terça-feira, março 18, 2008

PR sai do hospital quarta-feira e vai descansar alguns dias em casa particular em Darwin

Lisboa, 18 Mar (Lusa) - O Presidente timorense terá alta hospitalar quarta-feira e irá para uma residência particular em Darwin, Austrália, onde descansará alguns dias, disseram hoje à Lusa a chefe de gabinete de José Ramos-Horta e o médico Rui Araújo.
"Amanhã (quarta-feira), a qualquer momento, o Presidente Ramos-Horta sai do hospital para uma casa privada em Darwin, onde ficará alguns dias a descansar", disse Natália Carrascalão.

José Ramos-Horta foi ferido a tiro durante um ataque contra a sua residência em Díli, a 11 de Fevereiro.

Nesse mesmo dia, após ter sido inicialmente assistido em Díli, foi transferido para um hospital de Darwin, norte da Austrália, onde foi submetido a várias intervenções cirúrgicas.

Contactada telefonicamente a partir de Lisboa, Natália Carrascalão referiu que José Ramos-Horta "já começou a falar" no regresso a Timor-Leste.

"Com a força interior e capacidade de trabalho que todos lhe reconhecem, (o regresso a Díli) acontecerá a qualquer momento, não deverá ficar muito tempo em casa", disse.

Também contactado telefonicamente pela Lusa, Rui Araújo, o médico timorense que acompanha José Ramos-Horta em Darwin, admitiu o regresso do chefe de Estado a Díli "talvez dentro de duas a três semanas", salientando, no entanto, que "tudo depende da decisão política do Presidente da República".

"Se o Presidente da República desejasse voltar hoje, não haveria razões médicas que o impeçam porque em Timor-Leste há condições para ter o acompanhamento que terá em Darwin", disse.

"Do ponto de vista médico, não há objecções, mas recomenda-se ainda algum descanso" antes da viagem para Díli, referiu.

Segundo Rui Araújo, a mudança para uma casa privada após cinco semanas num ambiente hospitalar poderá "facilitar ainda mais a recuperação" de José Ramos-Horta.

"Dada a gravidade dos ferimentos, a recuperação registada em cinco semanas é excelente e os médicos estão muito satisfeitos", disse ainda.

Rui Araújo referiu que a "robustez física" de Ramos-Horta e a assistência médica que recebeu ainda em Díli logo após o ataque foram determinantes para a recuperação do Presidente timorense.

"A intervenção feita foi adequada e atempada, a começar pela assistência que lhe foi prestada pela equipa do INEM e da GNR e pelo hospital militar australiano em Díli, bem como a assistência que teve em Darwin", frisou.

Questionado sobre o estado do chefe de Estado timorense, Rui Araújo foi peremptório: "o Presidente da República está recuperado, está em forma".

"Numa frase, continuamos a ter o Presidente Ramos-Horta", acrescentou.

PNG.
Lusa/Fim

2 comentários:

Margarida disse...

Actualização – Presidente deve ter amanhã alta do hospital
Ramos-Horta quer regressar a Díli já em Abril
18.03.2008 - 14h22 PÚBLICO
O presidente de Timor-Leste, José Ramos-Horta, que sai do hospital para uma residência particular em Darwin, amanhã, quarta-feira, deseja regressar à sua residência, em Díli, o mais depressa possível, de preferência já na segunda semana de Abril, apurou o PÚBLICO.

Ramos-Horta ficará alguns dias a descansar naquela cidade do norte da Austrália (a cerca de 500 quilómetros de Timor-Leste).

Contactado telefonicamente pela Lusa, Rui Araújo, o médico timorense que o acompanha em Darwin, também admitiu o regresso do chefe de Estado a Díli "talvez dentro de duas a três semanas", salientando, no entanto, que tudo depende da sua “decisão política".

Hoje de manhã, em declarações à Rádio Renascença, o mesmo médico contara que o resultado da última operação havia sido reavaliado pelo cirurgião e que este considerara não haver razões para o presidente continuar internado, pelo que a recuperação iria prosseguir, “mas já fora do hospital".

O médico e antigo ministro timorense da Saúde elogiou, à Lusa, a assistência médica proporcionada a Horta, “a começar pela assistência que lhe foi prestada pela equipa do INEM e da GNR e pelo hospital militar australiano em Díli, bem como a assistência que teve em Darwin".

Horta, a quem o presidente do parlamento, Fernando de Araújo “Lasama”, substitui interinamente nas funções presidenciais, foi atingido a tiro durante um assalto, de contornos ainda por definir, à sua residência, em 11 de Fevereiro passado, tendo sido submetido a uma série de intervenções cirúrgicas desde então.

Estado de emergência durante um mês

Paralelamente, o Governo timorense resolveu, em reunião extraordinária do conselho de ministros realizada hoje, propor ao Presidente da República interino a prorrogação do estado de excepção, passando a estado de emergência, por um período de trinta dias.

A proposta do Governo vai no sentido de que o estado de emergência vigore em todo o território nacional a partir das 00h00 do próximo dia 23 de Março e termine às 24h00 do dia 22 de Abril.

O estado de emergência impõe, entre outras coisas, restrições ao direito de livre circulação e obrigatoriedade de um recolher obrigatório, entre as 23h00 e as 05h00.

Recorde-se que a declaração do estado de excepção foi decretada na sequência dos atentados contra a vida do Presidente e do primeiro-ministro, no dia 11 de Fevereiro.

Entretanto continua em fuga um grupo de homens fortemente armados com equipamento de guerra, aparentemente chefiados pelo ex porta-voz dos rebeldes, Gastão Salsinha, suspeito de participação nos atentados.

A captura e apresentação à Justiça deste grupo armado continua a ser um imperativo para as autoridades timorenses.

Anónimo disse...

Os comparsas deste blogue são homens e mulheres que não possuem carácter e dignidade de ser humano, mas são meros instrumentos que estão a servir os interesses dos seus próprios patrões, colonialistas, fascistas, despóticos, ditadores que ate ao cúmulo de vergonha chegaram muitas vezes boicotaram comentários de indivíduos com veracidade dos factos descritos nas suas reacções ou comentários a certos artigos postos por indivíduos de carácter tão reles face a nobre causa do Povo martirizado Maubere. Estes indivíduos, conluios do blogue em causa também andam a dizer disparates com relação as suas honrosas citações com firmeza na rigorosa observância dos princípios democráticos e livres consagrados nas Declarações Universais dos Direitos Humano patrocinado pela ONU em toda a extensão da palavra. Estes faladores baratos também não passam mais de uma meia tigela de vagabundos políticos talvez os mais cagacos e reles jornalistas que têm medo dos bonecos membros do governo, tal que umas vezes ate gritam aos quatro ventos como se fossem verdadeiros heróis e os chamados grandes defensores dos verdadeiros princípios democráticos e livres a todo e qualquer cidadão deste planeta em que habitamos. Mas muitas vezes chegam ao cumulo de ate não serem capazes de manter as suas posições em relação estes princípios fundamentais acima referimos, mas o mais vergonhoso ate calcando estes mesmos princípios, porque têm medo como se fossem comadres e acabam então a cair no erro crasso de também permitir em aplicar dois pesos e duas medidas, simplesmente para fazer agradar seus patrões que camufladamente papagueiam contra, mas na realidade são todos do mesmo estilo de macaco velho na jogada politica mafiosa de que eles todos fazem parte ate a este momento em que estou agindo de forma muita honesta em desmascara-los.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.