domingo, fevereiro 17, 2008

Ramos-Horta teria se encontrado com líder rebelde em janeiro

Globo.com
16/02/2008 - 10h33

Investigações sobre o ataque ao presidente de Timor Leste ganharam novo rumo.

Ramos-Horta recupera-se do ataque no Hospital de Darwin, na Austrália.

As investigações sobre o atentado contra o presidente de Timor Leste, José Ramos-Horta, ganharam um novo rumo depois que o ministro da economia do país, João Gonçalves, afirmou que Ramos-Horta teria participado de uma reunião secreta com o líder revolucionário Alfredo Reinado em 13 de janeiro.

Segundo o ministro, o encontro entre Ramos-Horta e Reinado teria sido "descontraído e amigável", e serviria para trazer, finalmente, a paz e a democracia ao país.

Gonçalves afirmou que, durante o almoço, Ramos-Horta e Reinado teriam chegado a um acordo profícuo para ambas as partes. O revolucionário teria concordado em se entregar às tropas neozelandesas nos próximos meses. Em troca, Ramos-Horta teria prometido uma anistia para 20 de maio, quando será comemorado o 6º aniversário de independência de Timor Leste.

Mas o ministro da economia teria conseguido convencer o revolucionário a se entregar tão logo fosse possível. Dessa forma, quando a anistia chegasse, Reinado poderia dizer que foi julgado pelas leis timorenses, segundo informou Gonçalves. O acordo, no entanto, nunca chegou a acontecer de fato.

Especula-se que uma terceira pessoa teria convencido o revolucionário a atacar a residência do presidente, provavelmente em troca de uma alta soma de dinheiro. Ainda não foi confirmado se o objetivo de Reinado era assassinar ou seqüestrar o presidente timorense.

Com o encontro secreto de Reinado e Ramos-Horta vindo a público, parece ser mais convicente a hipótese de que o presidente teria retornado à sua residência, mesmo sabendo que ela estava sendo atacada, porque achava que ainda poderia convencer o revolucionário a se entregar.

O ataque

José Ramos-Horta, de 58 anos e Nobel da Paz de 1996, foi submetido a quatro intervenções cirúrgicas, desde que na segunda-feira (11) recebeu três tiros ao ser atacado, em Díli, por um grupo de militares rebeldes liderados pelo ex-comandante Alfredo Reinado.

O ex-comandante morreu no tiroteio com os seguranças do presidente.

Na quarta-feira (13), a equipe médica que atende o presidente disse que o paciente só deve recuperar a mobilidade em algumas semanas, e que em cerca de seis meses poderia estar recuperado dos ferimentos.

1 comentário:

Clavis disse...

Para que não se repita!

http://www.petitiononline.com/mil1001/petition.html

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.