quarta-feira, abril 23, 2008

Speed up assassination probe: Horta

Sydney Morning Herald, 22 April 22
East Timor President Jose Ramos-Horta has urged Australian authorities to speed up their investigation into the attempt on his life.

Dr Ramos-Horta was critically injured in the February 11 attack on his home by rebels led by Alfredo Reinado, who was killed in the shootout.

The president returned to the tiny country for the first time last week following treatment in Darwin.

Dr Ramos-Horta says many questions about the assassination attempt still need answering.
"We still have to find who gave them money, who gave them uniforms, logistics equipment, communications equipment," he told the ABC.

Dr Ramos-Horta also wants Australian authorities to hand over all they know about how Reinado amassed almost a million US dollars in an Australian bank account.

Fairfax media reported on the weekend the Darwin Commonwealth Bank account - held jointly with Australian woman Angelita Pires - holds more than $800,000. About $200,000 had reportedly been withdrawn from the account.

"A bank in Australia gets a huge transfer, suddenly, for two people, and they should know the name ... and Australian Federal Police (AFP) didn't detect a huge transfer of money to Darwin," Dr Ramos-Horta said.

"I have given a deadline to the AFP, I want this resolved very, very quickly, otherwise I will take the matter to the United Nations Security Council."

Foreign Minister Stephen Smith said Australian authorities would happily hand over the information.

"All the East Timor authorities need to do, and they've been on notice for a month, is to follow the appropriate procedures, and the information that they're currently seeking, will be made available," Mr Smith told ABC radio.

Mr Smith hit back at suggestions the Australian government could have done more to stop the assassination attempt.

"The East Timorese government, from the president down, had for some substantial time before the attack upon the president, expressly asked the Australian government to ensure that Australian forces in East Timor did not bring him (Reinado) in," he said.

"The president himself was of the view that he wanted Reinado to come to some agreement or compromise, for him to come to some negotiated peaceable arrangement."

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Horta: Apressem a investigação de assassínio
Sydney Morning Herald, 22 Abril 22
O Presidente de Timor-Leste José Ramos-Horta urgiu as autoridades Australianas a apressarem a investigação ao atentado contra a sua vida.

O Dr Ramos-Horta foi ferido com gravidade nos ataques de 11 de Fevereiro na sua casa por amotinados liderados por Alfredo Reinado, que foi moto a tiro.

O presidente regressou ao pequeno país na semana passada pela primeira vez depois de tratamento em Darwin.

O Dr Ramos-Horta diz que muitas questões acerca da tentativa de assassínio ainda precisam de resposta.
"temos ainda de descobrir quem lhes deu dinheiro, quem lhes deu uniformes, equipamentos logísticos, equipamentos de comunicações," disse à ABC.

O Dr Ramos-Horta quer também que as autoridades Australianas lhe entreguem tudo o que sabem sobre como é que Reinado juntou quase um milhão de Dólares USA numa conta bancária Australiana.

A Fairfax media noticiou no fim-de-semana que a conta do Darwin Commonwealth Bank – conjunta com a Australiana Angelita Pires -tem mais de $800,000. Cerca de $200,000 foram retirados da conta segundo relatos.

"Um banco na Austrália recebe uma enorme transferência, de repente, para duas pessoas, e eles têm de ter os nomes ... e a Polícia Federal Australian (AFP) não detectou uma enorme transferência de dinheiro para Darwin," disse o Dr Ramos-Horta.

"Deu uma data limite à AFP, quero isto resolvido muito, muito rapidamente, de outro modo levarei a questão ao Conselho de Segurança das Nações Unidas."

O Ministro dos Estrangeiros Stephen Smith disse que as autoridades Australianas darão a informação com satisfação.

"Tudo o que as autoridades de Timor-Leste precisam de fazer, e foram avisados há mais de um mês, é seguir os procedimentos adequados, e a informação que correntemente procuram, ser-lhes-à disponibilizadas," disse o Sr Smith à ABC radio.

O Sr Smith descartou sugestões que o governo Australiano podia ter feito mais para parar a tentativa de assassínio.

"O governo Timorense, desde o presidente para baixo, tinha durante algum tempo substancial antes do ataque ao presidente, pedido expressamente ao governo Australiano para garantir que as forças Australianas em Timor-Leste não o apanhassem (Reinado) ," disse.

"O próprio presidente tinha a opinião que queria que Reinado chegasse a algum acordo ou compromisso, chegasse por ele a algum arranjo pacífico negociado."

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.