quinta-feira, novembro 01, 2007

Que se lixe a legalidade...

Hand Held Database Enhances Soldiers' Capability
(2007-11-02)
By: Department of Defence (Australia)

The Defence Science and Technology Organisation (DSTO) has developed a hand-held information tool to help Australian Defence Force personnel operate more effectively by using local knowledge during deployments overseas.

The device, known as the Synchronised Handheld Information & Local Observation Collator or SHIRLOC, was demonstrated to a large military audience at the recent Land Warfare Conference in Adelaide.

SHIRLOC is an information tool that runs on Personal Digital Assistants (PDA) and was initially designed for use by soldiers on peace keeping missions.

Acting Chief Defence Scientist Dr Nanda Nandagopal said SHIRLOC was developed for Australian troops in Timor-Leste to help them in compiling information on local criminal elements and illegal activities.

"In complex warfighting and peacekeeping operations, where local knowledge is becoming increasingly important, SHIRLOC improves awareness of mission-relevant information to assist troops in carrying out their dangerous tasks," he said.

"SHIRLOC consists of a database with a large number of records that can be readily referenced during patrols, providing soldiers with an enormous amount of information not previously accessible."

Records stored in the SHIRLOC database for persons of interest include cross-reference links to associated people, locations, events, groups and even vehicles. Searches in the SHIRLOC database can be carried out using variables of names and alias, age and group.

During the development of SHIRLOC, DSTO worked closely with the Australian Defence Force throughout the design process to create a user-friendly menu structure and interface.

"SHIRLOC is a flexible system and a recent successful usability trial and evaluation in Timor-Leste means that its capability could be extended to other theatres of operation," Dr Nandagopal said.

TRADUÇÃO:

Base de dados na mão reforça capacidades dos soldados
(2007-11-02)
By: Departamento da Defesa (Austrália)

A Organização de Tecnologia e Defesa da Ciência (DSTO) desenvolveu uma instrumento de usar na não para ajudar o pessoal da Força de Defesa Australiana a operar com mais eficácia usando o conhecimento local durante destacamentos além-mar.

O aparelho, conhecido como Detector Sincronizado Usado à Mão para Informação & Observação Local ou SHIRLOC, foi mostrado a uma grande audiência militar na recente Conferência em Adelaide sobre Guerra Terrestre.

SHIRLOC é um instrumento de informação que trabalha com Assistentes Digitais Pessoais (PDA) e que inicialmente foi previsto ser usado por soldados em missões de manutenção de paz.

O Chefe dos Cientistas da Defesa em exercício Dr Nanda Nandagopal disse que o SHIRLOC foi desenvolvido para as tropas Australianas em Timor-Leste para os ajudar a compilar informações sobre elementos criminosos locais e actividades ilegais.

"Em operações complexas de Guerra e de manutenção da paz, onde as informações locais se tornam crescentemente importantes, o SHIRLOC melhora o conhecimento de informação relevante para as missões para assistir as tropas a desenvolverem as suas tarefas perigosas," disse.

"SHIRLOC consiste de uma base de dados com um grande número de registos que podem ser prontamente referenciadas durante patrulhas, fornecendo aos soldados uma grande quantidade de informação não acessível anteriormente."

Registos armazenados na base de dados da SHIRLOC sobre pessoas de interesse incluem ligações cruzadas de referências a pessoas associadas, locais, eventos, grupos e mesmo veículos. As buscas na base de dados SHIRLOC podem fazer-se com variáveis de nomes e outros, idade e grupo.

Durante o desenvolvimento do SHIRLOC, o DSTO trabalhou de perto com a Força de Defesa Australiana através do processo de design para criar um interface e um menu de estrutura fácil de usar.

"O SHIRLOC é um sistema flexível e um teste recente do seu uso com sucesso e avaliação em Timor-Leste significa que a sua capacidade pode ser estendida a outros teatros de operações," disse o Dr Nandagopal.


NOTA DE RODAPÉ:

Que se lixem as liberdades individuais... ou que isto seja ilegal. Timor-Leste é cada vez mais o jardim das traseiras da Austrália.

E já agora, andaram tão preocupados com as escutas que incriminaram Agio Pereira e Longuinhos, mas ninguém se manifesta preocupado com as escutas australianas, que ao contrário da Timor Telecom, tem todos os meios e usam-nos todos os dias...

3 comentários:

Anónimo disse...

MALAI AZUL

A PROPOSITO DE ESCUTAS, PARECE-ME QUE ESTA NA MODA. EM PORTUGAL O PROPRIO PROCURADOR GERAL DA REPUBLICA TEM DADO PANO PARA MANGAS SOBRE O ASSUNTO.
ONDE ACHA QUE POSSO ENCONTRAR "SANTINHOS"? NA FRENTE?
TIRE O CAVALINHO DA CHUVA.

UM ABRACO

MAU DICK

Margarida disse...

Tradução:
Que se lixe a legalidade...
Base de dados na mão reforça capacidades dos soldados
(2007-11-02)
By: Departamento da Defesa (Austrália)

A Organização de Tecnologia e Defesa da Ciência (DSTO) desenvolveu uma instrumento de usar na não para ajudar o pessoal da Força de Defesa Australiana a operar com mais eficácia usando o conhecimento local durante destacamentos além-mar.

O aparelho, conhecido como Detector Sincronizado Usado à Mão para Informação & Observação Local ou SHIRLOC, foi mostrado a uma grande audiência militar na recente Conferência em Adelaide sobre Guerra Terrestre.

SHIRLOC é um instrumento de informação que trabalha com Assistentes Digitais Pessoais (PDA) e que inicialmente foi previsto ser usado por soldados em missões de manutenção de paz.

O Chefe dos Cientistas da Defesa em exercício Dr Nanda Nandagopal disse que o SHIRLOC foi desenvolvido para as tropas Australianas em Timor-Leste para os ajudar a compilar informações sobre elementos criminosos locais e actividades ilegais.

"Em operações complexas de Guerra e de manutenção da paz, onde as informações locais se tornam crescentemente importantes, o SHIRLOC melhora o conhecimento de informação relevante para as missões para assistir as tropas a desenvolverem as suas tarefas perigosas," disse.

"SHIRLOC consiste de uma base de dados com um grande número de registos que podem ser prontamente referenciadas durante patrulhas, fornecendo aos soldados uma grande quantidade de informação não acessível anteriormente."

Registos armazenados na base de dados da SHIRLOC sobre pessoas de interesse incluem ligações cruzadas de referências a pessoas associadas, locais, eventos, grupos e mesmo veículos. As buscas na base de dados SHIRLOC podem fazer-se com variáveis de nomes e outros, idade e grupo.

Durante o desenvolvimento do SHIRLOC, o DSTO trabalhou de perto com a Força de Defesa Australiana através do processo de design para criar um interface e um menu de estrutura fácil de usar.

"O SHIRLOC é um sistema flexível e um teste recente do seu uso com sucesso e avaliação em Timor-Leste significa que a sua capacidade pode ser estendida a outros teatros de operações," disse o Dr Nandagopal.

NOTA DE RODAPÉ:

Que se lixem as liberdades individuais... ou que isto seja ilegal. Timor-Leste é cada vez mais o jardim das traseiras da Austrália.

E já agora, andaram tão preocupados com as escutas que incriminaram Agio Pereira e Longuinhos, mas ninguém se manifesta preocupado com as escutas australianas, que ao contrário da Timor Telecom, tem todos os meios e usam-nos todos os dias...

h correia disse...

Subscrevo a nota de rodapé. Comparado com isto, escutar telemóveis é uma brincadeira de crianças. Mas ninguém, começando pelo PR, se parece importar com isto ou com os aviões espiões, etc.

A propósito da gravação da conversa entre Longuinhos, Leandro e Agio, qualquer pessoa podia tê-la feito facilmente com um telefone celular modificado. Sendo assim, milhares de pessoas são potencialmente suspeitas, não se percebendo porque há-de a TT ser o bode expiatório.

Leiam mais sobre as escutas em telefonia celular aqui:

http://www.espykit.com/spy-security-articles/cell-phone-bug.php

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.