sexta-feira, novembro 16, 2007

Balibó: INVESTIGAÇÃO RESPONSABILIZA INDONÉSIA

Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007

A investigação judicial realizada na Austrália sobre a morte do britânico Brian Peters, um dos cinco jornalistas assassinados em 1975 no Timor-Leste, responsabilizou nesta sexta-feira o Exército indonésio pelo crime, e recomendou o início de um julgamento por crimes de guerra.

A juíza Dorelle Pinch concluiu que os indícios apresentados na investigação, aberta em Fevereiro, demonstram que as vítimas foram assassinadas pelo Exército indonésio para evitar que a imprensa divulgasse a brutal invasão do Timor pela Indonésia. Pinch enviará as suas conclusões ao Procurador-geral da Austrália, Philip Ruddock.

Ele tem jurisdição para iniciar um julgamento por crime de guerra, de acordo com as convenções de Genebra.

Ao ler as conclusões, a juíza disse que os jornalistas morreram por causa de "tiros ou facadas que foram dados de forma deliberada, e não numa situação de luta, por membros das forças especiais indonésias".

Pinch apontou como dois dos autores do assassinato o comandante Christoforus da Silva e o capitão Yunus Yosfiah. Eles comandavam a unidade militar que, em 16 de Outubro de 1975, se encontrava em Balibo, onde começou a invasão militar da ex-colônia portuguesa.

Ainda segundo Pinch, há provas circunstanciais de que o chefe das Forças Especiais Indonésias, o general Benny Murdani, e o coronel Dading Kalbuadi, comandante do Grupo de Forças Especiais, teriam dado a ordem para a execução dos repórteres.Os britânicos Brian Peters e Malcolm Rennie, os australianos Greg Shackleton e Tony Stewart e o neozelandês Gary Cunningham eram os únicos jornalistas estrangeiros que permaneciam no Timor-Leste quando a Indonésia se preparava para invadir o território.

A versão oficial da Indonésia é de que eles ficaram presos entre o fogo do Exército indonésio e o dos independentistas timorenses em Balibo.

EFE mg mf/US

1 comentário:

h correia disse...

Atendendo a estas conclusões sobre os crimes de Balibó, certos responsáveis políticos australianos deveriam ser julgados, pelo encobrimento destes crimes e pela cumplicidade demonstrada com os criminosos indonésios.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.