quinta-feira, outubro 04, 2007

Steve Bracks to work with giant KPMG

Herald Sun
Ellen Whinnett
October 04, 2007 12:00am

FORMER premier Steve Bracks has accepted a job advising KPMG on government affairs.

The auditing and accounting giant said yesterday Mr Bracks had been appointed to the firm's advisory board.

Mr Bracks, who resigned as premier on July 27, has also joined the board of insurance giant Jardine Lloyd Thompson Australia, and has been appointed vice-president of the advisory board of AIMS Financial Group.

The former school teacher has also accepted a post as an honorary professorial fellow at the arts faculty of the University of Melbourne.

The appointments come a month after Mr Bracks accepted a pro bono job as adviser to East Timor's new PM, Xanana Gusmao.

KPMG has won a number of State Government jobs in recent years, including doing an economic assessment of the 2006 Commonwealth Games.

Mr Bracks will work one day a week for KPMG. He started this week.

KPMG national chairman Michael Andrew said Mr Bracks was the second former premier to join the firm as an adviser. Former WA Liberal premier Richard Court is also on its advisory board.

Mr Andrew said Mr Bracks would be invaluable in helping KPMG to better serve clients.

"Clients will benefit from his deep knowledge of how government works and from his insights into strategic issues facing governments, particularly in the area of reform of Commonwealth-state relations and traditional public services,'" Mr Andrew said.

The company said Mr Bracks would help develop the leadership capacity and knowledge of government of young partners and staff at KPMG, along with strategic advice to the board and senior managers.

Mr Bracks, who got his degree at the then-College of Advanced Education at Ballarat, now linked to the University of Melbourne -- will chair public policy forums for the university.

A series of lunchtime lectures on topics such as the impact of climate change, the ethics of stem cell research and Australia's role in East Timor is being planned.

2 comentários:

Anónimo disse...

How much did KPMG payed for this post?

By the way, regarding the "pro bono" advisory to our beloved prime minister:

"Não há almoços grátis." *

* - There is no such thing as a free lunch.

Margarida disse...

Tradução:
Steve Bracks vai trabalhar para gigante KPMG

Herald Sun
Ellen Whinnett
Outubro 04, 2007 12:00am

O antigo premier Steve Bracks aceitou um emprego de conselheiro no KPMG sobre assuntos do governo.

O gigante de auditoria e de contabilidade disse ontem que o Sr Bracks tinha sido nomeado para o Conselho Consultivo da firma.

O Sr Bracks, que resignou como premier em 27 de Julho, juntou-se ainda à administração do gigante das seguradoras Jardine Lloyd Thompson Australia, e foi nomeado vice-presidente do Conselho Consultivo do Grupo Financeiro AIMS.

O antigo professor aceitou ainda um posto na faculdade de artes da Universidade de Melbourne como membro honorário professoral.

As nomeações vieram um mês depois do Sr Bracks ter aceite um emprego como conselheiro do novo PM de Timor-Leste, Xanana Gusmão.

A KPMG ganhou uma série de posições no Governo do Estado em anos recentes, incluindo a feitura da avaliação económica dos Jogos da Commonwealth de 2006.

O Sr Bracks trabalhará um dia por semana para a KPMG. Começou esta semana.

O presidente nacional da KPMG Michael Andrew disse que o Sr Bracks era o Segundo antigo premier a juntar-se à firma como conselheiro. O antigo WA Liberal premier Richard Court está também no Conselho Consultivo.

O Sr Andrew disse que o Sr Bracks será incalculável para ajudar a KPMG a melhor servir os seus clientes.

"Os clientes beneficiarão dos seus profundos conhecimentos em como o governo trabalha e da sua visão dos assuntos estratégicos que os governos enfrentam, particularmente na área da reforma das relações Commonwealth-Estado e dos serviços públicos tradicionais,'" disse o Sr Andrew.

A companhia disse que o Sr Bracks ajudará a desenvolver a capacidade de liderança e o conhecimento do governo a sócios jovens e ao pessoal da KPMG, juntamente com aconselhamento estratégico aos administradores da Administração e seniores.

O Sr Bracks, que se formou no então Colégio de Educação Avançada em Ballarat, agora ligada à Universidade de Melbourne – presidirá a fóruns de política pública para a universidade.

Estão a ser planeadas uma série de palestras à hora do almoço sobre tópicos como o impacto da mudança climática, as éticas da investigação de células estaminais e o papel da Austrália em Timor-Leste.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.