sábado, março 29, 2008

PM Xanana Gusmão contra "povo pobre num país rico"

Díli, 29 Mar (Lusa) - O primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, defendeu hoje perante os doadores internacionais a estratégia para alterar "a situação de povo pobre em país rico".

"Creio que todos os parceiros de desenvolvimento (de Timor-Leste) consideraram que a mudança de estratégia que este governo apresentou pode mudar esta situação de povo pobre num país rico", afirmou o primeiro-ministro no encerramento do encontro de doadores.

"As decisões não vão ser fáceis e fomos também alertados de que o programa é ambicioso. Sabemos disso", afirmou Xanana Gusmão no final de dois dias de reuniões com os parceiros internacionais.

O Governo timorense, através do vice-primeiro-ministro, José Luís Guterres, e da ministra das Finanças, Emília Pires, apresentou aos doadores um Apelo Estratégico Transitório (TSA) no valor de 33 milhões de dólares (20 milhões de euros).

Apenas a Austrália respondeu positivamente, de imediato, ao apelo timorense, prometendo contribuir com quatro milhões de dólares australianos (2,3 milhões de euros).

Os restantes doadores remeteram eventuais decisões positivas para mais tarde, após consultas com os respectivos governos e decorrido mais algum tempo sobre a execução orçamental de 2008.

Vários participantes do encontro sublinharam que foi apenas há uma semana que receberam as linhas de justificação do TSA.

Para a reunião de doadores, o Governo preparou um documento em que expôs as seis prioridades de desenvolvimento para 2008, sob o título "Trabalhando em Conjunto para Construir os Alicerces da Paz e Estabilidade e Melhorar as Condições de Vida dos Cidadãos Timorenses".

Segurança pública, segurança social e solidariedade, política de juventude, emprego e criação de rendimento, aumento da eficácia dos serviços sociais e, por último, governação limpa e eficaz constituem as prioridades apresentadas aos doadores.

No discurso de encerramento, Xanana Gusmão deu alguns exemplos do que o seu Governo fez ou pretende fazer para concretizar essas prioridades.

"O Governo está a providenciar segurança jurídica sobre os direitos de propriedade, que irão, ainda este ano, colmatar parte da lacuna existente" nessa área, anunciou o primeiro-ministro.

"Para melhorar o sector público de prestação de serviços, estamos também a estudar formas mais eficientes de investimento do Fundo de Petróleo. Este está a aumentar gradualmente, havendo potencial para um maior aumento no retorno dos investimentos", afirmou Xanana Gusmão.

"Estamos a considerar a actual estratégia de investimento e a gestão do Fundo com vista a explorar ao máximo as possibilidades dentro da Lei do Fundo Petrolífero, no sentido de maximizar o valor total das receitas provenientes deste sector", explicou o chefe de Governo aos doadores.

"Como contrapartida da generosidade, mas também, e não menos importante, do apoio moral" dos doadores, Xanana Gusmão prometeu "garantir a transparência dos processos e dos financiamentos e a obtenção de resultados concretos e quantificáveis, como prova de bom desempenho".

No encontro de doadores participaram responsáveis da Cooperação Portuguesa em Díli e em Lisboa, incluindo o presidente do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), Manuel Correia.

O presidente do IPAD considerou, no final do encontro, que "mais importante do que o dinheiro (dos doadores) é a eficácia e complementaridade".

PRM
Lusa/fim

3 comentários:

Anónimo disse...

"Povo pobre em país rico"!... A demagogia do costume! Mais uma das suas "tiradas" altisonantes mas ocas!
Qual será o governo do mundo que não diz exactamente a mesma coisa, ipsis verbis? Com a excepção do do Mugabe, claro! Bem fizeram os doadores que lhe disseram, na prática, "tá bem, filho, cantas bem mas não me enganas..."
Tantos objectivos ao mesmo tempo, credo!... Ai Maromak!
"20" em demagogia; "0" em metodologia de política económica!

h correia disse...

Os países doadores estão fartos de enterrar dinheiro em TL, enquanto os "líderes" timorenses passam a vida com guerras, golpes e atentados.

Anónimo disse...

Só alguém muito parvo pode dar dinheiro depois de ver aquelas cenas todas há 2 anos atrás: pilhagens, roubos, computadores e outro material de escritório espelhados no chão e pontapeados, ou levados às costas pelas multidões.... enfim, milhões e milhões enterrados.

Ou então, emprestar dinheiro com garantias de que será pago.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.