quinta-feira, março 27, 2008

Reinado on TV as hunt went awry

Lindsay Murdoch, Darwin-March 26, 2008
The Age

ALFREDO Reinado, the rebel leader who led last month's attacks in Dili, turned up at a television studio in Jakarta while Australian soldiers were hunting him in East Timor's mountains.

Confirmation of Reinado's ability to travel to Jakarta while he was East Timor's most wanted fugitive will fuel speculation that unidentified figures in Indonesia were behind the February 11 attacks.

The Age has confirmed Reinado, wearing an army uniform, was interviewed in the Jakarta studio of Metro TV for a program that aired on May 21 last year.

It has also been confirmed that Reinado arrived at the station in Jakarta with at least one armed bodyguard.

Australian Federal Police in Jakarta later went to the station, but Reinado had already recorded the interview and was long gone.

In the interview, the Australian-trained Reinado spoke about his life on the run in East Timor, where he was wanted for several murders and armed rebellion.

Reinado spoke about his frustration in trying to negotiate a deal for his surrender with East Timor leaders Xanana Gusmao and Jose Ramos Horta. They were playing political games, he said.

Mr Gusmao, who is now Prime Minister, and Mr Ramos Horta, who is President, were the targets of the attacks by two groups of Reinado's men on February 11. Mr Ramos Horta was seriously wounded and has been recovering in Darwin and Mr Gusmao was unhurt.

The investigation into the attacks has focused on the rebels' motive and who paid them large sums of money, some of which was found on Reinado's body after he was shot dead at Mr Ramos Horta's house.

Investigators have traced some of the money to a bank account in Dili.

A visit to Dili in late January by Jakarta gangster Hercules Rozario Marcal prompted calls in Dili for the terms of reference for an international commission of inquiry into the attacks to be widened.

Timorese-born Hercules, described by the Indonesian press as "king of gangsters", was on the same Metro TV program as Reinado last year.

Hercules has denied any involvement in the attacks.

Hercules and Reinado as teenagers had served as porters for the Indonesian army.

By the early 1990s, Hercules was living in the Jakarta house of Zacky Anwar Makarim, an army major-general indicted by a 2003 UN war crimes panel for allegedly orchestrating a campaign to undermine the independence referendum in East Timor in which 1500 people were killed.

Jakarta has refused to put him on trial or extradite him.

Tradução:

Reinado na TV enquanto a caça corria mal

Lindsay Murdoch, Darwin-Março 26, 2008
The Age

ALFREDO Reinado, o líder amotinado que liderou os ataques do mês passado em Dili, apareceu num estúdio de televisão em Jacarta enquanto os soldados Australianos o perseguiam nas montanhas de Timor-Leste.

A confirmação da capacidade de Reinado de viajar para Jacarta quando era o foragido mais procurado de Timor-Leste alimentará a especulação que figuras não identificadas na Indonésia estiveram por detrás dos ataques de 11 de Fevereiro.

The Age confirmou que Reinado, vestindo um uniforme das forças armadas, foi entrevistado num estúdio em Jacarta da Metro TV para um programa que foi para o ar em 21 de Maio do ano passado.

Foi também confirmado que Reinado chegou à estação em Jacarta com pelo menos um guarda-corpo armado.

A Polícia Federal Australiana em Jacarta foi mais tarde à estação, mas Reinado já tinha gravado a entrevista e já partira há muito.

Na entrevista, Reinado, formado pelos Australianos falou sobre a sua vida de foragido em Timor-Leste, onde era procurado por vários homicídios e rebelião armada.

Reinado falou da sua frustração em tentar negociar um acordo para a sua rendição com os líderes de Timor-Leste Xanana Gusmão e José Ramos Horta. Eles andavam com jogos políticos, disse ele.

O Sr Gusmão, que é agora Primeiro-Ministro e o Sr Ramos Horta, que é Presidente, foram os alvos dos ataques por dois grupos de homens de Reinado em 11 de Fevereiro. O Sr Ramos Horta ficou ferido com gravidade e está a recuperar em Darwin e o Sr Gusmão saiu ileso.

A investigação aos ataques tem-se focado nos motivos dos amotinados e sobre quem é que lhes pagou grandes quantias de dinheiro, algum do qual foi encontrado no corpo de Reinado depois de ter sido morto a tiro em casa do Sr Ramos Horta.

Os Investigadores seguiram a pista de algum do dinheiro numa conta bancária em Dili.

Uma visita a Dili no fim de Janeiro pelo gangster de Jacarta Hércules Rosário Marçal desencadeou apelos em Dili para serem alargados os termos de referência para uma comissão internacional de inquérito aos ataques.

Hércules Timorense por nascimento, descrito pelos media Indonésios como "rei dos gangsters", esteve no mesmo programa da Metro TV como Reinado no ano passado.

Hércules negou qualquer envolvimento nos ataques.

Hércules e Reinado quando foram adolescentes serviram como carregadores para as forças armadas Indonésias.

No princípio dos anos 1990s, Hércules estava a viver na casa de Jacarta de Zacky Anwar Makarim, um major-general das forças armadas indiciado por um painel de crimes de guerra da ONU por alegadamente ter orquestrado uma campanha para minar o referendo da independência em Timor-Leste no qual foram mortas 1500 pessoas.

Jacarta tem recusado levá-lo a julgamento ou extraditá-lo.

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Reinado na TV enquanto a caça corria mal
Lindsay Murdoch, Darwin-Março 26, 2008
The Age

ALFREDO Reinado, o líder amotinado que liderou os ataques do mês passado em Dili, apareceu num estúdio de televisão em Jacarta enquanto os soldados Australianos o perseguiam nas montanhas de Timor-Leste.

A confirmação da capacidade de Reinado de viajar para Jacarta quando era o foragido mais procurado de Timor-Leste alimentará a especulação que figuras não identificadas na Indonésia estiveram por detrás dos ataques de 11 de Fevereiro.

The Age confirmou que Reinado, vestindo um uniforme das forças armadas, foi entrevistado num estúdio em Jacarta da Metro TV para um programa que foi para o ar em 21 de Maio do ano passado.

Foi também confirmado que Reinado chegou à estação em Jacarta com pelo menos um guarda-corpo armado.

A Polícia Federal Australiana em Jacarta foi mais tarde à estação, mas Reinado já tinha gravado a entrevista e já partira há muito.

Na entrevista, Reinado, formado pelos Australianos falou sobre a sua vida de foragido em Timor-Leste, onde era procurado por vários homicídios e rebelião armada.

Reinado falou da sua frustração em tentar negociar um acordo para a sua rendição com os líderes de Timor-Leste Xanana Gusmão e José Ramos Horta. Eles andavam com jogos políticos, disse ele.

O Sr Gusmão, que é agora Primeiro-Ministro e o Sr Ramos Horta, que é Presidente, foram os alvos dos ataques por dois grupos de homens de Reinado em 11 de Fevereiro. O Sr Ramos Horta ficou ferido com gravidade e está a recuperar em Darwin e o Sr Gusmão saiu ileso.

A investigação aos ataques tem-se focado nos motivos dos amotinados e sobre quem é que lhes pagou grandes quantias de dinheiro, algum do qual foi encontrado no corpo de Reinado depois de ter sido morto a tiro em casa do Sr Ramos Horta.

Os Investigadores seguiram a pista de algum do dinheiro numa conta bancária em Dili.

Uma visita a Dili no fim de Janeiro pelo gangster de Jacarta Hércules Rosário Marçal desencadeou apelos em Dili para serem alargados os termos de referência para uma comissão internacional de inquérito aos ataques.

Hércules Timorense por nascimento, descrito pelos media Indonésios como "rei dos gangsters", esteve no mesmo programa da Metro TV como Reinado no ano passado.

Hércules negou qualquer envolvimento nos ataques.

Hércules e Reinado quando foram adolescentes serviram como carregadores para as forças armadas Indonésias.

No princípio dos anos 1990s, Hércules estava a viver na casa de Jacarta de Zacky Anwar Makarim, um major-general das forças armadas indiciado por um painel de crimes de guerra da ONU por alegadamente ter orquestrado uma campanha para minar o referendo da independência em Timor-Leste no qual foram mortas 1500 pessoas.

Jacarta tem recusado levá-lo a julgamento ou extraditá-lo.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.