segunda-feira, fevereiro 18, 2008

Indonesian military denies rebels crossed into West Timor

BBC Monitoring Asia Pacific - 17 February 2008

Source: Tempo website, Jakarta, in English 17 Feb 08

Text of report in English by Jems de Fortuna, carried by website of independent Indonesian news magazine Tempo on 17 February

Friday, 15 February, Kupang: The Indonesian military (TNI) of Indonesia's border security troop denied the rumour that the rebel soldiers who were loyal to Alfredo Reinado have infiltrated into West Timor, Indonesia, after being pursued by an Australian-led international troop.

The border area security troop commander, Lt-Col Inf. R.M. Kusdahyono, who was contacted in Atambua Friday (15/2), said that the rumour was misleading. As far as the security in Indonesia's border, this is still conducive.

"There's no infiltration. The activities in border-crossing posts are still normal and so far TNI is on alert in the border area," said Kusdahyono. He acknowledged having suggested the people who live along the border of the two countries to help with the monitoring and to report to the nearest security personnel if they see any suspicious foreigner. "If anyone is brave to pass through, TNI will take firm action," he said.

In spite of the situation, Kusdahyono said that he continues to be on alert and still coordinating with the Indonesian embassy to know about the progress in that country.

Since Thursday (14/2), the international troop continued pursuing 18 people who were alleged to be related to the bloody incident in President Horta's residence, which killed the rebel leader Major Alfredo Reinado along with one subordinate.


Tradução:

Militares Indonésios negam que amotinados fugiram para Timor Oeste

BBC Monitoring Asia Pacific - 17 Fevereiro 2008
Fonte: Tempo website, Jacarta, em Inglês 17 Fev 08

Texto de notícia em Inglês por Jems de Fortuna, no website da revista independente de notícias Indonésia Tempo em 17 Fevereiro

Sexta-feira, 15 Fevereiro, Kupang: A Força Militar Indonésia (TNI) das tropas de segurança da fronteira Indonésia negou os rumores que soldados amotinados leais a Alfredo Reinado se tenham infiltrado para o Oeste Timor, Indonésia, depois de terem sido perseguidos por tropas lideradas pelos Australianos.

O comandante da tropa de segurança da área da fronteira, Tenente-Cor Inf. R.M. Kusdahyono, que foi contactado em Atambua na Sexta-feira (15/2), disse que o rumor era enganador. Tanto quanto respeita a segurança da fronteira Indonésia, este é ainda o caso.

"Não há nenhuma infiltração. As actividades nos postos de passagem da fronteira estão ainda normais e até agora as TNI estão em alerta na área da fronteira," disse Kusdahyono. Ele reconheceu ter sugerido às pessoas que vivem ao longo da fronteira entre os dois países para ajudar com a monitorização e para relatarem ao pessoal de segurança mais próximo se virem qualquer estrangeiro suspeito. "Se alguém tiver a coragem de passar, a TNI actuará com firmeza," disse.

Apesar da situação, Kusdahyono disse que continua em alerta e em coordenação com a embaixada Indonésia para saber dos progressos nesse país.

Desde Quinta-feira (14/2), as tropas internacionais continuam a perseguir 18 pessoas que alegadamente estiveram relacionadas com o incidente sangrento na residência do Presidente Horta, que matou o líder amotinado Major Alfredo Reinado juntamente com um seu subordinado.

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Militares Indonésios negam que amotinados fugiram para o Oeste Timor
BBC Monitoring Asia Pacific - 17 Fevereiro 2008

Fonte: Tempo website, Jacarta, em Inglês 17 Fev 08

Texto de notícia em Inglês por Jems de Fortuna, no website da revista independente de notícias Indonésia Tempo em 17 Fevereiro

Sexta-feira, 15 Fevereiro, Kupang: A Força Militar Indonésia (TNI) das tropas de segurança da fronteira Indonésia negou os rumores que soldados amotinados leais a Alfredo Reinado se tenham infiltrado para o Oeste Timor, Indonésia, depois de terem sido perseguidos por tropas lideradas pelos Australianos.

O comandante da tropa de segurança da área da fronteira, Tenente-Cor Inf. R.M. Kusdahyono, que foi contactado em Atambua na Sexta-feira (15/2), disse que o rumor era enganador. Tanto quanto respeita a segurança da fronteira Indonésia, este é ainda o caso.

"Não há nenhuma infiltração. As actividades nos postos de passagem da fronteira estão ainda normais e até agora as TNI estão em alerta na área da fronteira," disse Kusdahyono. Ele reconheceu ter sugerido às pessoas que vivem ao longo da fronteira entre os dois países para ajudar com a monitorização e para relatarem ao pessoal de segurança mais próximo se virem qualquer estrangeiro suspeito. "Se alguém tiver a coragem de passar, a TNI actuará com firmeza," disse.

Apesar da situação, Kusdahyono disse que continua em alerta e em coordenação com a embaixada Indonésia para saber dos progressos nesse país.

Desde Quinta-feira (14/2), as tropas internacionais continuam a perseguir 18 pessoas que alegadamente estiveram relacionadas com o incidente sangrento na residência do Presidente Horta, que matou o líder amotinado Major Alfredo Reinado juntamente com um seu subordinado.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.