quarta-feira, maio 14, 2008

UNMIT Daily Media Review - 14 May 2008

UNMIT-MEDIA

(International news reports and extracts from national media. UNMIT does not vouch for the accuracy of these reports)


Press Club, RTTL sign agreement – Televisaun Timor-Leste

Radio-Televisaun Timor-Leste (RRTL) and the Timor-Leste Press Club have signed a "Meet the Press" agreement on Tuesday (13/5) to disseminate information through Televisaun Timor-Leste (TVTL).

The accord was signed in the offices of TVTL in Caicoli, Dili by the Director of RTTL Antonio Dias and the President of the Press Club Domingos Saldanha.

Mr. Saldanha said that the accord was a real step to facilitate RTTL as a public medium to disseminate information about the "Meet the Press" programs through TVTL's studios.

“The Press Club wants to sign an accord with RTTL because RTTL is a public broadcaster whose branches could reach the people in the country, as well to foreign countries. That is why Press Club chose RTTL to transmit the Club's programs,” said Mr. Saldanha.

The Director of RTTL said that the agreement is also a positive step to disseminate information to the public.

“In this cooperation we hope that this is the first step between the Timor-Leste Press Club and TVTL to show the public that there is space to disseminate information to them,” said Mr. Dias.

The accord also states that the Timor-Leste Press Club will pay TVTL US$1,000 per year to disseminate their programs.

President: State to review work of the Joint Operation Command – Suara Timor Lorosa’e

President José Ramos-Horta said that the State is going to review the work of the Joint Operation Command in order to determine whether its mandate should be continued or not.

“We have discussed many things related to the current situation which concern the State’s efforts to strengthen national stability. We also discussed the review of the mandate of the Joint Operation Command to determine whether it should be continued or not,” said the President José Ramos-Horta to journalists after a meeting on Tuesday (13/5) at the President's office in Farol, Dili.

During the meeting, participants addressed the importance of both the F-FDTL and PNTL working together to strengthen the confidence that they have gained from the people since the crises broke out in 2006.

Meanwhile President José Ramos-Horta asked the petitioners to accept the proposed offer from the Government. If they want to rejoin military, they should follow the recruitment process. Those who want to return to civilian life should prepare themselves to receive a grant from the government to restart their lives.

“I believe that the recruitment process will be fair. The trained commanders will know and understand what to do,” said Horta.

MP: future election not decided by one party – Suara Timor Lorosa’e

PUN MP Fernanda Borges said that the future election is not decided by one party and is not something that only belongs to only one group. There was no need to discuss interests that belong to one party during this stage because everything has to be decided based on legal procedures.

“We need to know that there is a constitution, that the existing government has the confidence of the members of the National Parliament,” said MP Fernanda Borges on Tuesday (13/5) at National parliament.

PUN MP Fernanda Borges added that the AMP alliance members are only keen to listen to various rumours. She said that if this alliance was not going stand together confidently in the Parliament, then this government could fall.

Separately, KOTA MP Olinda Guterres said there is no need to obsess about the future election, as it was better for everyone to tackle current problems facing the nation.

“I would like to say that our people have suffered too much. There is no need to create more politics in order to politicize people and bring suffering to the people,” said Olinda Guterres.

AMP’s meeting: UNDERTIM to join – Diario Nacional and Timor Post

The Alliance of Majority in Parliament (AMP) held a meeting on Tuesday (13/5) in the residence of President of the National Parliament which was attended by CNRT President Kay Rala Xanana Gusmão, PSD President Mario Viegas Carrascalão, ASDT President Francisco Xavier do Amaral, PD President Fernando Lasama, and President UNDERTIM Cornelio Gama. The meeting was aimed at welcoming UNDERTIM in order to strengthen the position of the alliance to withstand any efforts to weaken it

CNRT President Gusmão explained that the meeting was held to discuss UNDERTIM joining the AMP. "We welcome it to strengthen the AMP,” explained Mr. Gusmão.

Separately, ASDT President Mr. Xavier said that his party is still in the AMP. The coalition of ASDT-Fretilin is not going to break the AMP down.

In addition, UNDERTIM President Mr. Gama said that his party is going to join AMP because they have the same programs to be implemented.

“We join AMP with the conscience that the AMP’s programs now being implemented are part of UNDERTIM’s programs, such as, giving attention to the veterans and vulnerable people. Another reason to join AMP is that some people trying to break the AMP, and we are joining to strengthen it,” said Mr. Gama.

PR Ramos-Horta: the petitioners not to be mixed in the new recruitment – Diario Nacional

President José Ramos-Horta said he is asking to not mix the new F-FDTL candidates with the petitioners in the recruitment process.

PR Horta said the decision made by the State is still the same: those who want to return to the military are welcomed through recruitment process and those who want to leave will be directly supported by the Government to make better their lives.

“If some petitioners might be disappointed then it should be explained that for those who were previously sergeants or officers, they will be allowed to take their posts. But they will have to undergo new training as have been away from the barracks for two years.

I think that the recruitment will take some time. It may be started with the [groups] of the petitioners, then the new candidates” said PR Horta on Tuesday (13/5) in Farol Dili.

Ed: What if I do not pass the recruitment …? – Diario Nacional

On Monday (12/5), the Government of the Alliance of Majority in Parliament (AMP) officially announced the results of the questionnaires submitted by the petitioners as one of the ways to solve their problems.

The results show that 339 petitioners want to return to the military and follow the recruitment process, and the other 356 prefer to be civilians.

The decision they made does not have significantly different implications. Those who return to F-FDTL will have their monthly salary as military personnel. The others will have equivalent of three years of salary as F-FDTL members.

The salary range will be US$3,600 to $7,260. PM Gusmão said that this is not small change.

Where does the money come from - from the State Budget or other sources?

If it comes from 2008 State Budget, was this planned for or not?

The public should know that the money is spent in order to guarantee transparency and accountability.

What to do if the petitioners are not recruited in the recruitment process? Do they still having the right to get three years salary or not?

The Government should take this into consideration to avoid any unwanted things happening in the future. We wait …

Horta wants UN to stay in E Timor – Angola Press, 13 May

United Nations should stay in East Timor until at least 2012, President Jose Ramos Horta has said.

He also said that there was still great potential instability and the country needed more time to organize its police and the economy. Mr Ramos Horta was seriously injured in an assassination attempt in February.

An Australian-led peacekeeping force returned to East Timor in 2006 after outbreaks of political violence which paralyzed the country.

Mr Ramos Horta said that peace in his country remained precarious and that he would like a UN presence in East Timor for at least the next five years. He also said it was likely the country would need Australian-led forces to stay on into next year.

Mr Ramos Horta narrowly survived a shooting attack by rebel soldiers in February, and said now was not the time for East Timor to handle its security situation alone.

"I want to play safe. I don’t want to, for sake of patriotism, pride, that we should ask sorry, now you can leave.

"We should be very cautious. That’s why I have said to UN we need UN police here for at least 5 years - up to 2012."

He said the numbers and the mission could change, but that a UN force of some kind was needed "to give us the time and space to reorganize our defence force, our police force, to improve our economy, to reduce the social tensions arising from poverty and unemployment".

Many people have criticized the UN for pulling out too soon in those early years - but Mr Ramos Horta said East Timor itself must accept some of that blame.

The unwillingness of UN contributors to pay for long peacekeeping missions, said Mr Ramos Horta, is a major problem.

Committing to a country like East Timor for several years - rather than in six or 12-month cycles - he said, would mean big improvements.


UNMIT MEDIA MONITORING
http://www.unmit.org/

Tradução:

UNMIT Revista Diária dos Media - 14 Maio 2008

UNMIT-MEDIA

(Relatos de notícias internacionais e extractos de media nacionais. A UNMIT não garante a correcção destes relatos)


Press Club, RTTL assinam acordo – Televisaun Timor-Leste

Radio-Televisaun Timor-Leste (RRTL) e o Timor-Leste Press Club assinaram um acordo "Encontro com a Imprensa" na Terça-feira (13/5) para disseminar informação através da Televisaun Timor-Leste (TVTL).

O acordo foi assinado nos escritórios da TVTL em Caicoli, Dili pelo director da RTTL António Dias e o Presidente do Press Club Domingos Saldanha.

O Sr. Saldanha disse que o acordo era um passo real para facilitar à RTTL como meio público a disseminação da informação nos programas "Encontros com a Imprensa" através dos estúdios da TVTL.

“O Press Club quer assinar um acordo com a RTTL porque a RTTL é um emissor público cujos ramos podem atingir as pessoas no país, bem como países estrangeiros. Foi por isso que o Press Club escolheu a RTTL para transmitir os programas do Club,” disse o Sr. Saldanha.

O Director da RTTL disse que o acordo é também um passo positivo para disseminar a informação à população.

“Nesta cooperação esperamos que este seja um primeiro passo entre o Timor-Leste Press Club e a TVTL para mostrar à população que há espaço para lhes disseminar informação,” disse o Sr. Dias.

O acordo também afirma que o Timor-Leste Press Club pagará à TVTL US$1,000 por ano para disseminar os seus programas.

Presidente: Estado vai rever o trabalho do Comando da Operação Conjunta – Suara Timor Lorosa’e

O Presidente José Ramos-Horta disse que o Estado vai rever o trabalho do Comando da Operação Conjunta de modo a determinar se o seu mandato deve ser continuado ou não.

“Discutimos muitas coisas relacionadas com a corrente situação que preocupam os esforços do Estado para reforçar a estabilidade nacional. Discutimos também a revisão do mandato do Comando da Operação Conjunta para determinar se deve ser continuado ou não,” disse o Presidente José Ramos-Horta aos jornalistas depois de um encontro na Terça-feira (13/5) no gabinete do Presidente no Farol, Dili.

Durante o encontro, participantes salientaram a importância de ambas F-FDTL e PNTL trabalharem juntas para reforçar a confiança que ganharam no povo desde que irrompeu a crise em 2006.

Entretanto o Presidente José Ramos-Horta pediu aos peticionários para aceitarem a oferta proposta pelo Governo. Se se quiserem re-integrar na força militar, têm de seguir o processo de recrutamento. Os que quiserem voltar para a vida civil devem preparar-se para receber a doação do governo para recomeçar as suas vidas.

“Acredito que o processo de recrutamento será justo. Os comandantes de formação saberão e compreendem o que fazer,” disse Horta.

Deputada: futuras eleições não são decididas por um partido – Suara Timor Lorosa’e

A deputada do PUN Fernanda Borges disse que as futuras eleições não são decididas por um partido e que não é coisa que pertença apenas a um grupo. Não há necessidade de discutir interesses que pertencem a um partido neste estágio porque tudo tem de ser decidido com base em procedimentos legais.

“Precisamos de saber que há uma constituição, que o governo existente tem a confiança dos membros do Parlamento Nacional,” disse a deputada Fernanda Borges na Terça-feira (13/5) no Parlamento Nacional.

A deputada do PUN Fernanda Borges acrescentou que os membros da AMP estão apenas disponíveis para ouvir vários rumores. Disse que se esta aliança não se vai manter junta com confiança no Parlamento, então este governo pode cair.

Em separado a deputada do KOTA Olinda Guterres diz que não há necessidade de estarem obssecados com eleições futuras, dado que é melhor toda a gente resolver os problemas correntes que a nação enfrenta.

“Quero dizer que o nosso povo sofreu demasiado. Não há necessidade de fazer mais política para politicizar o povo e levar sofrimento ao povo,” disse Olinda Guterres.

Encontro da AMP: UNDERTIM vai juntar-se – Diario Nacional and Timor Post

A Aliança da Maioria no Parlamento (AMP) realizou um encontro na Terça-feira (13/5) na residência do Presidente do Parlamento Nacional onde participaram o Presidente do CNRT Kay Rala Xanana Gusmão, o Presidente do PSD Mário Viegas Carrascalão, o Presidente da ASDT Francisco Xavier do Amaral, o Presidente do PD Fernando Lasama, e o Presidente do UNDERTIM Cornélio Gama. O encontro teve o objectivo de saudar a entrada do UNDERTIM de modo a reforçar a posição da aliança para aguentar quaisquer esforços para a enfraquecer

O Presidente do CNRT Gusmão explicou que o encontro se fez para discutir a entrada do UNDERTIM na AMP. "Damos-lhes as boas vindas para reforçar a AMP,” explicou o Sr. Gusmão.

Em separado, o Presidente da ASDT Sr. Xavier disse que o seu partido está ainda na AMP. A coligação ASDT-Fretilin não vai derrubar a AMP.

Em adição, o Presidente do UNDERTIM Sr. Gama disse que o seu partido se vai juntar à AMP porque têm os mesmos programas para implementar.

“Juntamo-nos à AMP com a consciência de que os programas da AMP agora a serem implementados são parte dos programas do UNDERTIM, tais como, dar atenção aos veteranos e pessoas vulneráveis. Uma outra razão para nos juntarmos à AMP é porque algumas pessoas estão a tentar romper a AMP,e juntamo-nos para a reforçar,” disse o Sr. Gama.

PR Ramos-Horta: os peticionários não se vão misturar no novo recrutamento – Diario Nacional

O Presidente José Ramos-Horta disse que pede para não misturar os novos candidatos às F-FDTL com os peticionários no processo de recrutamento.

O PR Horta disse que a decisão tomada pelo Estado é ainda a mesma: os que querem regressar à força militar são bem-vindos através do processo de recrutamento e os que quiserem sair são apoiados directamente pelo Governo para fazerem melhores vidas.

“Se alguns peticionários ficarem desapontados então deve-se-lhes explicar que os que antes eram sargentos ou oficiais, serão autorizados a retomar os seus postos. Mas terão de passar por nova formação dado que estiveram afastados dos quartéis durante dois anos.

Penso que o recrutamento demorará algum tempo. Poderá começar com o [gupo] de peticionários, depois os novos candidatos” disse o PR Horta na Terça-feira (13/5) no Farol Dili.

Ed: O que é que me acontecerá se não ficar aprovado no recrutamento …? – Diario Nacional

Na Segunda-feira (12/5), o Governo da Aliança da Maioria do Parlamento (AMP) anunciou oficialmente os resultados dos questionários submetidos pelos peticionários como uma das maneiras para resolver os seus problemas.

Os resultados mostram que 339 peticionários querem regressar à força militar e seguir o processo de recrutamento e que os outros 356 preferem ser civis.

A decisão que eles tomaram não tem implicações significativamente diferentes. Os que regressarem às F-FDTL terão os seus salários mensais como pessoal militar. Os outros terão o equivalente a três anos de salário dos membros das F-FDTL.

O salário variará entre US$3,600 a $7,260. O PM Gusmão disse que isto não são trocos pequenos.

Donde é que vem o dinheiro – do Orçamento do Estado ou de outras fontes?

Se vem do Orçamento do Estado de 2008, havia planeamento para isso ou não?

A população deve saber que o dinheiro é gasto para garantir transparência e responsabilização.

O que fazer se os peticionários não forem recrutados no processo de recrutamento? Têm ainda o direito ao salário de três anos ou não?

O Governo deve ter isto em consideração para evitar que aconteçam coisas não queridas no futuro. Nós esperamos …


UNMIT MONITORIZAÇÂO DOS MEDIA
www.unmit.org

2 comentários:

Margarida disse...

Tradução:

UNMIT Revista Diária dos Media - 14 Maio 2008
UNMIT-MEDIA

(Relatos de notícias internacionais e extractos de media nacionais. A UNMIT não garante a correcção destes relatos)


Press Club, RTTL assinam acordo – Televisaun Timor-Leste

Radio-Televisaun Timor-Leste (RRTL) e o Timor-Leste Press Club assinaram um acordo "Encontro com a Imprensa" na Terça-feira (13/5) para disseminar informação através da Televisaun Timor-Leste (TVTL).

O acordo foi assinado nos escritórios da TVTL em Caicoli, Dili pelo director da RTTL António Dias e o Presidente do Press Club Domingos Saldanha.

O Sr. Saldanha disse que o acordo era um passo real para facilitar à RTTL como meio público a disseminação da informação nos programas "Encontros com a Imprensa" através dos estúdios da TVTL.

“O Press Club quer assinar um acordo com a RTTL porque a RTTL é um emissor público cujos ramos podem atingir as pessoas no país, bem como países estrangeiros. Foi por isso que o Press Club escolheu a RTTL para transmitir os programas do Club,” disse o Sr. Saldanha.

O Director da RTTL disse que o acordo é também um passo positivo para disseminar a informação à população.

“Nesta cooperação esperamos que este seja um primeiro passo entre o Timor-Leste Press Club e a TVTL para mostrar à população que há espaço para lhes disseminar informação,” disse o Sr. Dias.

O acordo também afirma que o Timor-Leste Press Club pagará à TVTL US$1,000 por ano para disseminar os seus programas.

Presidente: Estado vai rever o trabalho do Comando da Operação Conjunta – Suara Timor Lorosa’e

O Presidente José Ramos-Horta disse que o Estado vai rever o trabalho do Comando da Operação Conjunta de modo a determinar se o seu mandato deve ser continuado ou não.

“Discutimos muitas coisas relacionadas com a corrente situação que preocupam os esforços do Estado para reforçar a estabilidade nacional. Discutimos também a revisão do mandato do Comando da Operação Conjunta para determinar se deve ser continuado ou não,” disse o Presidente José Ramos-Horta aos jornalistas depois de um encontro na Terça-feira (13/5) no gabinete do Presidente no Farol, Dili.

Durante o encontro, participantes salientaram a importância de ambas F-FDTL e PNTL trabalharem juntas para reforçar a confiança que ganharam no povo desde que irrompeu a crise em 2006.

Entretanto o Presidente José Ramos-Horta pediu aos peticionários para aceitarem a oferta proposta pelo Governo. Se se quiserem re-integrar na força militar, têm de seguir o processo de recrutamento. Os que quiserem voltar para a vida civil devem preparar-se para receber a doação do governo para recomeçar as suas vidas.

“Acredito que o processo de recrutamento será justo. Os comandantes de formação saberão e compreendem o que fazer,” disse Horta.

Deputada: futuras eleições não são decididas por um partido – Suara Timor Lorosa’e

A deputada do PUN Fernanda Borges disse que as futuras eleições não são decididas por um partido e que não é coisa que pertença apenas a um grupo. Não há necessidade de discutir interesses que pertencem a um partido neste estágio porque tudo tem de ser decidido com base em procedimentos legais.

“Precisamos de saber que há uma constituição, que o governo existente tem a confiança dos membros do Parlamento Nacional,” disse a deputada Fernanda Borges na Terça-feira (13/5) no Parlamento Nacional.

A deputada do PUN Fernanda Borges acrescentou que os membros da AMP estão apenas disponíveis para ouvir vários rumores. Disse que se esta aliança não se vai manter junta com confiança no Parlamento, então este governo pode cair.

Em separado a deputada do KOTA Olinda Guterres diz que não há necessidade de estarem obssecados com eleições futuras, dado que é melhor toda a gente resolver os problemas correntes que a nação enfrenta.

“Quero dizer que o nosso povo sofreu demasiado. Não há necessidade de fazer mais política para politicizar o povo e levar sofrimento ao povo,” disse Olinda Guterres.

Encontro da AMP: UNDERTIM vai juntar-se – Diario Nacional and Timor Post

A Aliança da Maioria no Parlamento (AMP) realizou um encontro na Terça-feira (13/5) na residência do Presidente do Parlamento Nacional onde participaram o Presidente do CNRT Kay Rala Xanana Gusmão, o Presidente do PSD Mário Viegas Carrascalão, o Presidente da ASDT Francisco Xavier do Amaral, o Presidente do PD Fernando Lasama, e o Presidente do UNDERTIM Cornélio Gama. O encontro teve o objectivo de saudar a entrada do UNDERTIM de modo a reforçar a posição da aliança para aguentar quaisquer esforços para a enfraquecer

O Presidente do CNRT Gusmão explicou que o encontro se fez para discutir a entrada do UNDERTIM na AMP. "Damos-lhes as boas vindas para reforçar a AMP,” explicou o Sr. Gusmão.

Em separado, o Presidente da ASDT Sr. Xavier disse que o seu partido está ainda na AMP. A coligação ASDT-Fretilin não vai derrubar a AMP.

Em adição, o Presidente do UNDERTIM Sr. Gama disse que o seu partido se vai juntar à AMP porque têm os mesmos programas para implementar.

“Juntamo-nos à AMP com a consciência de que os programas da AMP agora a serem implementados são parte dos programas do UNDERTIM, tais como, dar atenção aos veteranos e pessoas vulneráveis. Uma outra razão para nos juntarmos à AMP é porque algumas pessoas estão a tentar romper a AMP,e juntamo-nos para a reforçar,” disse o Sr. Gama.

PR Ramos-Horta: os peticionários não se vão misturar no novo recrutamento – Diario Nacional

O Presidente José Ramos-Horta disse que pede para não misturar os novos candidatos às F-FDTL com os peticionários no processo de recrutamento.

O PR Horta disse que a decisão tomada pelo Estado é ainda a mesma: os que querem regressar à força militar são bem-vindos através do processo de recrutamento e os que quiserem sair são apoiados directamente pelo Governo para fazerem melhores vidas.

“Se alguns peticionários ficarem desapontados então deve-se-lhes explicar que os que antes eram sargentos ou oficiais, serão autorizados a retomar os seus postos. Mas terão de passar por nova formação dado que estiveram afastados dos quartéis durante dois anos.

Penso que o recrutamento demorará algum tempo. Poderá começar com o [gupo] de peticionários, depois os novos candidatos” disse o PR Horta na Terça-feira (13/5) no Farol Dili.

Ed: O que é que me acontecerá se não ficar aprovado no recrutamento …? – Diario Nacional

Na Segunda-feira (12/5), o Governo da Aliança da Maioria do Parlamento (AMP) anunciou oficialmente os resultados dos questionários submetidos pelos peticionários como uma das maneiras para resolver os seus problemas.

Os resultados mostram que 339 peticionários querem regressar à força militar e seguir o processo de recrutamento e que os outros 356 preferem ser civis.

A decisão que eles tomaram não tem implicações significativamente diferentes. Os que regressarem às F-FDTL terão os seus salários mensais como pessoal militar. Os outros terão o equivalente a três anos de salário dos membros das F-FDTL.

O salário variará entre US$3,600 a $7,260. O PM Gusmão disse que isto não são trocos pequenos.

Donde é que vem o dinheiro – do Orçamento do Estado ou de outras fontes?

Se vem do Orçamento do Estado de 2008, havia planeamento para isso ou não?

A população deve saber que o dinheiro é gasto para garantir transparência e responsabilização.

O que fazer se os peticionários não forem recrutados no processo de recrutamento? Têm ainda o direito ao salário de três anos ou não?

O Governo deve ter isto em consideração para evitar que aconteçam coisas não queridas no futuro. Nós esperamos …

Horta quer que a ONU fique em Timor-Leste – Angola Press, 13 Maio

A ONU deve ficar em Timor-Leste pelo menos até 2012, disse o Presidente José Ramos Horta.

Disse também que há ainda um grande potencial de instabilidade que o país precisava de mais tempo para organizar a sua polícia e a economia. O Sr Ramos Horta ficou ferido com gravidade numa tentativa de assassínio em Fevereiro.

Uma força liderada pelos Australianos regressou a Timor-Leste em 2006 depois de explosões de violência política que paralizaram o país.

O Sr Ramos Horta disse que a paz no seu país permanece precária e que gostaria de ter uma presença da ONU em Timor-Leste durante pelo menos nos próximos cinco anos. Disse também ser provável que o país precise que as forças lideradas pelos Australianos fiquem no próximo ano.

O Sr Ramos Horta sobreviveu por pouco a um ataque por soldados amotinados em Fevereiro, e disse que agora era tempo para Timor-Leste gerir sozinho a sua situação de segurança.

"Eu quero jogar pelo seguro. Não quero, em nome do patriotismo, orgulho, termos que dizer, lamentamos, agora podem partir.

"Devemos ter muito cuidado. É por isso que tenho dito à ONU que precisamos cá da polícia da ONU durante pelo menos 5 anos - até 2012."

Disse que os números e que a missão podia mudar, mas que é necessária uma força da ONU de algum tipo "para nos dar tempo e espaço para reorganizar a nossa força de defesa, a nossa força de polícia, para melhorar a nossa economia, reduzir as tensões sociais que derivam da pobreza e do desemprego".

Muita gente criticou a ONU por ter saído demasiado cedo nos anos anteriores – mas o Sr Ramos Horta disse que o próprio Timor-Leste devia aceitar parte da culpa.

A falta de vontade dos contribuidores da ONU para pagar por missões de manutenção da paz, disse o Sr Ramos Horta, é um grande problema.

Comprometimento para um país como Timor-Leste durante vários anos – em vez de ciclos de seis ou 12 meses – disse ele, seria uma grande melhoria.


UNMIT MONITORIZAÇÂO DOS MEDIA
www.unmit.org

h correia disse...

Caramba, fiquei estarrecido. A UNDERTIM é um reforço de peso para a "AMP"...

Esta grande "contratação" justificou plenamente a reunião em casa de Lasama, com a presença do PM e tudo. Teria havido chá e bolinhos?

Já repararam que a "AMP" é uma espécie de museu de todos os "ex-Fretilins"?

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.