sexta-feira, março 14, 2008

Gastão Salsinha e seus rebeldes escaparam a cerco policial

O Público
2008-03-13 12:54:00

As forças de segurança cercaram os rebeldes durante vários dias na selva do distrito de Ermera, a 75 quilómetros a oeste da capital, Díli, mas eles recusaram a rendição, avançou o comandante das operações, o major Virgílio dos Anjos Ular.

"Nós poderíamos ter matado os rebeldes ontem, se quiséssemos. Mas mudamos de ideia e pedimos apenas que se entregassem", disse Ular à Reuters, via telefone.

O major avançou ainda que os moradores do local ajudaram os rebeldes liderados por Gastão Salsinha a irem para outro lugar na noite de quarta-feira.

O major Ular disse ainda que a operação continua a decorrer e pediu que as pessoas encorajem Salsinha e seus rebeldes a renderem-se, a fim de se evitar um derramamento de sangue.

Os rebeldes atacaram a casa do Presidente José Ramos-Horta no dia 11 de Fevereiro, ferindo-o a tiro. O primeiro-ministro Xanana Gusmão escapou ileso de outro ataque semelhante.

Ramos-Horta, que está a recuperar dos ferimentos na Austrália, identificou o atirador que quase o matou, segundo um jornal australiano.

O atirador foi um dos 600 soldados rebeldes expulsos do Exército depois de uma greve, em 2006, indicou o jornal "Age", citando um familiar Ramos-Horta.

Outro importante rebelde acusado de envolvimento no ataque rendeu-se no início de Março.

2 comentários:

h correia disse...

Será que "escapou" mesmo? Se sim, parece que o tal "apoio táctico" das "ISF" funcionou em pleno...

As FFDTL só têm que pôr em prática as mesmas tácticas que usavam para observar os movimentos do exército javanês: não basta "saber" que fulano "está" aqui ou ali, porque ele pode mover-se, criar manobras de diversão, etc. É preciso manter alguns batedores observando permanentemente todos os movimentos dos alvos. Estes batedores serão rendidos as vezes que forem precisas e terão óculos de visão nocturna para poderem observar os alvos 24 horas por dia. Qualquer alteração táctica será comunicada em tempo real ao comando operacional, que tomará de imediato as decisões adequadas à nova situação. Assim não vejo como pode alguém "escapar".

Anónimo disse...

VIva XANANA, VIVA RAMOS HORTA, VIVA KONIS SANTANA, Viva MATAN RUAK, VIVA NICOLAU LOBATO. VIVA FRANCISCO XAVIER. esses pessoas sao HEROIS.....


NAO VIVA mari alkatiri

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.