segunda-feira, maio 05, 2008

Museu do Oriente - Abertura 9 de Maio

Festa do Oriente

9, 10, 11 MAIO

Três dias de música, cinema, marionetas, teatro de sombras e um sem número de actividades educativas é o que o Museu do Oriente tem para oferecer ao público que, logo após a inauguração oficial, no dia 8 de Maio, acorra a visitar as suas exposições.Integralmente gratuita (à excepção do espectáculo de Mário Laginha, que inaugura o auditório), a actividade foi pensada para atrair todos os públicos, dos mais novos aos mais velhos.Para além de poder ver, em primeira mão, as exposições Presença Portuguesa no Oriente, Deuses da Ásia e Máscaras da Ásia, quer individualmente, quer em visitas guiadas, os três dias da Festa do Oriente serão preenchidos com música hindustani, danças tradicionais de Goa, música chinesa em instrumentos ocidentais e danças do Rajastão.Pelo auditório, vão passar alguns dos filmes japoneses que constam da programação do Monstra – Festival de Animação de Lisboa. A tradução de nomes para chinês, as leituras do zodíaco chinês, a consulta a um adivinho de Macau, o ensino da arte de recorte de papel, a pintura de mãos ao gosto hindu, a feitura de máscaras, o ritual do chá, como se faz na China ou no Japão e até aulas de tai ji quan são outras das actividades que o Museu do Oriente tem para propor nos três primeiros dias de abertura.

MÚSICA

TRIMURTI (Portugal, Vietname, Índia, Japão)Mário Laginha (Portugal) - piano
Ngyen Lê (Vietname) - guitarrasPrabou Edhouard (Índia) – tablasJoji Hirota (Japão) – tambores taiko e shakuhachi
9, 10, 11, 12 MAIO - AUDITÓRIO22:00Preço: € 20,00
+ info

MÚSICA HINDUSTANI (ÍNDIA)
Manuel Leão - sitar9, 10, 11 MAIO - SALÃO MACAU
9 Maio, 21:0010 Maio, 11:00 (com Francisco Cabral nas tablas)10 Maio, 21:0011 Maio, 11:00 (com Francisco Cabral nas tablas)11Maio, às 21:00
+ info

MÚSICA E DANÇAS TRADICIONAIS DE GOA
Grupo Ekvât
10, 11 MAIO - SALÃO MACAU10 Maio, 19:0011 Maio, 19:00
+ info

MÚSICA CHINESA EM INSTRUMENTOS OCIDENTAISQuarteto Capela
9, 11 MAIO - SALÃO MACAU9 Maio, 14:3011 Maio, 17:30
+ info

TEATRO

NÃO TOQUEM NAS MINHAS MÃOS
Sombras com mãosValeria Guglietti (Argentina)
10, 11 MAIO - AUDITÓRIO15:00 e 16:30
+ info

DANÇA

DANÇAS DO RAJASTÃO
Carolina Fonseca
9, 10, 11 MAIO - SALÃO MACAU9 Maio, 18:0010 Maio, 14:3011 Maio, 14:30
+ info

Ekvât – Workshop para crianças 10, 11 Maio - Sala Goa Piso 411:30-12:30
Elementos do Grupo Ekvât farão uma demonstração dos passos de uma dança de curumbins e entoarão canções em concani, língua falada em Goa. As crianças poderão imitar os passos, experimentar as roupas e dançar com as cheretas (cascas de coco).

CINEMA

MONSTRA – FESTIVAL DE ANIMAÇÃO DE LISBOA10, 11 MAIO
OFICINAS

Arte Chinesa de Recorte de Papel (Em colaboração com o Instituto Confúcio – Universidade do Minho)

9, 10, 11 Maio - Sala Nova Deli Piso 4
10:00,11:30, 14:00, 15:30, 17:00
Duração: 1 hora

Antigamente, no Norte da China, a tradição impunha como primeira arte manual feminina o recorte de papel. No Inverno, quando a paisagem está coberta de neve, as janelas são ainda decoradas com os recortes, que trazem vigor e sorte para o ano novo. Com este ateliê pretende-se ensinar a técnica do recorte de papel.

O Meu Rosto de Herói9, 10, 11 Maio - Oficina do SE Piso -1

10:00, 11:30, 14:00,15:30, 17:00
Duração: 1 hora

Guerreiro, deus ou feiticeiro? Qual deles gostarias de ser? Com uma máscara podes ser quem quiseres e, a partir daí, conquistares mundos, vencer dragões e navegar oceanos! Oficina de construção de máscaras de gesso, com o formato da própria cara, pintadas a partir de imagens de heróis e deuses que habitam as salas do Museu.

Origami (Em colaboração com o Instituto Confúcio – Universidade do Minho)9, 10, 11 Maio - Sala Tóquio Piso 4
10:00, 11:30, 14:00, 15:30, 17:00
Duração: 1 hora

Chama-se Origami (ori significa "dobrar", e kami "papel") à arte de dobrar o papel, muito popular no Japão e no Oriente em geral. Ao criar uma peça através da dobragem de papel, podemos aperfeiçoar a nossa capacidade de imaginação simétrica e multidimensional, estimulando a concentração e disciplina. Aprende a transformar uma simples folha de papel nas mais diversas figuras.

Henna, Pintura de Mãos
15:00-22:009, 10, 11 Maio - Ponto de Encontro

Na cultura hindu, a henna é usada em todos as grandes celebrações religiosas. Nos casamentos, as noivas pintam as mãos e os pés com intrincados desenhos que pretendem simbolizar a força do amor num casamento. Daí que a noiva procure manter as pinturas o máximo de tempo possível. Viva a experiência de adornar as suas mãos ao gosto hindu.

Ikebana (Em colaboração com Ikebana International)9, 10, 11 Maio - Sala Díli Piso 4
10:00-13:0015:00-17:00

Ikebana (em japonês "flores vivas") é a arte japonesa dos arranjos florais. A estrutura de um arranjo floral japonês está baseada em três conceitos básicos que simbolizam o céu, a terra e o homem. Nesta oficina, oito professoras d Ikebana International ensinam os princípios básicos desta técnica ancestral.

ARTES MARCIAIS

Tai Ji Quan, Estilo Chen 11 Maio - Sala Macau Piso 411:30, 15:30,17:00Duração: 1 horaCom origem nas artes marciais, o Tai Ji Quan é praticado como uma ginástica lenta que visa o equilíbrio e a coordenação corporal, resultando numa forma de meditação em movimento. O estilo Chen é o mais antigo dos cinco estilos tradicionais de Tai Ji Quan.

RITUAL DO CHÁ

Ritual do Chá Oolong (Em colaboração com o Instituto Confúcio – Universidade do Minho)
9, 10, 11 Maio - Sala Beijing Piso 4
13:00, 14:00, 15:00, 16:00, 17:00

Na tradição cultural chinesa o ritual do chá decorre desde a sua plantação, recolha e secagem, até à preparação da infusão, culminando no elaborado processo de o servir. Desfrute de um momento onde a beleza, a harmonia e o convívio são as notas dominantes.

Ritual do Chá Japonês

9, 10, 11 Maio - Sala Beijing, Piso 4
18:00, 21:00
Duração: 1 hora

A cerimónia do chá, requer muitos anos de treino. Antes de dominar toda esta técnica, cada detalhe significa mais do que simplesmente servir o chá. É crucial que os movimentos sejam perfeitos, graciosos, e delicados. Uma demonstração da singular beleza do ritual do chá japonês!

ARTES DIVINATÓRIAS

Loi Leong Kwok - Adivinho
9, 10, 11 Maio - Ponto de Encontro
12:00, 15:00, 18:00, 20:00

O adivinho, astrólogo, feiticeiro ou homem de saber, entre muitas outras expressões como poderia ser designado, é uma figura típica e disputada no Largo do Leal Senado, em Macau. Não perca a oportunidade de desvendar o que o futuro lhe reserva nas palavras de um genuíno adivinho macaense.

Consulta do Signo do Zodíaco Chinês
(Em colaboração com o Instituto Confúcio – Universidade do Minho)
11:00-22:00 9, 10, 11 Maio - Sala Goa Piso 4

O horóscopo chinês tem como base um Zodíaco com um ciclo de 12 anos, tendo cada ano um animal como signo. Segundo a lenda, Buda queria organizar o mundo e, para tal, chamou os animais para um congresso, organizando-os por ordem de chegada. Descubra o que o seu signo do Zodíaco chinês lhe reserva para 2008.

CALIGRAFIA CHINESA

Tradução de Nomes para Chinês (Em colaboração com o Instituto Confúcio – Universidade do Minho)9, 10, 11 Maio - Centro de Documentação11:00-22:00Diga o seu nome e veja como um calígrafo interpreta os sons e, munido de pincel, tinha da china e folha de papel de arroz, os traduz para caligrafia chinesa.

VISITAS GUIADAS

Visitas Orientadas por Especialista 9 Maio

17:00
Máscaras da Ásia, com Sylvie Gonfond, colectora e conservadora da Colecção Kowk On (visita guiada em francês)

18:00
Deuses da Ásia, com Jacques Pimpaneau, colector e conservador da Colecção Kowk On (visita guiada em francês)

19:00 e 21:30
Presença Portuguesa na Ásia, com Fernando António Baptista Pereira, museólogo responsável pelo percurso expositivo do Museu do Oriente.

Visitas Guiadas Gerais

Uma visita guiada aos diferentes espaços de exposição pela equipa de monitores do Serviço Educativo.

9 Maio - 11:00, 14:00,16:0010, 11 Maio - 11:00, 14:00,16:00,18:00, 21:00

O Colégio Guadalupe faz-nos viajar até Macau!

10 Maio - Colecção Presença Portuguesa na Ásia Núcleo de Macau Piso 1 No contexto do desafio lançado às escolas pelo Serviço Educativo do Museu do Oriente, em torno do tema Viagem, os alunos do Colégio Guadalupe, em Verdizela, decidiram partilhar com os visitantes do Museu uma experiência única! Estudaram a fundo aspectos relativos a Macau e vão transmitir os seus conhecimentos através de uma visita guiada ao Núcleo de Macau da exposição Presença Portuguesa na Ásia.

Exposição A caminho do Oriente – A Viagem

9, 10, 11 Maio - Oficina SE Piso -1Exposição dos projectos anuais desenvolvidos pelas escolas que aceitaram o desafio lançado pelo Serviço Educativo antes da abertura do Museu do Oriente.

A capacidade criativa de alunos e professores numa mostra de trabalhos que partiram de um tema universal – A Viagem!

Informações complementares:
Tel. 21 358 52 44
e-mail: info@foriente.pt

3 comentários:

Anónimo disse...

Julgo saber que a FO tem um acervo de material sobre Timor que merece ser exposto.
Estranho/lamento que não esteja prevista nenhuma actividade sobre Timor Leste neste "bota fora" do novo Museu!

Margarida disse...

Timor-Leste: ASDT assina plataforma com Fretilin

Díli, 05 Mai (Lusa) - A Associação Social Democrata Timorense (ASDT), que integra a aliança no Governo de Timor-Leste, assinou uma plataforma política com a Fretilin, o maior partido da oposição, foi hoje anunciado em Díli.
Expresso, 7:49 | Segunda-feira, 5 de Mai de 2008

Díli, 05 Mai (Lusa) - A Associação Social Democrata Timorense (ASDT), que integra a aliança no Governo de Timor-Leste, assinou uma plataforma política com a Fretilin, o maior partido da oposição, foi hoje anunciado em Díli.

Num comunicado hoje distribuído, a Fretilin anuncia que os dois partidos decidiram constituir "uma sólida coligação" para formar "o próximo governo constitucional de Timor-Leste".

A declaração do acordo político é assinada por Francisco Xavier do Amaral, líder da ASDT e proclamador da efémera independência timorense em 1975 como primeiro chefe de Estado, e por Francisco Guterres "Lu Olo", presidente da Fretilin e ex-presidente do Parlamento Nacional.

O comunicado da Fretilin acrescenta que a principal motivação deste acordo é o "nepotismo e corrupção" do Governo chefiado por Xanana Gusmão, que tomou posse em Agosto de 2007 na sequência de eleições legislativas em que a Fretilin foi o partido mais votado.

A ASDT tem uma coligação com o Partido Social Democrata (PSD), do ex-governador do território sob a ocupação indonésia, Mário Viegas Carrascalão.

No Parlamento, a coligação dos dois partidos tem 11 deputados, cinco da ASDT e seis do PSD.

O anúncio do acordo entre a ASDT e a Fretilin activou de imediato a aritmética sobre o número de deputados de cada partido com assento parlamentar e as possíveis consequências do novo arranjo partidário.

"Isto vai causar problemas na estabilidade política", afirmou Mário Viegas Carrascalão à agência Lusa.

"Em termos de Parlamento, poderá não haver problema se a bancada da ASDT não concordar com o acordo feito pela direcção do partido", explicou à Lusa o vice-presidente do Parlamento, Vicente Guterres.

"Mas em termos de partido e em termos políticos, é uma situação difícil", acrescentou Vicente Guterres.

A coligação ASDT/PSD integra a Aliança para Maioria Parlamentar (AMP) que constitui a plataforma de quatro partidos que sustenta o actual Governo, juntamente com o Congresso Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), liderado pelo próprio Xanana Gusmão, e o Partido Democrático (PD), de Fernando "La Sama" de Araújo.

"Não esperava, mas para nós não é grave", afirmou à Lusa o secretário-geral do CNRT, Dionísio Babo.

"Politicamente, o Governo está ameaçado, mas em termos reais a ASDT é membro da AMP e partilha dos mesmos princípios", respondeu Dionísio Babo, interrogado sobre o perigo que o acordo hoje anunciado representa para o Executivo de Xanana Gusmão.

"Creio que a ASDT continua parte da AMP, porque não nos foi anunciado que o partido saísse da aliança e do compromisso que assinou para a sua constituição", explicou Dionísio Babo.

"É uma questão puramente de conflito interno à ASDT", adiantou também o dirigente do CNRT.

No actual arranjo político, como explicou Mário Carrascalão à Lusa, a AMP conta com o apoio de 37 dos 65 deputados do Parlamento timorense, "incluindo alguns que se abstêm normalmente".

A oposição não tem mais que 33 deputados, sendo a base de apoio mais segura constituída pelos 21 deputados da Fretilin, os dois do KOTA-PPT e os dois da UNDERTIM.

O acordo entre a Fretilin e a ASDT ameaça desequilibrar esta divisão de forças, adiantou o líder do PSD, "sobretudo se se confirmar a indicação de que três dos oito deputados do PD podem também alinhar com a oposição no Parlamento".

"É uma situação muito arriscada" para a AMP e para o Governo, adiantou Mário Viegas Carrascalão.

No Governo, a ASDT tem duas pastas, a do ministro do Turismo, Comércio e Indústria, Gil Alves, e do secretário de Estado do Ambiente, Abílio Lima.

Francisco Xavier do Amaral pediu recentemente a substituição dos dois membros do Governo da ASDT a Xanana Gusmão, "apresentando dois nomes alternativos e mais três nomes novos para outras pastas", afirmaram Mário Viegas Carrascalão e Dionísio Babo à Lusa.

"Soube por fora (da coligação ASDT/PSD) que foi a falta de resposta de Xanana Gusmão que motivou o acordo de Francisco Xavier do Amaral com a Fretilin", adiantou o líder do PSD à Lusa.

"A confusão é grande", sublinhou Mário Viegas Carrascalão.

Hoje de manhã, os deputados da ASDT não compareceram em plenário.

Segundo o presidente do PSD, "é por que a bancada da ASDT discorda da direcção do partido".

No entanto, João Correia, porta-voz da ASDT, afirmou à Lusa que "a ausência dos deputados apenas testemunha que o partido pretende sair da AMP".

Xanana Gusmão tem em agenda uma intervenção em plenário a partir das 15:30 (07:30 em Lisboa), no âmbito da discussão na generalidade de uma proposta de lei sobre serviços de informações da República.

O primeiro-ministro pode aproveitar a oportunidade para responder em plenário à mudança anunciada do espectro parlamentar, "mas se o fizer já vai tarde", garante João Correia à Lusa.

"Xanana Gusmão já não tem possibilidade de reinserir na AMP os partidos que estão em movimento de saída", que são, além da ASDT, também o PSD, disse o porta-voz do partido de Francisco Xavier do Amaral.

PRM

Lusa/fim

Margarida disse...

Timor-Leste: ASDT assina plataforma com Fretilin

Díli, 05 Mai (Lusa) - A Associação Social Democrata Timorense (ASDT), que integra a aliança no Governo de Timor-Leste, assinou uma plataforma política com a Fretilin, o maior partido da oposição, foi hoje anunciado em Díli.
Expresso, 7:49 | Segunda-feira, 5 de Mai de 2008

Díli, 05 Mai (Lusa) - A Associação Social Democrata Timorense (ASDT), que integra a aliança no Governo de Timor-Leste, assinou uma plataforma política com a Fretilin, o maior partido da oposição, foi hoje anunciado em Díli.

Num comunicado hoje distribuído, a Fretilin anuncia que os dois partidos decidiram constituir "uma sólida coligação" para formar "o próximo governo constitucional de Timor-Leste".

A declaração do acordo político é assinada por Francisco Xavier do Amaral, líder da ASDT e proclamador da efémera independência timorense em 1975 como primeiro chefe de Estado, e por Francisco Guterres "Lu Olo", presidente da Fretilin e ex-presidente do Parlamento Nacional.

O comunicado da Fretilin acrescenta que a principal motivação deste acordo é o "nepotismo e corrupção" do Governo chefiado por Xanana Gusmão, que tomou posse em Agosto de 2007 na sequência de eleições legislativas em que a Fretilin foi o partido mais votado.

A ASDT tem uma coligação com o Partido Social Democrata (PSD), do ex-governador do território sob a ocupação indonésia, Mário Viegas Carrascalão.

No Parlamento, a coligação dos dois partidos tem 11 deputados, cinco da ASDT e seis do PSD.

O anúncio do acordo entre a ASDT e a Fretilin activou de imediato a aritmética sobre o número de deputados de cada partido com assento parlamentar e as possíveis consequências do novo arranjo partidário.

"Isto vai causar problemas na estabilidade política", afirmou Mário Viegas Carrascalão à agência Lusa.

"Em termos de Parlamento, poderá não haver problema se a bancada da ASDT não concordar com o acordo feito pela direcção do partido", explicou à Lusa o vice-presidente do Parlamento, Vicente Guterres.

"Mas em termos de partido e em termos políticos, é uma situação difícil", acrescentou Vicente Guterres.

A coligação ASDT/PSD integra a Aliança para Maioria Parlamentar (AMP) que constitui a plataforma de quatro partidos que sustenta o actual Governo, juntamente com o Congresso Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), liderado pelo próprio Xanana Gusmão, e o Partido Democrático (PD), de Fernando "La Sama" de Araújo.

"Não esperava, mas para nós não é grave", afirmou à Lusa o secretário-geral do CNRT, Dionísio Babo.

"Politicamente, o Governo está ameaçado, mas em termos reais a ASDT é membro da AMP e partilha dos mesmos princípios", respondeu Dionísio Babo, interrogado sobre o perigo que o acordo hoje anunciado representa para o Executivo de Xanana Gusmão.

"Creio que a ASDT continua parte da AMP, porque não nos foi anunciado que o partido saísse da aliança e do compromisso que assinou para a sua constituição", explicou Dionísio Babo.

"É uma questão puramente de conflito interno à ASDT", adiantou também o dirigente do CNRT.

No actual arranjo político, como explicou Mário Carrascalão à Lusa, a AMP conta com o apoio de 37 dos 65 deputados do Parlamento timorense, "incluindo alguns que se abstêm normalmente".

A oposição não tem mais que 33 deputados, sendo a base de apoio mais segura constituída pelos 21 deputados da Fretilin, os dois do KOTA-PPT e os dois da UNDERTIM.

O acordo entre a Fretilin e a ASDT ameaça desequilibrar esta divisão de forças, adiantou o líder do PSD, "sobretudo se se confirmar a indicação de que três dos oito deputados do PD podem também alinhar com a oposição no Parlamento".

"É uma situação muito arriscada" para a AMP e para o Governo, adiantou Mário Viegas Carrascalão.

No Governo, a ASDT tem duas pastas, a do ministro do Turismo, Comércio e Indústria, Gil Alves, e do secretário de Estado do Ambiente, Abílio Lima.

Francisco Xavier do Amaral pediu recentemente a substituição dos dois membros do Governo da ASDT a Xanana Gusmão, "apresentando dois nomes alternativos e mais três nomes novos para outras pastas", afirmaram Mário Viegas Carrascalão e Dionísio Babo à Lusa.

"Soube por fora (da coligação ASDT/PSD) que foi a falta de resposta de Xanana Gusmão que motivou o acordo de Francisco Xavier do Amaral com a Fretilin", adiantou o líder do PSD à Lusa.

"A confusão é grande", sublinhou Mário Viegas Carrascalão.

Hoje de manhã, os deputados da ASDT não compareceram em plenário.

Segundo o presidente do PSD, "é por que a bancada da ASDT discorda da direcção do partido".

No entanto, João Correia, porta-voz da ASDT, afirmou à Lusa que "a ausência dos deputados apenas testemunha que o partido pretende sair da AMP".

Xanana Gusmão tem em agenda uma intervenção em plenário a partir das 15:30 (07:30 em Lisboa), no âmbito da discussão na generalidade de uma proposta de lei sobre serviços de informações da República.

O primeiro-ministro pode aproveitar a oportunidade para responder em plenário à mudança anunciada do espectro parlamentar, "mas se o fizer já vai tarde", garante João Correia à Lusa.

"Xanana Gusmão já não tem possibilidade de reinserir na AMP os partidos que estão em movimento de saída", que são, além da ASDT, também o PSD, disse o porta-voz do partido de Francisco Xavier do Amaral.

PRM

Lusa/fim

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.