quarta-feira, março 12, 2008

UNMIT – MEDIA MONITORING - Wednesday, 12 March 2008

"UNMIT assumes no responsibility for the accuracy of the articles or for the accuracy of their translations. The selection of the articles and their content do not indicate support or endorsement by UNMIT express or implied whatsoever. UNMIT shall not be responsible for any conseque6nce resulting from the publication of, or from the reliance on, such articles and translations."

National Media Reports

TVTL News Coverage

Monteiro: no more bargaining with Salsinha: The General Prosecutor of the Republic, Longuinhos Monteiro said that the Government and the General Prosecutor will not bargain with Salsinha. “As the Government’s representative in this case, I tell you that we will not bargain with Salsinha. For us this is an urgent case to be solved immediately,” said Mr. Monteiro on Tuesday (11/3) in Caicoli, Dili. According to Mr. Monteiro, Salsinha asked on Monday (10/3) to extend his time for surrendering, but then broke his own promise by sending a letter to the General Prosecutor explaining that he would not be surrendering.

“Now Salsinha says that he wants to surrender to PR Ramos-Horta when the President returns from Australia; this is his own statement. If something happens, don’t blame the Government” said Mr. Monteiro.

Xanana: Salsinha, don’t waste this time: At the plenary session of the National Parliament on Tuesday (11/3) PM Xanana Gusmão appealed to all people who have connections with Salsinha and his group to persuade them to surrender, rather than to die. With regards to the Prosecutor General Longuinhos Monteiro’s relationship with Salsinha, the Prime Minister said that the Prosecutor General’s interaction with Salsinha was only to confirm whether Salsinha would surrender or not.

RTL News Coverage

Monteiro: Salsinha influenced to not surrender: The General Prosecutor of the Republic Longuinhos Monteiro has claimed that there is an important person in this country who is influencing Salsinha not to surrender to the old leadership, but instead to surrender to the new leaders- the Prosecutor General declined to reveal who the new leaders are.

Separately, Mr. Monteiro also said that some people outside the country are attempting to supply Salsinha with weapons. “I have new information that a person has tried to get between 5-10 weapons to support Salsinha,” said Mr. Monteiro on Tuesday (11/3) in Dili. However, Mr. Monteiro believes that the weapons will not reach Timor-Leste as the country has taken action to prevent this kind of weapons’ distribution.

Mateus Fernandes: The operation against rebels may create victims: Related to the unsuccessful attempts to get Salsinha to surrender to the state, the Deputy Commander of the F-FDTL/PNTL Joint Operation, Inspector Mateus Fernandes, said that the operation against the rebel leader may create victims if the rebels do not follow the state’s instruction and open fire against the operation in Ermera. Inspector Fernandes said that the Joint Operation will attempt to avoid using physical confrontation against the rebels, instead looking for peaceful ways to get them to surrender. “We really don’t want this operation to create victims. So we are asking Salsinha not to listen to rumours,” said Inspector Fernandes. The F-FDTL/PNTL Joint Operation continues in the districts, while in Ermera district the operation is approaching the stronghold of Salsinha and his group.

Print Coverage

Monteiro: no more bargaining with Salsinha: The General Prosecutor of the Republic, Longuinhos Monteiro said that the Government and the General Prosecutor will not bargain with Salsinha. “As the Government’s representative in this case, I tell you that we will not bargain with Salsinha. For us this is an urgent case to be solved immediately,” said Mr. Monteiro on Tuesday (11/3) in Caicoli, Dili. According to Mr. Monteiro, Salsinha asked to extend his time for surrendering on Monday (10/3) but then broke his own promise by sending a letter to the General Prosecutor explaining why he would not be surrendering.

“Now Salsinha says that he wants to surrender to PR Ramos-Horta when the president returns from Australia; this is his own statement. If something happens, don’t blame the Government” said Mr. Monteiro.
(STL)

Xanana: Salsinha, don’t waste your time: PM Xanana Gusmão appealed to Salsinha and his group to not waste time by waiting for PR Ramos-Horta’s return in order to surrender.

“Salsinha is waiting for the President to surrender, but this will not help. This is not an option that the Joint Operation Command will consider,” said PM Xanana at the plenary session of the National Parliament on Tuesday (11/3) when the Prime Minister presented the report of the 48 hours of the ‘State of Siege’ to the National Parliament.

PM Xanana Gusmão also appealed to all people who have connections with Salsinha and his group to persuade them to surrender, rather than to die. With regards to the Prosecutor General Longuinhos Monteiro’s relationship with Salsinha, the Prime Minister said that the Prosecutor General’s interaction with Salsinha was only to confirm whether Salsinha would surrender or not. (STL)

Tara-Tilman meet Lasama: Petitioners, not to return to the military: Former Major Augusto ‘Tara’ and Marcos ‘Pilotu’, together with four other petitioners, officially met the Acting President of the Republic, Fernando ‘Lasama’ to discuss the future for the petitioners gathered in Aitarak Laran, Dili.

Major Tara said that the position of the Acting President is also the same as the Governments: that the petitioners cannot return to the military and must remain as civilians.

“We are asking Prime Minister Xanana to clarify that the petitioners are to indeed remain as civilians, so that we have a clear answer,” said Tara on Tuesday (11/3) after meeting the Acting President. (STL)

Joint Operation overacts: NP asks Xanana to quit: Member of the National Parliament are asking PM Xanana to quit from his position as the Minister of Security and Defence as he is unable to control PNTL and F-FDTL officers who acted inappropriately during the ‘State of Siege.’ During the NP plenary session, the Prime Minister offered no comment on this, but said that the Joint Operation Command would make efforts to improve their attitudes. The Prime Minister has also appealed for community members to report what they see, hear and feel to the Provedor of Human Rights. (STL)

People try to support weapons to Salsinha: The General Prosecutor of Republic Longuinhos Monteiro said that some people outside the country are attempting to supply Salsinha with weapons. “I have new information that a person has tried to get between 5-10 weapons to support Salsinha,” said Mr. Monteiro on Tuesday (11/3) in Dili. However, Mr. Monteiro believes that the weapons will not reach Timor-Leste as the country has taken action to prevent this kind of weapons’ distribution. (TP)

Op/Ed: Horta asks Salsinha to surrender: PM Xanana Gusmao has reaffirmed PR Horta’s message that the deadline for Salsinha to surrender is Tuesday (11/3), and that military action would follow if he did not surrender. This message is very important to Salsinha and his group and should make them think about what they have done. This message may have come as a response to Salsinha’s letter stating that he would only surrender when PR Horta returned to Timor-Leste.

Will Salsinha obey the call to surrender, or will he wait some more time? Let’s see who follows who: will the state follow Salsinha’s whims? Or will Salsinha follow the State’s demands. On the one hand, each party has a right to self-defence, but it is also important that each party contribute to the nation’s stability. Let’s wait for the implementation of the state’s decision to see what the intentions are: to kill, or to listen to each other? (TP)

Riak Leman: ‘State of Siege’ benefits community: The Social Democratic Party (PSD) member of NP, Riak Leman said that the ‘State of Siege’ should be extended as the situation is still unstable given that Salsinha has not as yet surrendered and that weapons distributed in 2006 are still at large. Mr. Leman also said that the ‘State of Siege’ does not discriminate against anyone but instead benefits all members of the community. (TP)

Ana Pessoa: ‘State of Siege’ should not become ‘State of Normal’: Fretilin member of National Parliament, Ana Pessoa said that the ‘State of Siege’ should not become a ‘State of Normal’. “The ‘State of Siege’ is implemented only when the nation is being threatened or in grave danger, this is why PR Ramos-Horta accepted the ‘State of Siege’ for a period of 48 hours,” said Ms. Pessoa in NP, Dili when PM Xanana presented the report of the 48 hours of the ‘State of Siege’.

Ms Pessoa also said that there is something wrong with the country if people can only live in peace during a ‘State of Siege’. “If all the petitioners are calm, why are we continuing with the ‘State of Siege’? Because of Salsinha? In the 2006 crisis, PM Alkatiri did not authorize a demonstration, but PR Xanana said that to demonstrate is a right. Why didn’t he implement the ‘State of Siege’ at that time when people were burning houses … we have be honest, if there is threat to the nation, we [the government] should inform the people so that they can know the truth and not listen to rumours.” (DN)

National News Sources:
Televizaun Timor-Leste (TVTL)
Radio Timor-Leste (RTL)
Timor Post (TP)
Suara Timor Lorosae (STL)
Diario Tempo (DT)
Diario Nacional (DN)
Semanário Nacional (SN)
Tempo Semanal (TS)

2 comentários:

Anónimo disse...

Alo Dili

O que eu saiba foram mais de 200 expulsos das FDTL em coordenacao com PM Alkatiri,Ministro da Defesa Roque Rodrigues, General Tauk Matan Ruak e o Chefe Estado Maior Coronel Lerek Anana Timur.Muitos foram arrastados alegando da discriminacao. Major Tara,Alfredo e o seu Grupo,Capitao Marcos Tilman,,tenente Salsinha abandonaram o quartel se juntaram com os policias entre eles o comandante Paulo Martins agora membro do Parlamento do CNRT,SubInspector da Policia Abilio Mausoko, Kaer Susar e entre outros.Todos estes juntaram ao Xanana para o tal golpe de estado na fomentacao da crise de 2006 com ajudo exterior.Sendo Xanana como comandante Supremo nao tinha actuado para superar a crise mas fomentando pedindo que lhes que fizessem uma peticao contra a descriminacao. A demonstracao dos peticionarios com grupo da Unidade Nacional para a justica encabecado por Tara teve a participacao do Xanana com slogam "ABAIXO ALKATIRI, ALKATIRI LADRAO ETC.Tinham eles intencoes para a queda do governo e dissolucao do parlamento.Major Tara afiliou-se no PSD do Mario Carrascalao durante a campanha eleitoral.Agora querem regressar as fileiras do exercito nao se viu no mundo depois dum rebeliao abandonando o quartel por indisciplina e expulsao de dois anos.Os autores da crise prometeram que serao reintegrados porque ajudaram-lhes como disse um jornalista australiano os futuros responsaveis militares de Timor Leste.Caso os autores se forem integrados tenho a certeza que os FDTL abandonariam os quarteis regressariam ao mato para uma nova luta de libertacao.Eu acredito que alguns soldados foram arrastados inocentes nesta onda de rumores daquilo que passava mas nao os oficiais sabiam o que queriam desta promessas.E boa licao para nao cairem nas armadilhas dos lideres politicos por seus interesses pessoais deixaram os 600e tais nesta desgraca.Misturam a vida militar com a politica poderiam ser neutros como exigi a disciplina militar.O timorense mistura a politica sem analisar em que posicao que estao ou pensar nas consequencias para si e a familia.

- Gostaria saber tambem qual e a importante pessoa em Timor Leste para que Salsinha nao rendesse como disse o Longuinhos ou apenas para lancar mais confusao e propaganga como fizeram tantos duranta a crise.


Adeus

De Aikurus

Margarida disse...

Tradução:
UNMIT – MONITORIZAÇÃO DOS MEDIA - Quarta-feira, 12 Março 2008

"A UNMIT não assume qualquer responsabilidade pela correcção dos artigos ou pela correcção das traduções. A selecção dos artigos e dos seus conteúdos não indicam apoio ou endosso pela UNMIT seja de forma expressa ou implícita. A UNMIT não será responsável por qualquer consequência resultante da publicação, ou da confiança em tais artigos e traduções."

Relatos dos Media Nacionais

TVTL Cobertura de Notícias

Monteiro: não mais regateios com Salsinha: O Procurador-Geral da República, Longuinhos Monteiro disse que o Governo e o Procurador-Geral não regatearão mais com Salsinha. “Como representante do Governo neste caso, digo-lhes que não vamos regaterar mais com Salsinha. Para nós, este é um caso urgente para ser imediatamente resolvido,” disse o Sr. Monteiro na Terça-feira (11/3) em Caicoli, Dili. De acordo com o Sr. Monteiro, Salsinha pediu na Segunda-feira (10/3) um prolongamento do prazo para a rendição, mas depois quebrou a sua própria promessa ao mandar uma carta para o Procurador-Geral a explicar que não se entregaria.

“Agora Salsinha diz que se quer render ao PR Ramos-Horta quando o Presidente regressar da Austrália; essa é a sua própria declaração. Se alguma coisa acontecer, não culpem o Governo” disse o Sr. Monteiro.

Xanana: Salsinha, don’t waste this time: Na sessão plenária do Parlamento Nacional na Terça-feira (11/3) o PM Xanana Gusmão pediu a toda a gente que tem ligações com Salsinha e o seu grupo para os persuadir a renderem-se, em vez de morrerem. Em relação à relação do Procurador-Geral Longuinhos Monteiro com Salsinha, o Primeiro-Ministro disse que a interacção do Procurador-Geral com Salsinha era apenas para confirmar se Salsinha se entregaria ou não.

RTL Cobertura de Notícias

Monteiro: Salsinha influenciado para não se entregar: O Procurador-Geral da República Longuinhos Monteiro afirmou que há uma pessoa importante neste país que está a influenciar Salsinha para não se entregar à velha liderança, mas sim aos novos líderes – o Procurador-Geral declinou revelar quem são os novos líderes.

Em separado, o Sr. Monteiro disse também que algumas pessoas de fora do país estão a tentar abastecer Salsinha com armas. “Tenho novas informações à cerca duma pessoa que tentou obter entre 5-10 armas para apoiar Salsinha,” disse o Sr. Monteiro na Terça-feira (11/3) em Dili. Contudo, o Sr. Monteiro acredita que as armas não chegarão a Timor-Leste dado que o país tomou medidas para prevenir este tipo de distribuição de armas.

Mateus Fernandes: A operação contra os amotinados pode criar vítimas: Relacionadas com as tentativas sem sucesso para levar Salsinha a entregar-se ao Estado, o Vice-Comandante da Operação Conjunta das F-FDTL/PNTL, Inspector Mateus Fernandes, disse que a operação contra o líder amotinado pode criar vítimas se os amotinados não seguirem as instruções do Estado e abrirem fogo contra a operação em Ermera. O Inspector Fernandes disse que a Operação Conjunta tentará evitar usar o confronto físico contra os amotinados, e que em vez disso procura maneiras pacíficas para os levar a entregarem-se. “Realmente não queremos criar vítimas com esta operação. Por isso pedimos a Salsinha para não dar ouvidos a rumores,” disse o Inspector Fernandes. A Operação Conjunta das F-FDTL/PNTL continua nos distritos, enquanto no distrito de Ermera a operação se aproxima da praça forte de Salsinha e do seu grupo.

Cobertura Impressa
Monteiro: não mais regateios com Salsinha: O Procurador-Geral da República, Longuinhos Monteiro disse que o Governo e o Procurador-Geral não vão regatear mais com. “Como representante do Governo neste caso, digo-lhes que não vamos regaterar mais com Salsinha. Para nós, este é um caso urgente para ser imediatamente resolvido,” disse o Sr. Monteiro na Terça-feira (11/3) em Caicoli, Dili. De acordo com o Sr. Monteiro, Salsinha pediu na Segunda-feira (10/3) um prolongamento do prazo para a rendição, mas depois quebrou a sua própria promessa ao mandar uma carta para o Procurador-Geral a explicar por que não se entregaria.

“Agora Salsinha diz que se quer entregar ao PR Ramos-Horta quando o presidente regressar da Austrália; ; essa é a sua própria declaração. Se alguma coisa acontecer, não culpem o Governo” disse o Sr. Monteiro. (STL)

Xanana: Salsinha, não perdas tempo: O PM Xanana Gusmão apelou a Salsinha e ao seu grupo para não perderem tempo esperando pelo regresso do PR Ramos-Horta de modo a renderem-se.

“Salsinha está à espera do Presidente para se entregar, mas isso não ajudará. Esta não é uma opção que o Comando da Operação Conjunta vai considerar,” disse o PM Xanana na sessão plenária do Parlamento Nacional na Terça-feira (11/3) quando o Primeiro-Ministro apresentou o relatório do “Estado de Sítio” de 48 horas ao Parlamento Nacional.

O PM Xanana Gusmão apelou ainda a toda a gente que tenha conexões com Salsinha e o seu grupo para os persuadir a renderem-se, em vez de morrerem. Em relação à relação do Procurador-Geral Longuinhos Monteiro com Salsinha, o Primeiro-Ministro disse que a interacção do Procurador-Geral com Salsinha era apenas para confirmar se Salsinha se entregará ou não. (STL)

Tara-Tilman encontram-se com Lasama: Petitioners, not to return to the military: Os antigoa Majores Augusto ‘Tara’ e Marcos ‘Pilotu’, juntamente com outros quatros peticionários, encontraram-se oficialmente com o Presidente da República Interino, Fernando ‘Lasama’ para discutir o futuro dos peticionários reunidos em Aitarak Laran, Dili.

O Major Tara disse que a posição do Presidente Interino é a mesma do Governo: que os peticionários não podem voltar às forças militares e devem permanecer civis.

“Estamos a pedir ao Primeiro-Ministro Xanana para clarificar que os peticionários devem na verdade permanecer civis, para termos uma resposta clara,” disse Tara na Terça-feira (11/3) depois de se encontrar com o Presidente Interino. (STL)

Operação Conjunta exagera: o PN pede a Xanana para se demitir: Deputados do Parlamento Nacional estão a pedir ao PM Xanana para se demitir das suas posições de Ministro da Segurança e da Defesa dado que é incapaz de controlar oficiais da PNTL e F-FDTL que têm actuado incorrectamente durante o “Estado de Sítio”. Na sessão plenária do PN, o Primeiro-Ministro não respondeu a isto, mas disse que o Comando da Operação Conjunta fará esforços para melhorar as suas atitudes. O Primeiro-Ministro pediu também aos membros da comunidade para relatarem o que virem, ouvirem e sentirem ao Provedor dos Direitos Humanos. (STL)

Pessoas estão a tentar fornecer armas a Salsinha: O Procurador-Geral da República Longuinhos Monteiro disse que algumas pessoas de fora do país estão a tentar fornecer armas a Salsinha. “Tenho novas informações que uma pessoa tentou obter entre 5-10 armas para apoiar Salsinha,” disse o Sr. Monteiro na Terça-feira (11/3) em Dili. Contudo, o Sr. Monteiro acredita que as armas não chegarão a Timor-Leste dado que o país tomou medidas para prevenir este tipo de distribuição de armas. (TP)

Op/Ed: Horta pede a Salsinha para se entregar: O PM Xanana Gusmão reafirmou a mensagem do PR Horta que a data limite para Salsinha se entregar é Terça-feira (11/3), e que se ele não se entregar se seguirá acção militar. Esta mensagem é muito importante para Salsinha e seu grupo e deve fazê-los pensar no que fizeram. Esta mensagem pode ter vindo como resposta à carta de Salsinha onde afirmava que se renderá apenas quando o PR Horta voltar para Timor-Leste.

Vai Salsinha obedecer ao pedido para se entregar, ou vai esperar mais tempo? Vejamos quem segue quem: Vai o Estado seguir os caprichos de Salsinha? Ou vai Salsinha seguir as exigências do Estado. Por um lado, cada parte tem direito à auto-defesa, mas é também importante que cada parte contribua para a estabilidade da nação. Vamos esperar pela implementação da decisão do Estado para ver quais são as intenções: matar, ou ouvirem-se uns aos outros? (TP)

Riak Leman: ‘Estado de Sítio’ beneficia a comunidade: O deputado do PSD no PN, Riak Leman disse que o 'Estado de Sítio' deve ser prolongado dado que a situação está ainda instável visto que Salsinha não se entregou ainda e as armas distribuidas em 2006 estão ainda ao largo. O Sr. Leman disse também que o 'Estado de Sítio' não discrimina contra ninguém mas beneficia todos os membros da comunidade. (TP)

Ana Pessoa: ‘Estado de Sítio’ não se deve tornar ‘Estado Normal’: A deputada da Fretilin no Parlamento Nacional, Ana Pessoa disse que o 'Estado de Sítio’ não se deve tornar um ‘Estado Normal’. “O ‘Estado de Sítio’ é implementado quando a nação está a ser ameaçada ou em grave perigo, foi por isso que o PR Ramos-Horta aceitou o ‘Estado de Sítio’ por um período de 48 horas,” disse a Srª Pessoa no PN, Dili quando o PM Xanana apresentou o relatório do 'Estado de Sítio' de 48 horas.

A Srª Pessoa disse também que algo vai mal no país se as pessoas apenas conseguem viver em paz durante um ‘Estado de Sítio’. “Se os peticionários estão calmos, porque é que continuamos com o ‘estado de Sítio’? Por causa de Salsinha? Na crise de 2006, o PM Alkatiri não autorizou uma manifestação, mas o PR Xanana disse que manifestar-se é um direito. Porque é que ele não implementou o ‘Estado de Sítio’ nessa altura quando andavam pessoas a queimar casas … temos de ser honestos, se há uma ameaça para a nação, [o governo] deve informar as pessoas para elas possam conhecer a verdade e não dêem ouvidos a rumores.” (DN)

Fontes de Notícias Nacionais:
Televizaun Timor-Leste (TVTL)
Radio Timor-Leste (RTL)
Timor Post (TP)
Suara Timor Lorosae (STL)
Diario Tempo (DT)
Diario Nacional (DN)
Semanário Nacional (SN)
Tempo Semanal (TS)

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.