terça-feira, maio 13, 2008

Withhold Timor aid: rebel lover's family

Smh.com.au
May 12, 2008 - 6:31PM

The family of the lover of rebel leader Alfredo Reinado has called on the Australian government to withhold aid to East Timor until she is "charged or exonerated".

Angelita Pires, 33, was the first person to be arrested over the February 11 attacks on President Jose Ramos Horta and Prime Minister Xanana Gusmao.

The dual Australian-East Timorese citizen has maintained she played no part in the rebel attacks, in which Reinado was killed.

But despite no charges being laid against Ms Pires, her brother Antonio Pires said she was still under investigation and unable to leave the country.

Mr Pires said his sister had been accused of "a myriad of things".

"They surely could select even one of them to charge her but they haven't," he said, adding that the federal government had a duty to protect its citizens.

"We ask the Australian and the Northern Territory governments to lodge an official complaint about the mistreatment of one of their citizens and to withhold all further aid payments and withdraw the Ambassador for Consultations until Angelita is either charged or exonerated," Mr Pires said in a joint statement with his mother, who lives in Darwin.

Mr Pires also called on the government to investigate further claims that $1 million was deposited in a Darwin bank account in the name of his sister.

He called the reports "unsubstantiated and wild accusations".

Mr Pires said his sister's bank accounts, computer, passport and mobile phones should be restored to her.

"Angelita is held only on suspicion that she had some influence and that's bizarre," he told AAP.

"She was in a relationship with Alfredo, that is true ... but that is not a crime.

"You can be in a relationship with a bank robber but that does not mean that you robbed the bank."

Mr Pires said his family sought an apology from Dr Ramos Horta and prosecutor general Longuinhos Monteiro "for their inappropriate defamation" of his sister.

Mr Monteiro had flagged possible conspiracy charges against Ms Pires, alleging she was with the slain rebel leader in the hours leading up to the president's shooting.

Dr Ramos Horta was critically wounded, while Mr Gusmao escaped unharmed.

© 2008 AAP

Tradução:

Família da amante do amotinado: Retenham a ajuda a Timor

Smh.com.au
Maio 12, 2008 - 6:31PM

A família da amante do líder amotinado Alfredo Reinado pediu ao governo Australiano para reter a ajuda a Timor-Leste até ela ser "acusada ou inocentada".

Angelita Pires, de 33 anos, foi a primeira pessoa a ser detida por causa dos ataques de 11 de Fevereiro ao Presidente José Ramos Horta e Primeiro-Ministro Xanana Gusmão.

A cidadã de dupla nacionalidade Australiana-Timorense tem mantido que não teve qualquer papel nos ataques dos amotinados, onde Reinado foi morto.

Mas apesar de não terem sido feitas acusações contra a Srª Pires, o seu irmão António Pires disse que ela ainda estava sob investigação e que não podia sair do país.

O Sr Pires disse que a sua irmã tinha sido acusada de "bastantes coisas".

"Com toda a certeza que eles podiam escolher uma para a acusar mas nem isso fizeram," disse ele, acrescentando que o governo federal tinha a obrigação de proteger os seus cidadãos.

"Pedimos aos governos Australiano e do Território do Norte para apresentar uma queixa oficial contra o mau tratamento a um dos seus cidadãos e para reter todos os pagamentos da ajuda e para retirar o Embaixador para Consultas até Angelita ser ou acusada ou inocentada," disse o Sr Pires numa declaração conjunta com a sua mãe que vive em Darwin.

O Sr Pires pediu ainda ao governo para investigar mais afirmações de que foi depositado $1 milhão numa conta bancária em Darwin em nome da sua irmã.

Chamou às afirmações "acusações sem substância e selvagens".

O Sr Pires disse que as contas bancárias da sua irmã, computador, passaporte e telemóveis lhe devem ser restituídos.

"A Angelita está detida apenas por suspeita de que teve alguma influência e isso é bizarro," disse ele à AAP.

"Ela tinha uma relação com Alfredo, isso é verdade ... mas isso não é um crime.
"Pode-se ter uma relação com um ladrão de banco mas isso não significa que se roubou um banco."

O Sr Pires diz que a sua família espera um pedido de desculpas do Dr Ramos Horta e do procurador-geral Longuinhos Monteiro "pelas suas difamações incorrectas" da sua irmã.
O Sr Monteiro divulgou possíveis acusações de conspiração contra a Srª Pires, alegando que ela estava com o falecido líder amotinado nas horas antes dos disparos contra o presidente.
O Dr Ramos Horta ficou gravemente ferido, enquanto o Sr Gusmão escapou ileso.
© 2008 AAP

3 comentários:

h correia disse...

Continuam as mentiras anglófonas:

"Angelita Pires, 33, was the first person to be arrested"

Ângela Pires nunca foi presa e apenas está impedida de sair do país, por razões óbvias.

O resto da notícia é pura telenovela mexicana. Sem comentários.

Anónimo disse...

Mr. Antonio has totally forgot that his sister hold a dual citizneship. Beside an Australian she is also an East Timorese. According to the Prosecutor general based on the proofs on the ground she is highly suspected of influencing Rainado and being Rainado's benefactor/fundraiser. Under the law when a person suspected, she or she has to be detained and waiting to be tried in fair manners once the solid evidences have found. How cheap is Mr. Antonio Pires way of thinking? Just because of his sister, he would really think he will be able to convince the Australian government withold all the aids to TL. TL - Australi is bilateral relationship. Let us wait and see....?

Margarida disse...

Tradução:
Família da amante do amotinado: Retenham a ajuda a Timor
Smh.com.au
Maio 12, 2008 - 6:31PM

A família da amante do líder amotinado Alfredo Reinado pediu ao governo Australiano para reter a ajuda a Timor-Leste até ela ser "acusada ou inocentada".

Angelita Pires, de 33 anos, foi a primeira pessoa a ser detida por causa dos ataques de 11 de Fevereiro ao Presidente José Ramos Horta e Primeiro-Ministro Xanana Gusmão.

A cidadã de dupla nacionalidade Australiana-Timorense tem mantido que não teve qualquer papel nos ataques dos amotinados, onde Reinado foi morto.

Mas apesar de não terem sido feitas acusações contra a Srª Pires, o seu irmão António Pires disse que ela ainda estava sob investigação e que não podia sair do país.

O Sr Pires disse que a sua irmã tinha sido acusada de "bastantes coisas".

"Com toda a certeza que eles podiam escolher uma para a acusar mas nem isso fizeram," disse ele, acrescentando que o governo federal tinha a obrigação de proteger os seus cidadãos.

"Pedimos aos governos Australiano e do Território do Norte para apresentar uma queixa oficial contra o mau tratamento a um dos seus cidadãos e para reter todos os pagamentos da ajuda e para retirar o Embaixador para Consultas até Angelita ser ou acusada ou inocentada," disse o Sr Pires numa declaração conjunta com a sua mãe que vive em Darwin.

O Sr Pires pediu ainda ao governo para investigar mais afirmações de que foi depositado $1 milhão numa conta bancária em Darwin em nome da sua irmã.

Chamou às afirmações "acusações sem substância e selvagens".

O Sr Pires disse que as contas bancárias da sua irmã, computador, passaporte e telemóveis lhe devem ser restituídos.

"A Angelita está detida apenas por suspeita de que teve alguma influência e isso é bizarro," disse ele à AAP.

"Ela tinha uma relação com Alfredo, isso é verdade ... mas isso não é um crime.

"Pode-se ter uma relação com um ladrão de banco mas isso não significa que se roubou um banco."

O Sr Pires diz que a sua família espera um pedido de desculpas do Dr Ramos Horta e do procurador-geral Longuinhos Monteiro "pelas suas difamações incorrectas" da sua irmã.

O Sr Monteiro divulgou possíveis acusações de conspiração contra a Srª Pires, alegando que ela estava com o falecido líder amotinado nas horas antes dos disparos contra o presidente.

O Dr Ramos Horta ficou gravemente ferido, enquanto o Sr Gusmão escapou ileso.

© 2008 AAP

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.