terça-feira, abril 22, 2008

RI-Timor Leste frontier not impregnable : mily border guard chief

04/22/08 01:25

Atambua, East Nusatenggara (ANTARA News) - The commander of Indonesian military troops guarding the border with Timor Leste, Lt Col Muhammad Kusdaryanto, said limitations to the infrastructure and facilities at his unit`s disposal had made it quite possible for foreigners to cross the frontier illegally.

"There are many, many obscure back-country routes foreigners can take to go to or come from the neighoring country. Moreover, they know the region well. Most border-crossings are done at night , and we are short of night-vision binoculars," he said here Monday.

The border the troops had to guard was 239 km long 150 km of which lay in Belu district and the rest in Kupang and Timor Timur Utara districts which adjoined Timor Leste`s Oekusi enclave.

Kusdaryono made the statements when asked about reports that a number of Timor Leste men belonging to the rebel group led by Alfredo Reinado Alves had entered Indonesian terrritory in Belu district illegally not long ago.

"Supposing all my men are made to line up along the entire border, illegal border crossers can still get through both ways. This is not because we do not do our job properly but because we just don`t have enough tools and infrastructure and other inter-related things," he said.

Still, he said, the task force he was commanding never relaxed its alertness and was constantly on guard. "We always observe close coordination and try to perfect our ways of carrying out the border guarding precedures," he said.

Recently, when Timor Leste`s defense and security authorities were carrying out their Operation Halibur against followers of Alves and his succcessor, Gastao Salsinha, some of the Timor Leste rebel elements were reported to have entered Indonesian terrritory in East Nusatenggara. But a team from the Indonesian police`s Special Detachment 88 based in Jakarta was able to arrest them last April 16 and 18. (*)

Tradução:

Chefe dos guardas da fronteira: A fronteira RI-Timor Leste não é impermeável

04/22/08 01:25

Atambua, East Nusatenggara (ANTARA News) – O comandante das tropas militares Indonésias que guardam a fronteira com Timor Leste, Tenente Coronel Muhammad Kusdaryanto, disse que limitações nas infraestruturas e instalações à disposição da sua unidade torna bastante possível que os estrangeiros cruzem a fronteira ilegalmente.

"Há muitas, muitas rotas obscuras e segundárias que os estrangeiros podem seguir para virem ou para irem para o país vizinho. Mais ainda, eles conhecem bem a região. A maioria dos cruzamentos da fronteira são feitos à noite, e temos poucos binóculos com visão nocturna," disse ele aqui na Segunda-feira.

A fronteira que as tropas têm de guardar tem 239 km de comprimento, 150 km dos quais estão no distrito Belu e o resto nos distritos de Kupang e Timor Timur Utara que está junto ao enclave Oekusi de Timor Leste.

Kusdaryono fez as declarações quando lhe perguntaram sobre notícias de alguns Timorenses que pertencem ao grupo dos amotinados liderado por Alfredo Reinado Alves terem entrado no território Indonésio no distrito Belu não há muito tempo.

"Supondo que todos os meus homens estão alinhados ao longo de toda a fronteira, os que atravessam ilegalmente a fronteira conseguem ainda passar para ambos os lados. Não porque não fazemos bem o nosso trabalho mas apenas porque não temos instrumentos e infraestruturas e outras coisas relacionadas suficientes," disse ele.

Mesmo assim, disse ele, a task force que está sob o seu comando nunca relaxou o seu estado de alerta e estava constantemente em guarda. "Observamos sempre uma coordenação de perto e tentamos aperfeiçoar as nossas maneiras de desenvolver os procedimentos de guardar a fronteira," disse.

Recentemente, quando as autoridades de defesa e segurança de Timor-Leste estavam a desenvolver a sua Operação Halibur contra os seguidores do Alves e do seu sucessor, Gastão Salsinha, foi noticiado que alguns dos elementos dos amotinados de Timor-Leste entraram no território Indonésio em East Nusatenggara. Mas uma equipa do Destacamento Especial 88 da polícia Indonésia baseado em Jacarta conseguiu prendê-los nos passados dias 16 e 18 de Abril. (*)

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Chefe dos guardas da fronteira: A fronteira RI-Timor Leste não é impermeável
04/22/08 01:25

Atambua, East Nusatenggara (ANTARA News) – O comandante das tropas militares Indonésias que guardam a fronteira com Timor Leste, Tenente Coronel Muhammad Kusdaryanto, disse que limitações nas infraestruturas e instalações à disposição da sua unidade torna bastante possível que os estrangeiros cruzem a fronteira ilegalmente.

"Há muitas, muitas rotas obscuras e segundárias que os estrangeiros podem seguir para virem ou para irem para o país vizinho. Mais ainda, eles conhecem bem a região. A maioria dos cruzamentos da fronteira são feitos à noite, e temos poucos binóculos com visão nocturna," disse ele aqui na Segunda-feira.

A fronteira que as tropas têm de guardar tem 239 km de comprimento, 150 km dos quais estão no distrito Belu e o resto nos distritos de Kupang e Timor Timur Utara que está junto ao enclave Oekusi de Timor Leste.

Kusdaryono fez as declarações quando lhe perguntaram sobre notícias de alguns Timorenses que pertencem ao grupo dos amotinados liderado por Alfredo Reinado Alves terem entrado no território Indonésio no distrito Belu não há muito tempo.

"Supondo que todos os meus homens estão alinhados ao longo de toda a fronteira, os que atravessam ilegalmente a fronteira conseguem ainda passar para ambos os lados. Não porque não fazemos bem o nosso trabalho mas apenas porque não temos instrumentos e infraestruturas e outras coisas relacionadas suficientes," disse ele.

Mesmo assim, disse ele, a task force que está sob o seu comando nunca relaxou o seu estado de alerta e estava constantemente em guarda. "Observamos sempre uma coordenação de perto e tentamos aperfeiçoar as nossas maneiras de desenvolver os procedimentos de guardar a fronteira," disse.

Recentemente, quando as autoridades de defesa e segurança de Timor-Leste estavam a desenvolver a sua Operação Halibur contra os seguidores do Alves e do seu sucessor, Gastão Salsinha, foi noticiado que alguns dos elementos dos amotinados de Timor-Leste entraram no território Indonésio em East Nusatenggara. Mas uma equipa do Destacamento Especial 88 da polícia Indonésia baseado em Jacarta conseguiu prendê-los nos passados dias 16 e 18 de Abril. (*)

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.