sábado, março 15, 2008

Mais, porque é uma história mal contada...

H. Correia deixou um novo comentário na sua mensagem "Uma história mal contada":

http://timor-online.blogspot.com/2008/03/uma-histria-mal-contada.html

Ao Anónimo das 14:08:

Se conhecer outras "informações", agradeço-lhe que indique quais e de que fontes. As "informações" de que disponho (e que ainda sei ler) demonstram que há três versões do telefonema e outras tantas da ordem cronológica entre a emboscada e o cerco à casa.

Como só uma delas é a verdadeira, conclui-se que as outras são falsas. Ou seja, alguém anda a mentir.

No primeiro caso, o motorista nunca refere ter atendido qualquer chamada telefónica. Nem ele nem Xanana. Pelo contrário, diz que Xanana nunca andava com telemóvel e o dele (motorista) não tinha carga suficente para fazer chamadas. Nem seria possível atender o telemóvel, conduzindo o carro e tentando escapar com vida de uma emboscada. Tudo ao mesmo tempo. Já imaginou? La hetan, boy!

Repare que no 2º caso as três versões pertencem à mesma pessoa: Kirsty. Portanto, aqui não há dúvidas quanto a quem está mentindo. No dia 12 de Fevereiro afirmou que a casa foi atacada antes da emboscada; no dia 13, já dizia que foi "at that very moment", ou seja, ao mesmo tempo; no dia 15 já dizia que Salsinha falou com os guardas da casa e pediu armas depois da emboscada.


SOBRE O “TELEFONEMA” DE KIRSTY A XANANA (três versões):

- VERSÃO DO MOTORISTA:

The Australian - Thursday, February 21, 2008
Paul Toohey

http://timor-online.blogspot.com/2008/02/gusmao-driver-tells-of-headlong-flight.html

“He [o motorista Adolfo Soares dos Santos] said MR GUSMAO ALSO NEVER CARRIED A TELEPHONE. HIS OWN PHONE BATTERY WAS TOO LOW TO CALL OUT”

- 2 VERSÕES DE KIRSTY:

PRIMEIRA VERSÃO:
Sydney, Austrália, 12 Fev (Lusa)
http://timor-online.blogspot.com/2008/02/foram-momentos-de-pnico-e-confuso.html
"TENTEI TELEFONAR PARA O XANANA nessa altura. FALEI COM O CONDUTOR NO MOMENTO EXACTO EM QUE ESTAVAM A SER EMBOSCADOS”

SEGUNDA VERSÃO:
Díli, 15 Fev (Lusa)

http://timor-online.blogspot.com/2008/02/o-dia-mais-perigoso-da-minha-vida-diz.html
“Quando LIGOU A XANANA GUSMÃO E OBTEVE FINALMENTE RESPOSTA PELO TELEMÓVEL, Kirsty Sword-Gusmão percebeu que o marido estava a ser atacado.
"Só OUVI O XANANA A GRITAR E DISPAROS"


SOBRE A “SIMULTANEIDADE” DOS ATAQUES (três versões):

PRIMEIRA VERSÃO:
Sydney, Austrália, 12 Fev (Lusa)
http://timor-online.blogspot.com/2008/02/foram-momentos-de-pnico-e-confuso.html
Na entrevista, Kirsty Sword disse que A CASA FOI ATACADA [...] pouco tempo ANTES DA EMBOSCADA À COLUNA EM QUE SEGUIA O SEU MARIDO, Xanana Gusmão.

SEGUNDA VERSÃO:
Díli, 15 Fev (Lusa)

http://timor-online.blogspot.com/2008/02/o-dia-mais-perigoso-da-minha-vida-diz.html

“O tenente Gastão Salsinha liderou o ataque contra a caravana do primeiro-ministro, disse Kirsty Sword-Gusmão, porque DEPOIS DA EMBOSCADA falou com os guardas da casa, "pedindo armas".”

TERCEIRA VERSÃO:
The Age Wednesday, 13 February 2008

http://timor-online.blogspot.com/2008/03/timor-pms-wife-tells-of-terror-ordeal.html

"I RANG XANANA at that point [momento em que soube que a casa estava a ser atacada] to tell him that we were at great risk, AND AT THAT VERY MOMENT XANANA'S CAR WAS BEING AMBUSHED"

3 comentários:

Margarida disse...

Depois destas três versões do “telefonema” da Kirsty a Xanana e das igualmente três versões da “simultaneidade” dos ataques à residência do Xanana já se entende melhor porque é que nem sequer ainda foi entregue ao Parlamento a cronologia dos “ataques” de 11 de Fevereiro e também porque é que nada se sabe igualmente dos resultados do “trabalho” do FBI e da Polícia Federal Australiana apesar de já por aí estarem quase há um mês.

"Os agentes do FBI ficam em Timor-Leste por tempo indeterminado", explicava então o embaixador dos Estados Unidos, apesar do Interino acreditar que num mês se resolvia o imbróglio. Penso que é melhor continuarmos a espera, sentados...

Margarida disse...

Alguma diferença há entre dissimular e simular.

Numa dissimulação, procura-se esconder algo. Numa simulação, mostra-se algo. Algo que não é real, mas com a intenção de que os outros o tomem como se fosse.

Exemplo de dissimulação é o uniforme de camuflagem que faz do soldado um verdadeiro camaleão: se ele está na selva, tem várias tonalidades esverdeadas tal como a matizada vegetação, mas, se ele está na neve, é todo branco. Já pensou se ele trocasse um uniforme por outro? Viraria uma “táubua de tiro ao álvaro” como naquele sambinha do saudoso Adoniran Barbosa, de preferência cantado pela magnífica Elis Regina:

De tanto levar frechada do teu olhar
Meu peito até parece, sabe o quê?
Táubua de tiro ao álvaro
Não tem mais onde furar.

Numa simulação não se esconde nada: mostra-se tudo. Mostra-se uma aparência que tem tudo para ser real, mas não passa de uma imitação da realidade.

Excelente exemplo de simulação foi o que fez em 23 de Outubro de 1933, John Dillinger, famoso gangster americano, que precisando de dinheiro, decidiu assaltar um banco.
Porém, no dia 23 de Outubro de 1933, a grande novidade não foi um assalto a banco, mas a maneira engenhosa como ele foi feito. Dillinger colocou na frente do banco câmaras cinematográficas, actores, director com boné e megafone e tudo. Conseguiu persuadir todo o mundo que estava a fazer a filmagem de um assalto a banco. E quando todos estavam a apreciar a filmagem da cena, ele entrou no banco, puxou seu pistolão, mandou pôr 75.000 dólares num saco e saiu tranquilamente pela porta da frente com seu chapéu Panamá e seu charuto cubano.

O Timor de hoje não está a parecer o povo atrás de uma câmara, achando que está a assistir a uma filmagem para filme policial?

Mas seja como for, casos de simulação ou dissimulação têm a ver com fraude, com actos ilícitos, com engodo, com engano.

Anónimo disse...

Todos esses grandes célebros de investigação policial precisam de recolher informação publicada em todos os jornais e de outras fontes, procurar as testemunhas do acontecimento, pensar individualmente, trocar opiniões em equipas, averiguar as "verdades" apuradas em software criminalísticos sofisticados, efectuar consultas com equipa de secreta australiana, com a de propaganda e a do governo juntamente com os seus porta vozes.

E não nos podemos de esquecer que depois de adoptar uma versão única todos terão que saber a cantá-la.

E depois submetem-se todos ao detector de mentiras para este dizer se há alguém que não aprendeu todas as palavras, para que não haja nada fora do contexto.
Tudo terá que bater certinho ao mais ínfimo milímetro.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.