quarta-feira, janeiro 23, 2008

SHAME ON YOU, MR. RUDD!

"Last week, Commander of the Australian troops in East Timor Brigadier John Hutcheson said he would follow the orders of the state and the president, and would not execute the arrest warrant.

"The government is doing a very good job in dealing with Major Alfredo Reinado. He is not, in my mind, a security threat and it is a political issue to be resolved," Hutcheson said."

(AAP)

TRADUÇÃO:

"Na semana passada, o Comandante das tropas Australianas em Timor-Leste Brigadeiro John Hutcheson disse que seguiria as ordens do Estado e do presidente, e que não executaria o mandato de prisão.

"O governo está a fazer um muito bom trabalho a lidar com o Major Alfredo Reinado. Ele não é, na minha mente, uma ameaça de segurança e isso é uma questão política para ser resolvida," disse Hutcheson."


Respeita só as ordens do "Estado e do Presidente"? Ou as ordens ilegais do Presidente?!

O Estado não é o Presidente. Ou para o chefe das tropas australianas e para Ramos-Horta, "O Estado sou EU"?

Os tribunais são soberanos e os mandados para cumprir.

O comandante militar estrangeiro ignora a atribuição de poderes dos órgãos de soberania definidos pela Constituição, desrespeitando assustadoramente o Estado democrático.

E ainda vem dizer que o Governo está a fazer um bom trabalho? Depois de Reinado acusar o Primeiro-Ministro de ser o culpado da crise e reafirmar que não se entrega?

SHAME ON YOU, MR. RUDD!

3 comentários:

Susana Charrua disse...

Desculpem-me por estar a ocupar o vosso tempo e espaço mas gostaria que me visitassem a propósito de um artigo sobre Timor-Leste que tive o arojo de começar a escrever, para chegar a conclusões sobre se entendo alguma coisa da trapalhada que vai no país de cidadãos tão massacrados e de políticos tão insensíveis, especialmenmte os laureados com Nobel e Sahkarov.
Afinal os laureados estão estragados, ao que parece.

Margarida disse...

TRADUÇÃO:
"Na semana passada, o Comandante das tropas Australianas em Timor-Leste Brigadeiro John Hutcheson disse que seguiria as ordens do Estado e do presidente, e que não executaria o mandato de prisão.

"O governo está a fazer um muito bom trabalho a lidar com o Major Alfredo Reinado. Ele não é, na minha mente, uma ameaça de segurança e isso é uma questão política para ser resolvida," disse Hutcheson."

(AAP)

Respeita só as ordens do "Estado e do Presidente"? Ou as ordens ilegais do Presidente?!

O Estado não é o Presidente. Ou para o chefe das tropas australianas e para Ramos-Horta, "O Estado sou EU"?

Os tribunais são soberanos e os mandados para cumprir.

O comandante militar estrangeiro ignora a atribuição de poderes dos órgãos de soberania definidos pela Constituição, desrespeitando assustadoramente o Estado democrático.

E ainda vem dizer que o Governo está a fazer um bom trabalho? Depois de Reinado acusar o Primeiro-Ministro de ser o culpado da crise e reafirmar que não se entrega?

TENHA VERGONHA, SR. RUDD!

h correia disse...

O Sr. brigadeiro Hutcheson, apesar da dura, exigente e extenuante tarefa de comandar uma "brigada" em Timor-Leste, lá conseguiu arranjar uns minutinhos para dizer mais uma vez que não vai cumprir o mandado de captura de Reinado.

Começa a ser fastidioso ouvir sempre a mesma coisa e o Sr. brigadeiro começa a parecer um papagaio. Começo até a duvidar se ele conhece alguma outra frase para além dessa.

No entanto, e para que não restem dúvidas, é importante verificar que ele sublinha o facto de estar a cumprir ordens do "president". Ora como a Austrália não tem "president", este só pode ser Ramos Horta. Já percebo porque é que o "president" está sempre a pedir aos australianos que mantenham a tropa em Timor.

Como diz o outro, "Eu é que não sou parvo!". Ou "Homem prevenido vale por dois". Ou como dizem os anglófonos, "I'll scratch your back and you'll scratch mine"...

Mas a parte mais interessante do seu discurso são os bitaites que emite sobre o desempenho do Governo timorense e, sobretudo, quando diz que no seu entender Reinado não é uma ameaça para a segurança, antes um problema político.

É caso para dizer: penso, logo existo.

Mas quem é que lhe encomendou o sermão??

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.