quarta-feira, abril 23, 2008

Horta sets deadline on rebel bank info

Smh.com.au

April 22, 2008 - 6:48PM

The rebel leader wanted over attacks on East Timor's top leaders will hand himself in within days because his powerbase is "non-existent", President Jose Ramos Horta said.

Ramos Horta, who was critically injured in the February attacks, said support for Gastao Salsinha had collapsed, and his days on the run were numbered.

He made the comments after telling Australia to quickly provide East Timor with information about a Darwin bank account held by slain rebel leader Alfredo Reinado, or face action at the UN Security Council.

The president is seeking urgent details from the Australian Federal Police (AFP) about how Reinado, slain during the attack on Ramos Horta's home, amassed almost $A1 million in the Australian account.

"I have given a deadline to the AFP, I want this resolved very, very quickly, otherwise I will take the matter to the United Nations Security Council," he told ABC radio.

He also accused Timorese-born Australian Angelita Pires - a joint signatory to the Darwin bank account, who Ramos Horta claims was Reinado's lover - of knowing where the money came from.

"She knows more about who is behind Mr Alfredo Reinado than Mr Salsinha does," he told AAP.

"If anyone wants to know who was supporting Mr Alfredo Reinado in terms of uniforms, communication equipment, money, Angelita Pires knows that."

He said no East Timorese institutions were involved in supporting Reinado, only East Timorese individuals living in East Timor, Australia, and Indonesia.

East Timorese authorities are continuing to hunt 13 rebels led by Salsinha, who took over when Reinado was killed by Ramos Horta's security guards.

Ramos Horta told AAP he had "no regrets" about his decision to negotiate with Reinado about his surrender prior to the February attacks, despite describing the rebel as mentally unstable and a drug user.

The president said he did not think the same problems would arise with Salsinha, whom he described as more "rational" and unwilling to die.

"His power base is non-existent," he said.

"His strength is dwindling with so many people surrendering, and I am confident that in the next few days he will surrender."

The president said a state of emergency, imposed after the attacks, would be lifted on Wednesday in all but the district of Ermera, where the rebels are believed to be hiding.

Australia's Foreign Minister Stephen Smith on Tuesday urged East Timorese authorities to request access to Reinado's financial records through the proper channels.

"From the middle of March, the relevant Australian authorities have made it clear to East Timor that if they require information for the purposes of their investigations ... all they have to do is follow the well-designated appropriate procedure and that information will be made available to them," he told reporters.

Meanwhile, East Timor's chief prosecutor headed to Indonesia on Tuesday to take custody of three former East Timorese soldiers arrested over the failed assassination bids.

© 2008 AAP

NOTA DE RODAPÉ:

Então mas os investigadores não são australianos?...

2 comentários:

Margarida disse...

Tradução:
Horta marca data limite para informação bancária do amotinado
Smh.com.au

Abril 22, 2008 - 6:48PM

O líder amotinado procurado pelos ataques aos líderes de topo de Timor-Leste vai render-se dentro de dias porque a sua base de poder "não existe", disse o Presidente José Ramos Horta.

Ramos Horta, que ficou ferido com gravidade nos ataques de Fevereiro, disse que se tinha desmoronado o apoio para Gastão Salsinha e que os seus dias de foragido estavam contados.

Ele fez os comentários depois de dizer à Austrália para dar rapidamente a Timor-Leste a informação acerca duma conta dum banco de Darwin do falecido líder amotinado Alfredo Reinado, ou enfrentaria acção no Conselho de Segurança da ONU.

O presidente procura detalhes urgentes da Polícia Federal Australiana (AFP) acerca de como Reinado, morto durante o ataque em casa de Ramos Horta, juntou quase $A1 milhão na conta Australiana.

"Dei uma data limite à AFP, quero isto resolvido muito, muito rapidamente, de outro modo levarei a questão ao Conselho de Segurança da ONU," disse ele à ABC radio.

Acusou também a Australiana Timorense por nascimento Angelita Pires – a outra assinante da conta do banco de Darwin, que Ramos Horta afirma era a amante de Reinado – de saber de onde veio o dinheiro.

"Ela sabe mais sobre quem estava por detrás do Sr Alfredo Reinado do que sabe o Sr Salsinha," contou à AAP.

"Se alguém quer saber quem apoiava o Sr Alfredo Reinado em termos de uniformes, equipamentos de comunicações, dinheiro, Angelita Pires sabe disso."

Disse que nenhumas instituições Timorenses estiveram envolvidas no apoio a Reinado, apenas indivíduos Timorenses a viverem em Timor-Leste, Austrália, e Indonésia.

As autoridades Timorenses continuam a perseguir 13 amotinados liderados por Salsinha, que assumiu quando Reinado foi morto por guardas da segurança de Ramos Horta.

Ramos Horta disse à AAP que “não lamentava” a decisão de negociar com Reinado a sua rendição antes dos ataques de Fevereiro, apesar de descrever o amotinado como mentalmente instável e drogado.

O presidente disse que com Salsinha não se levantarão os mesmos problemas, que descreve como mais "racional" e sem vontade de morrer.

"A sua base de poder não existe," disse.

"A sua força definhe com tanta gente a cercá-lo, e confio que se entregue nos próximos dias"

O presidente disse que será levantado na Quarta-feira o estado de emergência, imposto depois dos ataques, excepto no distrito de Ermera, onde se acredita que os amotinados se escondem.

O Ministro dos Estrangeiros da Austrália Stephen Smith na Terça-feira urgiu as autoridades Timorenses a requererem o aceso às informações financeiras de Reinado através dos canais próprios.

"Desde meados de Março que as autoridades relevantes Australianas deixaram claro a Timor-Leste que se pedirem informações para o propósito das investigações ... tudo o que têm a fazer é seguir o procedimento dem estabelecido adequado e ser-lhes-à disponibilizada essa informação," disse a repórteres.

Entretanto, o procurador chefe de Timor-Leste dirigiu-se à Indonésia na Terça-feira para tomar a custódia de três antigos soldados Timorenses presos por causa das tentativas falhadas de assassínio.

© 2008 AAP

NOTA DE RODAPÉ:

Então mas os investigadores não são australianos?...

Anónimo disse...

Alo Dili

Então mas os investigadores não são australianos?...
Se meteram toda a mao em Timor leste criando a crise para o derrube do Alkatiri como poderao eles ser os grandes investigadores. E mesma coisa pedir o ladrao para investigar o que ele roubou.

Adeus

de Aikurus

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.