sábado, fevereiro 23, 2008

Irlanda nega disponibilidade para acolher "peticionários"

Dili, 23 Fev (Lusa) - A Irlanda desmentiu ter-se oferecido para acolher soldados rebeldes timorenses para ajudar a resolver a crise em Timor-Leste, indicou hoje um porta-voz da embaixada da Irlanda em Singapura.

Fernando "La Sama" de Araújo, que substitui temporariamente o presidente José Ramos-Horta, ferido a tiro com gravidade e internado num hospital da Austrália, informara quinta-feira que esta oferta lhe fora feita pelo ministro dos Negócios Estrangeiros irlandês, Dermot Ahern, em visita a Díli.

Segundo "La Sama", a Irlanda estaria disponível para acolher os soldados amotinados que "quisessem começar uma vida nova, por exemplo no sector privado".

De acordo com o porta-voz da embaixada da Irlanda, Dermot Ahern deixou claro em Dili que isso não seria boa opção, porque provocaria um 'um êxodo de cérebros' de Timor Leste".

O exército foi abalado por uma cisão em 2006, quando parte dos seus efectivos (os "peticionários", em número de cerca de 600 homens), se consideraram vítimas de discriminações e desertou.

A reintegração na sociedade destes militares amotinados constitui hoje um problema, enquanto que um "núcleo duro" destes soldados continua a monte e é acusado de desestabilizar a jovem nação.

Timor-Leste faz parte de um grupo de nove países prioritários aos quais Dublin presta assistência.

Desde a vaga de violência de Junho de 2006, polícias e soldados estrangeiros (principalmente australianos e portugueses), sob mandato das Nações Unidas, asseguram a segurança em Timor-Leste.

Isso não impediu o duplo ataque do passado dia 11 visando o primeiro-ministro, Xanana Gusmão (que escapou aos tiros) e o presidente José Ramos-Horta, seriamente ferido e transferido para um hospital australiano.

JMS.
Lusa/Fim

2 comentários:

Margarida disse...

1 - “A Irlanda vai acolher os soldados amotinados que “desejem iniciar uma nova vida, como por exemplo no sector privado”, afirmou Fernando “La Sama” Araújo depois de um encontro com Dermot Ahern. (21 Fev)

2 - “A Irlanda desmentiu ter-se oferecido para acolher soldados rebeldes timorenses para ajudar a resolver a crise em Timor-Leste, indicou hoje um porta-voz da embaixada da Irlanda em Singapura. Dermot Ahern deixou claro em Dili que isso não seria boa opção, porque provocaria um 'um êxodo de cérebros' de Timor Leste". (23 Fev)

Bastara DOIS DIAS para caçar o mentiroso!

h correia disse...

Essa de chamar "cérebros" aos "amotinados" teve piada.

Mas, entre os "não amotinados" também há boa matéria-prima...

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.