sábado, fevereiro 16, 2008

Portugal apoia qualquer pedido relativo à crise timorense...(ACTUALIZADA)

Lisboa, 15 Fev (Lusa) - Portugal apoia qualquer pedido para a resolução da crise timorense após consultas e em cooperação com a Austrália, revelou no Parlamento, em Camberra, o ministro dos Negócios Estrangeiros australiano.

A declaração do ministro Stephen Smith, dia 14, foi confirmada hoje à Agência Lusa por fonte do gabinete do chefe da diplomacia portuguesa, Luís Amado.

Stephen Smith disse, designadamente, ter ficado sensibilizado pela declaração do governo português, expressa num telefonema de Luís Amado.

"Sensibilizou-me a expressão de apoio e os votos de sucesso formulados pelo governo português", afirmou o ministro australiano, que destacou o facto de Portugal manter "uma longa relação histórica e afectiva com Timor-Leste".

"Hoje (quinta-feira) de manhã recebi um telefonema do ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal (...) o ministro disse-me que assim que uma avaliação da situação fosse feita, Portugal estará preparado para considerar quaisquer solicitações que possam surgir. Portugal fará isso em plena cooperação e consultas com o governo australiano", frisou.

Entretanto, hoje à tarde, no Porto, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, descartou a possibilidade de uma decisão "precipitada" de envio para Timor-Leste de mais militares da GNR.

"Qualquer decisão precipitada sobre essa matéria, do meu ponto de vista, é irresponsável", afirmou Luís Amado, à margem de uma conferência sobre o Tratado de Lisboa.

O MNE português referiu que trocou impressões, quinta-feira, com o seu homólogo australiano, tendo ambos concordado que devem ser prosseguidos novos esforços diplomáticos "antes de precipitar qualquer decisão".

Luís Amado disse que encara com "moderado optimismo" a "estabilidade política dos últimos dias" em Timor-Leste.

EL/FZ.
Lusa/fim


NOTA DE RODAPÉ:

Portugal lava as mãos...

COMENTÁRIOS DOS LEITORES:

"Luís Amado, descartou a possibilidade de uma decisão "precipitada" de envio para Timor-Leste de mais militares da GNR"

Pois é... mas entretanto a Austrália já enviou 300 militares e polícias, sem se importar com a "precipitação".

"Portugal fará isso em plena cooperação e consultas com o governo australiano"

É curioso: Portugal, apesar de ter já recebido um pedido directo do actual Presidente timorense no sentido de enviar mais GNR, diz que so fará alguma coisa depois de consultar o Governo australiano.

Quer dizer que o Governo australiano é que manda em Timor-Leste, mais do que o próprio Fernando Lasama.

Isto é ou não é o reconhecimento de Timor-Leste como colónia da Austrália?

H. Correia

***

Portugal concorda com a Austrália e aceita que o futuro de Timor é ser um protectorado australiano.Foi isto que Xanana Gusmão fez. Criar a ideia na comunidade internacional de que os timorenses não se entendem.

O golpe de 2006 está consumado.Com a benção de Portugal e das Nações Unidas.

Mesmo que Timor entre em guerra civil, se acontecer alguma coisa a Mari Alkatiri e as FDTL se revoltarem, melhor. A declaração de Estado Falhado é mais rápida e com tantas forças de segurança australianas não será por muito tempo.

Timor-Leste tem o futuro adiado.

Malai Cinzento

2 comentários:

h correia disse...

"Luís Amado, descartou a possibilidade de uma decisão "precipitada" de envio para Timor-Leste de mais militares da GNR"

Pois é... mas entretanto a Austrália já enviou 300 militares e polícias, sem se importar com a "precipitação".

"Portugal fará isso em plena cooperação e consultas com o governo australiano"

É curioso: Portugal, apesar de ter já recebido um pedido directo do actual Presidente timorense no sentido de enviar mais GNR, diz que so fará alguma coisa depois de consultar o Governo australiano.

Quer dizer que o Governo australiano é que manda em Timor-Leste, mais do que o próprio Fernando Lasama.

Isto é ou não é o reconhecimento de Timor-Leste como colónia da Austrália?

Malai Cinzento disse...

Portugal concorda com a Austrália e aceita que o futuro de Timor é ser um protectorado australiano.

Foi isto que Xanana Gusmão fez. Criar a ideia na comunidade internacional de que os timorenses não se entendem.

O golpe de 2006 está consumado.

Com a benção de Portugal e das Nações Unidas.

Mesmo que Timor entre em guerra civil, se acontecer alguma coisa a Mari Alkatiri e as FDTL se revoltarem, melhor. A declaração de Estado Falhado é mais rápida e com tantas forças de segurança australianas não será por muito tempo.

Timor-Leste tem o futuro adiado.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.