ.ie: Since gaining its independence, the situation has remained turbulent at times. What is the outlook like for Timor-Leste's future, and what challenges does it face?

TH: The issue of unemployment and poverty is the most important issue facing this country. If Timor can offer economic prosperity to its people the future looks good. However, this is not going to happen overnight and the leadership will have to explain this to the people. People need to see the benefits of independence.

RTÉ.ie: Why do you think Timor-Leste has remained largely out of the international headlines?

TH: Well events in Iraq and Kosovo have overtaken Timor. It is only when we have some crisis that we get media interest and that usually is for a short time.
But I do hope there is more to Timor that this. It is a very beautiful place and will be one of the most attractive tourist destinations in the next few years.

RTÉ.ie: Nuala O'Loan has been as a special envoy appointed for conflict resolution in East Timor. What do you think of this development?

TH: The appointment of Nuala O'Loan is a most welcome initiative from the Irish government. She has wide experience not only in the area of policing but also on the economic front. I look forward to welcoming her to Timor in the not-too-distant future.

The appointment of such an eminent person is an indication of the seriousness to which the Irish government and Minister attaches to the issue of Timor-Leste. We in Timor are delighted with the appointment.

###


Tradução:

Dez perguntas para... Tom Hyland

RTÉ (Irlanda) - 22 Fev 2008

O Ministro dos Negócios Estrangeiros Dermot Ahern está correntemente numa visita de três dias a Timor-Leste. A visita realizou-se apesar duma tentativa de golpe na semana passada quando o presidente foi baleado duas vezes.

Ontem foi anunciado que a antiga Ombudsman da Polícia da Irlanda do Norte, Nuala O'Loan, vai server como enviada especial para Timor-Leste para reforçar mais os laços da Irlanda com o país do Sudeste Asiático.

Para obtermos alguma informação sobre Timor-Leste fizemos algumas perguntas a Tom Hyland.

O antigo motorista de autocarros de Dublin que ensina Inglês em Timor-Leste tem estado à frente duma campanha para divulgar a questão na Irlanda há mais duma década.


RTÉ.ie: A situação acalmou desde a violência da semana passada?

Tom Hyland: Sim, temos ainda a imposição do recolher obrigatório que vai durar até 23 de Fevereiro.

RTÉ.ie: Quem é que pensa que foi responsável pelos ataques ao Presidente José Ramos-Horta?

TH: É afirmado que os ataques foram feitos por um grupo de amotinados que antes tinham sido membros das forças armadas. Dois deles foram mortos durante a troca de tiros em casa do presidente. Um foi o líder dos amotinados, Major Alfredo Reinado.

RTÉ.ie: Que papel pode a Irlanda ter em Timor-Leste?

TH: Temos um papel muito importante na área da resolução de conflitos. Temos algumas lições que podem ser partilhados do Processo de Paz da Irlanda do Norte. Precisamos também de partilhar as nossas lições sobre como desenvolvemos a nossa economia, particularmente na área do desemprego juvenil.

RTÉ.ie: Porque é que a visita de Dermot Ahern é tão importante?

TH: É muito importante por uma série de razões:

1. É um sinal de apoio e de solidariedade depois dos eventos terríveis da semana passada e o Sr Ahern tirou tempo para vir e falar da questão da resolução de conflito dadas as nossas próprias experiências no acordo de Sexta-feira de Páscoa.

Ele abordou também a importância do crescimento económico em Timor-Leste de modo a que os jovens tenham mais interesse no futuro deste país. Apoiámos bastante os Timorenses na sua luta de libertação. O Sr Ahern teve também um papel importante na realização do processo de paz.

2. Temos um muito excelente programa de ajuda ao desenvolvimento através da Irish Aid que tem por alvo as pessoas pobres e marginalizadas deste país.

3. Os Timorenses olham para a Irlanda como um modelo sobre como podem trazer a paz para o seu país e a prosperidade para o seu povo.

RTÉ.ie: Como é que se estão a desenvolver as relações entre a Indonésia e Timor-Leste?

TH: Muito bem. Houve uma série de visitas de alto nível para a Indonésia e vice-versa. A Indonésia é um vizinho comercial muito importante para Timor-Leste e muitos estudantes Timorenses estão a estudar agora na Indonésia com a assistência do governo Indonésio.

RTÉ.ie: O que é que o levou para Timor-Leste, e que tipo de trabalho é que está a fazer lá?

TH: Vim para Timor par ver se havia lá um papel para desempenhar a seguir à independência. Ensino Inglês e trabalho com uma série de grupos da comunidade.

RTÉ.ie: O que é que as ONG’s em Timor-Leste podem alcançar no clima corrente?

TH: Elas têm um papel vital numa série de áreas incluindo direitos das mulheres, protecção do ambiente, protecção dos direitos humanos e disseminar informação. Há muitas ONG’s locais que são muito importantes nesta sociedade. Estão envolvidas com jovens, grupos da comunidade, questões do desemprego, direitos das mulheres, violência doméstica, questões da paz, etc.

RTÉ.ie: Desde que ganhou a sua independência, a situação várias vezes manteve-se turbulenta. Qual é a previsão do futuro de Timor-Leste e que desafios enfrenta?

TH: A questão do desemprego e da pobreza são as duas questões mais importantes que o país enfrenta. Se Timor puder oferecer prosperidade económica ao seu povo o futuro parece bom. Contudo isso não vai acontecer do dia para a noite e a liderança terá de explicar isso ao povo. O povo precisa de ver os benefícios da independência.

RTÉ.ie: Porque é que pensa que Timor-Leste tem permanecido largamente fora dos títulos internacionais?

TH: Bem, eventos no Iraque e Kosovo têm ultrapassado Timor. É apenas quando temos uma crise que obtemos o interesse dos media e isso geralmente por um pequeno período de tempo.
Mas tenho esperança que haja mais para Timor que isto. É um belo local e será um dos mais atractivos destinos turísticos nos próximos anos.

RTÉ.ie: Nuala O'Loan foi a enviada especial nomeada para a resolução de conflitos em Timor-Leste. O que pensa deste desenvolvimento?

TH: A nomeação de Nuala O'Loan é uma iniciativa mais bem-vinda do governo Irlandês. Ele tem uma vasta experiência não apenas na área de policiamento mas também na frente económica. Estou ansioso de lhe dar as boas vindas em Timor num futuro não muito distante.

A nomeação duma pessoa tão eminente é um sinal da seriedade que o governo Irlandês e o Ministro dão à questão de Timor-Leste. Nós em Timor estamos encantados com a nomeação.

###

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Dez perguntas para... Tom Hyland
RTÉ (Irlanda) - 22 Fev 2008

O Ministro dos Negócios Estrangeiros Dermot Ahern está correntemente numa visita de três dias a Timor-Leste. A visita realizou-se apesar duma tentativa de golpe na semana passada quando o presidente foi baleado duas vezes.

Ontem foi anunciado que a antiga Ombudsman da Polícia da Irlanda do Norte, Nuala O'Loan, vai server como enviada especial para Timor-Leste para reforçar mais os laços da Irlanda com o país do Sudeste Asiático.

Para obtermos alguma informação sobre Timor-Leste fizemos algumas perguntas a Tom Hyland.

O antigo motorista de autocarros de Dublin que ensina Inglês em Timor-Leste tem estado à frente duma campanha para divulgar a questão na Irlanda há mais duma década.


RTÉ.ie: A situação acalmou desde a violência da semana passada?

Tom Hyland: Sim, temos ainda a imposição do recolher obrigatório que vai durar até 23 de Fevereiro.

RTÉ.ie: Quem é que pensa que foi responsável pelos ataques ao Presidente José Ramos-Horta?

TH: É afirmado que os ataques foram feitos por um grupo de amotinados que antes tinham sido membros das forças armadas. Dois deles foram mortos durante a troca de tiros em casa do presidente. Um foi o líder dos amotinados, Major Alfredo Reinado.

RTÉ.ie: Que papel pode a Irlanda ter em Timor-Leste?

TH: Temos um papel muito importante na área da resolução de conflitos. Temos algumas lições que podem ser partilhados do Processo de Paz da Irlanda do Norte. Precisamos também de partilhar as nossas lições sobre como desenvolvemos a nossa economia, particularmente na área do desemprego juvenil.

RTÉ.ie: Porque é que a visita de Dermot Ahern é tão importante?

TH: É muito importante por uma série de razões:

1. É um sinal de apoio e de solidariedade depois dos eventos terríveis da semana passada e o Sr Ahern tirou tempo para vir e falar da questão da resolução de conflito dadas as nossas próprias experiências no acordo de Sexta-feira de Páscoa.

Ele abordou também a importância do crescimento económico em Timor-Leste de modo a que os jovens tenham mais interesse no futuro deste país. Apoiámos bastante os Timorenses na sua luta de libertação. O Sr Ahern teve também um papel importante na realização do processo de paz.

2. Temos um muito excelente programa de ajuda ao desenvolvimento através da Irish Aid que tem por alvo as pessoas pobres e marginalizadas deste país.

3. Os Timorenses olham para a Irlanda como um modelo sobre como podem trazer a paz para o seu país e a prosperidade para o seu povo.

RTÉ.ie: Como é que se estão a desenvolver as relações entre a Indonésia e Timor-Leste?

TH: Muito bem. Houve uma série de visitas de alto nível para a Indonésia e vice-versa. A Indonésia é um vizinho comercial muito importante para Timor-Leste e muitos estudantes Timorenses estão a estudar agora na Indonésia com a assistência do governo Indonésio.

RTÉ.ie: O que é que o levou para Timor-Leste, e que tipo de trabalho é que está a fazer lá?

TH: Vim para Timor par ver se havia lá um papel para desempenhar a seguir à independência. Ensino Inglês e trabalho com uma série de grupos da comunidade.

RTÉ.ie: O que é que as ONG’s em Timor-Leste podem alcançar no clima corrente?

TH: Elas têm um papel vital numa série de áreas incluindo direitos das mulheres, protecção do ambiente, protecção dos direitos humanos e disseminar informação. Há muitas ONG’s locais que são muito importantes nesta sociedade. Estão envolvidas com jovens, grupos da comunidade, questões do desemprego, direitos das mulheres, violência doméstica, questões da paz, etc.

RTÉ.ie: Desde que ganhou a sua independência, a situação várias vezes manteve-se turbulenta. Qual é a previsão do futuro de Timor-Leste e que desafios enfrenta?

TH: A questão do desemprego e da pobreza são as duas questões mais importantes que o país enfrenta. Se Timor puder oferecer prosperidade económica ao seu povo o futuro parece bom. Contudo isso não vai acontecer do dia para a noite e a liderança terá de explicar isso ao povo. O povo precisa de ver os benefícios da independência.

RTÉ.ie: Porque é que pensa que Timor-Leste tem permanecido largamente fora dos títulos internacionais?

TH: Bem, eventos no Iraque e Kosovo têm ultrapassado Timor. É apenas quando temos uma crise que obtemos o interesse dos media e isso geralmente por um pequeno período de tempo.
Mas tenho esperança que haja mais para Timor que isto. É um belo local e será um dos mais atractivos destinos turísticos nos próximos anos.

RTÉ.ie: Nuala O'Loan foi a enviada especial nomeada para a resolução de conflitos em Timor-Leste. O que pensa deste desenvolvimento?

TH: A nomeação de Nuala O'Loan é uma iniciativa mais bem-vinda do governo Irlandês. Ele tem uma vasta experiência não apenas na área de policiamento mas também na frente económica. Estou ansioso de lhe dar as boas vindas em Timor num futuro não muito distante.

A nomeação duma pessoa tão eminente é um sinal da seriedade que o governo Irlandês e o Ministro dão à questão de Timor-Leste. Nós em Timor estamos encantados com a nomeação.

###

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.