sexta-feira, novembro 16, 2007

PM taking advice on Balibo findings

ABC News Online and Australia Network
16.11.2007

Prime Minister John Howard says he is taking advice on what the Government can do in relation to a coroner's finding that five Australian-based journalists were deliberately killed in East Timor 32 years ago.

Deputy state coroner Dorelle Pinch delivered her findings at the Glebe Coroners Court into the death of Brian Peters, one of the Balibo five.

She found the five were killed to prevent them from revealing that Indonesian forces were involved in an attack on the town of Balibo in 1975.

The case will be referred to the federal Attorney-General to consider possible prosecution for war crimes.

Mr Howard says he is seeking advice and the Government will do anything it needs to.

"I think the best thing I can do in relation to that is to take some advice as to what is the appropriate thing to do," he said.

"I want to study what the coroner has said. I take what he said seriously.

"It was a tragic event and we will treat the coroner's report seriously as it should be and if there's anything we need to do, we will do it."


Possible repatriation

Foreign Affairs Minister Alexander Downer says he would like to discuss recommendations made by the coroner with family members of the Balibo five.

"One of them relates to the possible repatriation or removing of the remains of those who were killed, and we will be consulting with the families to see what their wishes are in relation to that and we'll help out if there is any wish to take action on that front," he said.

Mr Downer also says he will look at the coroner's recommendation for a code of conduct for Australian journalists overseas.

"Our journalists of course, others as well, they take a lot of risks and they operate in a very difficult and dangerous environment, so my department would be very happy to sit down with representatives of Australian journalists and work out a code of conduct which we might be able to assist with," he said.

Federal Attorney-General Philip Ruddock says any information referred to him by the coroner will be passed on to the Australian Federal Police and the Commonwealth Director of Public Prosecutions.

Mr Ruddock says it is not his role to assess whether any offence has been committed, as the AFP are responsible for war crimes investigations and the DPP is responsible for prosecuting anyone charged.

The sister of Mr Peters, Maureen Tolfrey, says she would like to see members of the Whitlam administration help in the repatriation of the victims' remains from Jakarta.

"I would like to say to Gough Whitlam and Richard Woolcott, you connived to hide the bodies and the remains, perhaps you could connive now to bring them back to Australia and let them lie in rest," he said.

Indonesia's foreign affairs spokesman, Kristiarto Legowo, says the coroner's finding does not change his government's position on the matter.

"Whatever decision or recommendations that they have made, that will not change our assertion about what happened in Balibo at the time," he said

"So, last but not least this will not change also our position that it is a closed case."

Tradução:

PM está a aconselhar-se sobre as conclusões de Balibo

ABC News Online e Australia Network
16.11.2007

O Primeiro-Ministro John Howard diz que está a aconselhar-se sobre o que pode o Governo fazer em relação às conclusões da investigação que os cinco jornalistas com base na Austrália foram mortos deliberadamente em Timor-Leste há 32 anos atrás.

A vice-investigadora estatal Dorelle Pinch emitiu as conclusões no Tribunal de Investigação de Glebesobre a morte de Brian Peters, um dos cinco de Balibo.

Ela concluiu que os cinco foram mortos para prevenir que revelassem que as forças Indonésias estavam envolvidas num ataque na cidade de Balibo em 1975.

O caso será levado ao procurador-geral federal para considerar a possibilidade de prossecução por crimes de guerra.

O Sr Howard diz que procura aconselhamento e que o Governo fará que for preciso fazer.

"Penso que a melhor coisa que posso fazer é procurar aconselhamento sobre o que é adequado fazer em relação a isto," disse.

"Quero estudar o que disse o investigador. Tomo com seriedade o que ele disse como deve ser feito e se houver alguma coisa que seja preciso fazer, fá-la-emos."

Possível repatriação

O ministro dos estrangeiros Alexander Downer diz que gostaria de discutir as recomendações feitas pelo investigador com os familiares dos cinco de Balibo.

"Um deles refere a possíbilidade de repatriação ou a remoção dos restos dos que foram mortos, e faremos consultas às famílias par ver quais são os seus desejos em relação com isso e ajudaremos se houver desejo em fazerem alguma acção nessa frente," disse.

O Sr Downer diz também que vai analisar as recomendações para um código de conduta para os jornalistas Australianos além-mar.

"Os nossos jornalistas obviamente, outros também, correm muitos riscos e operam em ambientes muito difíceis e perigosos, assim o meu departamento teria prazer em sentar-se com representantes dos jornalistas Australianos e trabalhar um código de conduta com o qual talvez pudéssemos assisti-los," disse.

O Procurador-Geral Federal Philip Ruddock diz que qualquer informação que lhe seja enviada pelo investigador será enviada à Polícia Federal Australiana e ao Director do Ministério Público da Commonwealth.

O Sr Ruddock diz que não é da sua competência avaliar se foi cometido algum crime, dado que a AFP tem a responsabilidade das investigações de crimes de guerra e o DPP é responsável por processar qualquer pessoa acusada.

A irmã do Sr Peters, Maureen Tolfrey, diz que gostaria de ver membros da administração de Whitlam a ajudarem na repatriação dos restos das vítimas de Jacarta.

"Gostaria de dizer a Gough Whitlam e a Richard Woolcott, que foram coniventes a esconderem os corpos e os restos, talvez que pudessem ser coniventes agora a trazê-los de regresso à Austrália e a deixar que descansem em paz," disse.

O porta-voz dos negócios estrangeiros Indonésio, Kristiarto Legowo, diz que as conclusões da investigação não mudarão a posição do seu governo nesta matéria.

"Seja qual for a decisão ou recomendações que tenham feito, não mudarão a nossa asserção acerca do que aconteceu em Balibo na altura," disse

"Assim, por fim mas não menor, isto não mudará também a nossa posição que este é um caso encerrado."

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
PM está a aconselhar-se sobre as conclusões de Balibo
ABC News Online e Australia Network
16.11.2007

O Primeiro-Ministro John Howard diz que está a aconselhar-se sobre o que pode o Governo fazer em relação às conclusões da investigação que os cinco jornalistas com base na Austrália foram mortos deliberadamente em Timor-Leste há 32 anos atrás.

A vice-investigadora estatal Dorelle Pinch emitiu as conclusões no Tribunal de Investigação de Glebesobre a morte de Brian Peters, um dos cinco de Balibo.

Ela concluiu que os cinco foram mortos para prevenir que revelassem que as forças Indonésias estavam envolvidas num ataque na cidade de Balibo em 1975.

O caso será levado ao procurador-geral federal para considerar a possibilidade de prossecução por crimes de guerra.

O Sr Howard diz que procura aconselhamento e que o Governo fará que for preciso fazer.

"Penso que a melhor coisa que posso fazer é procurar aconselhamento sobre o que é adequado fazer em relação a isto," disse.

"Quero estudar o que disse o investigador. Tomo com seriedade o que ele disse como deve ser feito e se houver alguma coisa que seja preciso fazer, fá-la-emos."


Possível repatriação

O ministro dos estrangeiros Alexander Downer diz que gostaria de discutir as recomendações feitas pelo investigador com os familiares dos cinco de Balibo.

"Um deles refere a possíbilidade de repatriação ou a remoção dos restos dos que foram mortos, e faremos consultas às famílias par ver quais são os seus desejos em relação com isso e ajudaremos se houver desejo em fazerem alguma acção nessa frente," disse.

O Sr Downer diz também que vai analisar as recomendações para um código de conduta para os jornalistas Australianos além-mar.

"Os nossos jornalistas obviamente, outros também, correm muitos riscos e operam em ambientes muito difíceis e perigosos, assim o meu departamento teria prazer em sentar-se com representantes dos jornalistas Australianos e trabalhar um código de conduta com o qual talvez pudéssemos assisti-los," disse.

O Procurador-Geral Federal Philip Ruddock diz que qualquer informação que lhe seja enviada pelo investigador será enviada à Polícia Federal Australiana e ao Director do Ministério Público da Commonwealth.

O Sr Ruddock diz que não é da sua competência avaliar se foi cometido algum crime, dado que a AFP tem a responsabilidade das investigações de crimes de guerra e o DPP é responsável por processar qualquer pessoa acusada.

A irmã do Sr Peters, Maureen Tolfrey, diz que gostaria de ver membros da administração de Whitlam a ajudarem na repatriação dos restos das vítimas de Jacarta.

"Gostaria de dizer a Gough Whitlam e a Richard Woolcott, que foram coniventes a esconderem os corpos e os restos, talvez que pudessem ser coniventes agora a trazê-los de regresso à Austrália e a deixar que descansem em paz," disse.

O porta-voz dos negócios estrangeiros Indonésio, Kristiarto Legowo, diz que as conclusões da investigação não mudarão a posição do seu governo nesta matéria.

"Seja qual for a decisão ou recomendações que tenham feito, não mudarão a nossa asserção acerca do que aconteceu em Balibo na altura," disse

"Assim, por fim mas não menor, isto não mudará também a nossa posição que este é um caso encerrado."

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.