segunda-feira, junho 16, 2008

Timor opposition leader targets policies in Lisbon address

7/6/2008

‘Painting a cautiously upbeat scene of East Timor, opposition leader Mari
Alkatiri has criticized the policies of Prime Minister Xanana Gusmão's
government in several areas during an address in the Portuguese capital.

Speaking Monday at Lisbon's Geographic Society, Alkatiri said his country's
recent experience of "gratuitous and institutionalized" violence had been
overcome, but he warned that what he called the government's policy of
"exclusion rather than inclusion" could reignite turmoil.

Describing the recent hike of food and fuel prices in East Timor as "grave",
he criticized Gusmão’s remedy of "subsidizing consumption", arguing that a
better solution would be "subsidizing production".

He also targeted Dili's decision to revoke Portugal Telecom's monopoly on
the country's fledgling telephone sector, a scheme approved under an
Alkatiri-led executive, charging such a move placed "judicial security" at
risk.

Despite the country's difficulties, Alkatiri sounded an optimistic note,
saying he did not want to "wash dirty laundry" abroad and underlining that
Dili boasted record revenues, a swelling oil fund and continued support from
the international community.

On another controversial front, the former prime minister said he "accepted"
President José Ramos Horta's commuting of nearly 100 prison sentences last
month, including that of Alkatiri's former interior minister, Rogério
Lobato, for involvement in the wave of violence two years ago and of several
former pro-Indonesian militiamen for crimes against humanity.

But he cautioned that such "generous" decisions should be made with great
care to avoid setting "a bad precedent".

Alkatiri’s private visit to Lisbon followed a trip to Angola last week where
he met with President José Eduardo dos Santos.

TPN/Lusa

1 comentário:

Margarida disse...

TraduçãO:
Líder da oposição de Timor ataca políticas em discurso em Lisboa
7/6/2008

‘Pintando uma cena cautelosamente para a frente de Timor_Leste, o líder da oposição Mari
Alkatiri criticou as políticas do governo do Primeiro-Ministro Xanana Gusmão em várias áreas durante um discurso na capital Portuguesa.

Falando na Segunda-feira na Sociedade de Geografia de Lisboa, Alkatiri disse que a experiência recente de violência "gratuita e institucionalizada" no seu país tinha sido ultrapassada, mas avisou que o que chamou de política do governo de "exclusão em vez de inclusão" pode re-acender o turbilhão.

Descrevendo a recente subida de preços dos alimentos e combustíveis em Timor como "graves",
criticou o remédio de Gusmão de "subsidiar o consumo", argumentando que a melhor solução será "subsidiar a produção".

Alvejou também a decisão de Dili de revogar o monopólio da Portugal Telecom no nascente sector de telefones do país, um esquema aprovado sob um executivo liderado por Alkatiri, acusando que uma tal mudança colocou em risco a "segurança judicial".

Apesar das dificuldades do país, Alkatiri fez soar uma nota optimista, dizendo que não queria "lavar roupa suja" no estrangeiro e sublinhando que o recorde de crescimento dos rendimentos de Dili um fundo e petróleo em crescimento e o apoio continuado da comunidade internacional.

Noutra frente controversa, o antigo primeiro-ministro disse que "aceitou" a comutação pelo Presidente José Ramos Horta de perto de 100 penas de prisão o mês passado, incluindo a do antigo ministro do interior de Alkatiri, Rogério Lobato, por envolvimento na onda de violência há dois anos atrás e de vários antigos milícias pró-Indonésias por crimes contra a humanidade.

Mas alertou que decisões tão "generosas" deviam ser tomadas com grande cuidado para evitar criar um "mau precedente".

A visita particular de Alkatiri a Lisboa seguiu-se a uma viagem a Angola na semana passada onde se encontrou com o Presidente José Eduardo dos Santos.

TPN/Lusa

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.