segunda-feira, março 31, 2008

At UN, Rudd Downplays Timor Shoot-Out Flap, Internal Investigation May Never Be Released

Matthew Russell Lee – 29 March 2008
Inner City Press at the UN: News Analysis

UNITED NATIONS, March 29 -- Days after Timor L'este president Jose Ramos-Horta criticized both UN Police and Australian troops for inaction while he was shot and almost killed, Australian prime minister Kevin Rudd emerged Saturday from a meeting with UN Secretary-General Ban Ki-moon and, in summarizing the topics discussed, did not mention East Timor.

He listed Darfur, Afghanistan, climate change and Australia's bid for a Security Council seat in 2013. Inner City Press asked for his response to Ramos-Horta's statements, including that "Australian troops only act upon requests from the United Nations." Rudd responded, not on the chain of command question, but that "the UN has underway its own internal investigation of the security arrangements concerning him at the time."


But will that UN investigation ever be made public? Inner City Press on Friday asked Ban Ki-moon's spokesperson, and drew a prepared "if-asked" response, then an evasion on whether the report will be made public.

Inner City Press: President [Ramos-] Horta of East Timor, now that he’s recuperating in Australia, has again raised this issue that he believes that the UN police didn’t come to his aid and obstructed those who tried to help him. He said it on Australian television. So the UN at the time said it was looking into it. What has the UN concluded about its actions on the day of the attack?

Spokesperson: Let me first say that we don't respond to statements made by leaders of Timor-Leste, whom we respect greatly. The comments attributed to President Ramos-Horta are taken seriously and would be investigated in the context of an internal review exercise of dealing with the incident. However, we would state also that trilateral coordination forum that brings together ISF, UN and Timor-Leste, under the leadership of Timor-Leste, is the mechanism that coordinates responses in such cases. An immediate meeting of that triangular coordination forum was held under the chairmanship of the Prime Minister within a few hours of the attacks, and appropriate decisions were taken and implemented at that time. That’s all I can say, really, at this point.

Inner City Press: I just have one follow up to that. By saying it’s an internal review, does that mean that whenever the conclusions are reached they will be announced publicly?

Spokesperson: It’s going to be an internal review within UNMIT.

Inner City Press: Right, but then there’ll be an external result, they’ll say, here’s what we found, we found that we did the right thing or we found we didn’t?

Spokesperson: I don’t know at this point, I cannot tell you at this point. It was to be done in coordination with the Timor-Leste Government, of course.

Tradução:

Na ONU, Rudd desvaloriza golpe com tiros em Timor, investigação interna pode nunca ser revelada

Matthew Russell Lee – 29 Março 2008
Inner City Press (Imprensa de dentro da cidade da ONU): Análise de Notícias

NAÇÕES UNIDAS, Março 29 – Dias depois do presidente de Timor-Leste José Ramos-Horta ter criticado ambas, a Polícia da ONU e as tropas Australianas pela inacção quando ele foi baleado e quase morto, o primeiro-ministro Australiano Kevin Rudd emergiu no Sábado de um encontro com o Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon e, ao resumir os tópicos discutidos, não mencionou Timor-Leste.

Ele listou Darfur, Afeganistão, alterações climáticas e a candidatura da Austrália a um lugar no Conselho de Segurança em 2013. Inner City Press pediu uma resposta à declaração de Ramos-Horta's, incluindo que as "tropas Australianas apenas actuam a pedido das Nações Unidas." Rudd respondeu, não à questão da cadeia do comando, mas que "a ONU tem em curso a sua própria investigação interna aos arranjos de segurança sobre ele naquela altura."


Mas alguma vez virá a público essa investigação da ONU? Inner City Press na Sexta-feira perguntou isso ao porta-voz de Ban Ki-moon, que se saiu com uma resposta preparada "se for pedida", portanto uma evasão sobre se o relatório será revelado publicamente.

Inner City Press: O Presidente [Ramos-] Horta de Timor-Leste, agora que está em recuperação na Austrália, tornou a levantar esta questão que acredita que a polícia da ONU não veio em sua ajuda e que obstruiu os que tentaram ajudá-lo. Ele disse isto na televisão Australiana. Então nessa altura a ONU disse que estava a analisar isso. O que é que a ONU concluiu acerca das suas acções no dia do ataque?

Porta-voz: Deixem-me primeiro dizer que não respondemos a declarações feitas por líderes de Timor-Leste, a quem muito respeitamos. Os comentários atribuídos ao Presidente Ramos-Horta são tomados com seriedade e serão investigados no contexto dum exercício de revisão interno de lidar com o incidente. Contudo, afirmamos também que o forum trilateral de coordenação que junta ISF, ONU e Timor-Leste, sob a liderança de Timor-Leste, é o mecanismo que coordena a respostas em tais casos. Realizou-se um encontro imediato do forum trilateral de coordenação sob a liderança do Primeiro-Ministro, poucas horas depois dos ataques, e nessa altura, foram tomadas e implementadas decisões adequadas. Sobre este ponto, é tudo o que posso dizer, realmente.

Inner City Press: Apenas tenho uma dúvida a esclarecer sobre isso. Ao dizer que é uma revisão interna, isso quer dizer que seja qual for a conclusão a que se chegue ela será anunciada publicamente?

Porta-voz: Isso vai ser uma revisão interna dentro da UNMIT.

Inner City Press: Certo, mas então haverá um resultado externo, eles dirão, aqui está o que concluímos, concluímos que agimos de maneira certa ou concluímos que não agimos de maneira certa?

Porta-voz: Não conheço nesta altura, não posso dizer-lhe nesta altura. Obviamente, isso tem de ser feito em coordenação com o Governo de Timor-Leste.

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Na ONU, Rudd desvaloriza golpe com tiros em Timor, investigação interna pode nunca ser revelada
Matthew Russell Lee – 29 Março 2008
Inner City Press (Imprensa de dentro da cidade da ONU): Análise de Notícias

NAÇÕES UNIDAS, Março 29 – Dias depois do presidente de Timor-Leste José Ramos-Horta ter criticado ambas, a Polícia da ONU e as tropas Australianas pela inacção quando ele foi baleado e quase morto, o primeiro-ministro Australiano Kevin Rudd emergiu no Sábado de um encontro com o Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon e, ao resumir os tópicos discutidos, não mencionou Timor-Leste.

Ele listou Darfur, Afeganistão, alterações climáticas e a candidatura da Austrália a um lugar no Conselho de Segurança em 2013. Inner City Press pediu uma resposta à declaração de Ramos-Horta's, incluindo que as "tropas Australianas apenas actuam a pedido das Nações Unidas." Rudd respondeu, não à questão da cadeia do comando, mas que "a ONU tem em curso a sua própria investigação interna aos arranjos de segurança sobre ele naquela altura."


Mas alguma vez virá a público essa investigação da ONU? Inner City Press na Sexta-feira perguntou isso ao porta-voz de Ban Ki-moon, que se saiu com uma resposta preparada "se for pedida", portanto uma evasão sobre se o relatório será revelado publicamente.

Inner City Press: O Presidente [Ramos-] Horta de Timor-Leste, agora que está em recuperação na Austrália, tornou a levantar esta questão que acredita que a polícia da ONU não veio em sua ajuda e que obstruiu os que tentaram ajudá-lo. Ele disse isto na televisão Australiana. Então nessa altura a ONU disse que estava a analisar isso. O que é que a ONU concluiu acerca das suas acções no dia do ataque?

Porta-voz: Deixem-me primeiro dizer que não respondemos a declarações feitas por líderes de Timor-Leste, a quem muito respeitamos. Os comentários atribuídos ao Presidente Ramos-Horta são tomados com seriedade e serão investigados no contexto dum exercício de revisão interno de lidar com o incidente. Contudo, afirmamos também que o forum trilateral de coordenação que junta ISF, ONU e Timor-Leste, sob a liderança de Timor-Leste, é o mecanismo que coordena a respostas em tais casos. Realizou-se um encontro imediato do forum trilateral de coordenação sob a liderança do Primeiro-Ministro, poucas horas depois dos ataques, e nessa altura, foram tomadas e implementadas decisões adequadas. Sobre este ponto, é tudo o que posso dizer, realmente.

Inner City Press: Apenas tenho uma dúvida a esclarecer sobre isso. Ao dizer que é uma revisão interna, isso quer dizer que seja qual for a conclusão a que se chegue ela será anunciada publicamente?

Porta-voz: Isso vai ser uma revisão interna dentro da UNMIT.

Inner City Press: Certo, mas então haverá um resultado externo, eles dirão, aqui está o que concluímos, concluímos que agimos de maneira certa ou concluímos que não agimos de maneira certa?

Porta-voz: Não conheço nesta altura, não posso dizer-lhe nesta altura. Obviamente, isso tem de ser feito em coordenação com o Governo de Timor-Leste.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.