terça-feira, outubro 10, 2006

Jogos Lusofonia: "Interesses estranhos" querem excluir Timor, diz dirigente

Macau, China, 09 Out (Lusa) - A presença de Timor-Leste nos Jogos da Lusofonia tem como objectivo afirmar a pertença do país no espaço lusófono apesar dos "interesses contrários" a tal participação, afirmou hoje em Macau o presidente do Comité Olímpico de Timor-Leste.

"Estamos numa situação de crise no país, em que se nota cada vez mais a tentativa de retirar Timor-Leste do espaço lusófono", afirmou João Viegas Carrascalão, em declarações à Agência Lusa.

"Interesses estranhos ao país são os que mais jogam para que Timor-Leste não faça parte da família lusófona", adiantou o responsável, sem especificar.

Estas declarações foram proferidas à margem da cerimónia de atribuição do Colar de Honra ao Mérito Desportivo ao presidente da Comissão Organizadora dos Jogos da Lusofonia (COJOL), Manuel Silvério, por parte do secretário de Estado do desporto de Portugal, Laurentino Dias.

João Viegas Carrascalão, que realçou o esforço económico a que obrigou a participação de Timor-Leste nos Jogos da Lusofonia, deixou claro: "Enquanto estiver nas minhas mãos, o desporto de Timor fala português".

O presidente do Comité Olímpico de Timor-Leste afirmou que o segundo objectivo da participação do país no evento desportivo a decorrer em Macau é o de devolver a normalidade à sociedade timorense.

"A nossa participação é uma lufada de ar fresco em todo o ambiente tenso que se vive em Timor. É através do desporto que se vai deitando água na fervura nos problemas", referiu.

Timor-Leste enfrenta desde o passado mês de Maio uma situação de instabilidade política e social, iniciada por alegados conflitos étnicos, que causaram a morte a pelo menos duas dezenas de pessoas e provocaram a fuga de dezenas de milhares de pessoas para campos de refugiados e para as montanhas em redor da capital, Díli.

"No desporto, não há grupos étnicos, nem partidos políticos.

Há apenas o interesse de colaborar nesta festa desportiva, cujo objectivo final é estreitar os laços de amizade entre os países lusófonos", disse João Viegas Carrascalão.

Os Jogos da Lusofonia são o maior evento alguma vez realizado a reunir os 11 países e regiões onde se fala português, e contam nesta primeira edição com uma participação de cerca de 760 atletas oriundos de Macau, Portugal, Angola, Brasil, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, São Tome e Príncipe, Moçambique, Timor-Leste, Brasil, Índia (Goa) e Sri Lanka.

Os Jogos incluem as modalidades de futsal, futebol, basquetebol, ténis de mesa, taekwondo, atletismo, voleibol e voleibol de praia.

Decorrendo entre 04 e 15 de Outubro, os Jogos da Lusofonia são a primeira grande manifestação desportiva da Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa, criada em Lisboa em meados de 2004.

RBV-Lusa/Fim

.

20 comentários:

Anónimo disse...

Os que querem Timor Leste fora da lusofonia são desde logo a australiana primeira dama, o chefe do Gabinete do PR que tem uma namorada americana(as mulheres do PR e do chefe de Gabinete fizeram-lhes as cabeças, eu percebo que se perca a cabeça por uma mulher, mas que diabo o que está em causa é o destino de um país, é o futuro de um povo)!
As mulheres podem muito, e fazem-no pela calada...

Babija disse...

Ao colocar a responsabilidade dos actos desses dois senhores - PR e Hermenigildo - nas respectivas mulheres, está a branquear o que fizeram e a retirar a sua responsabilidade última na mentorização do golpe!

A actual 'mulher' (primeiro perguntar: qual delas?) do Hermenigildo é brasileira, formada na Suiça e nos Estados Unidos. Nao creio que tenha renunciado à nacionalidade brasileira, mesmo que adquirindo a americana. Tão pouco creio que ela tenha capacidade de sequer pensar - muito menos influenciar - um golpe!

Se conhecesse o Hermenigildo e dita senhora, não estaria a colocar nela a responsabilidade das sujeiras que ele pratica, começando com a sua incapacidade de revelar qualquer princípio ético no interacção humana - já são duas as mulheres que deixa com filhos nos braços - e terminando nas inúmeras golpadas que deu durante o período da Resistência, nomeadamente com dinheiros!

O Hermenigildo é aquilo a que, em bom português se chama 'um belo canalha'!

Soube sempre colar a quem percepcionava detentor de poder: primeiro matava pelo Abílio Araújo, depois passou-se para Ramos-Horta e, finalmente colou-se (com consentimento) ao PR!

É um triste que vai acabar sózinho pela sacanagem generalizada que vai cometendo contra tantos. E é cá que as vai pagar ... na sua solidão e miséria.

h correia disse...

Esta bela iniciativa desportiva é aquilo que mais se aproxima da verdadeira "CPLP": a comunhão de ideais e o convívio entre povos tão diversos mas que têm tanto em comum, neste caso sem a limitação de ser país de língua oficial portuguesa ou não.

Devo endereçar os meus parabéns a Timor-Leste por estar presente em mais um grande acontecimento desportivo internacional. Este nosso querido país está ainda dando os primeiros passos e por isso há que ter paciência até atingir outra maturidade. O que é mais importante é participar, marcar presença, e dar oportunidades aos atletas timorenses, que assim se sentirão mais motivados e poderão ver no desporto uma forma mais construtiva de usar os seus talentos e contribuir para o prestígio do seu país.

Manuel Silvério bem merece a condecoração, depois de uma vida inteira ao serviço do desporto. Sem ele tenho a certeza de que este sonho dos Jogos da Lusofonia não se teriam tornado realidade.

João Carrascalão continua incansável, também dedicado ao desporto. Outrora como praticante e agora como dirigente. É muito importante o apelo que ele faz para que os jovens se dediquem ao desporto, considerando-o como possível factor de coesão nacional.

Para além da sua antiga paixão pelo desporto, neste momento difícil que TL atravessa João Carrascalão põe de parte clubismos políticos e adopta um discurso mais responsável do que a maioria dos políticos que actualmente têm influência em Timor. Oxalá o seu exemplo seja seguido por muitos outros.

Anónimo disse...

Este anónimo das 8:25:12 AM não consegue esconder o ressabiamento.

Desde quando a Presidêncioa do Comité Olímpico de Timor, é um tacho oferecido pelo governo?

João Carrascalão sempre esteve ligado ao desporto.

E se esteve a guardar as massas para levar tão grande número de atletas a Macau fez muito bem.

Pelos vistos, soube separar bem a política do interesse desportivo.

Parabéns João Carrascalão.

Anónimo disse...

Timor Leste vai concorrer em todos desde que haja e se faz amigos: jogos lusofonos, jogos de Commonwealth (como Mocambique), jodos da Sudueste da Asia, jogos do Pacifico do Sul, jogos de Africa, Pacific Caribean (APC), jogos de Arafura, e mais jogos....... Em desporto nah ha politica.

Anónimo disse...

Seria curioso que noutros "jogos" também não houvesse política... mas há e dá no que se viu. Talvez se conclua que levando o jogo ao seu extremo, talvez seja possível ter no Estado os que são pelo bem comum e não pelo bem do partido - seja ele ou eles quais forem. Seriam capazes? Duvido, com uma História tão entranhada ía lá a FRETILIN funcionar de outro modo?!...

Anónimo disse...

Pela máxima de TUDO FRETILIN, o desporto em Timor-Leste fugirá a essa regra dos senhores? Que se passou com o ténis de mesa? Será mesmo um ressaibiado? Já agora...

Anónimo disse...

Anonimo de 8:25:12 AM. O seu comentario nao tem fundamento, na medida em que o Comite de Jogos Olimpicos e um Orgao independente e nada tem a ver com o governo timorense. De resto nao foi Mari quem o nomeou. Antes de criticar procure saber primeiro.

Anónimo disse...

Anonimo de 8:25:12 AM.
Veja se consegue ver mais longe! Entao, se o desporto nao tem nada a ver com a politica,ia ser o Mari Alkatiri a nomear o presidente do comite olimpico?
Tanta ignorancia!
E que tem o Comite Olimpico a ver com a UDT? Ja ouviu o Joao Carrascalao falar do partido na qualidade de presidente do COI? Acha que todos comungam da promiscuidade que voce parece que defende e deixa transparecer no seu comentario? Anonimo, cinforme-se antes de escrever e nao seja faccioso!

tf disse...

Antes de elogiar o Joao Carrascalao como bom gestor/politico deviam era olhar para o partido UDT de que Sr Joao eh o ilustre e (vitalicio) Presidente. Onde estah este partido hoje e onde estara depois das eleicoes de 2007? E que discursos teem proferido no parlamento ncaional?

Anónimo disse...

É aconselhavel contenção nas palavras de certos amigos que participam no Timor Online, acho eu.
Se é verdade que as más acções ficam com quem as praticam, também não é menos verdade que expressões ordinárias acabam por incomodar e revelar a falta de capacidade assertiva dos que conspurcam o blog.
Debate de ideias é uma coisa e dignifica a liberdade de expressão, ordinarices revelam mentalidades nada democráticas.
Vamos lá manter o nivel dos que interveem no Timor Online.

Anónimo disse...

tf é tão faccioso que nem se dá conta da sua ignorância.
João Carrascalão não pode fazer discursos no Parlamento, pela simples razão que não é deputado. Recusou-se a tomar posse por considerar que a Assembleia constituinte não tinha legitimidade para se auto transformar em Parlamento. Como devia saber, e pelos vistos não sabe, a FRETILIN não quis ir a votos em 2002 e com a ajuda dos deputados da ASDT fez aprovar a disposição transitória na Constituição que a metamorfoseou em Parlamento. Com o beneplácito de Sérgio Vieira de Melo que queria despachar o assunto Timor.

É pena que mais líderes partidários em Timor, não saibam distinguir as suas funções partidárias com outras de cariz nacional e apartidárias.

Como se vê, João Carrascalão não está a usar o Comité Olímpico, para promover o partido de que é dirigente.

Mais exemplos destes é Timor precisa.

Anónimo disse...

Concordo com as declaracoes do sr. Joao Carrascalao, mas nao posso concordar com a situacao de os atletas de Timor terem desfilado de JEANS e alguns ate de chinelos!
Algumas das equipas Timorenses nem equipamento tinham. Onde param os mais de duzentos mil dolares (US$200,000.00) que os organizadores ofereceram ao Comite Olimpico Timorense para estes primeiros jogos da Lusofonia. Tanto quanto se sabe foram gastos US$98,000.000O para as passagens. Onde esta o resto do dinheiro. Porque eh que os atletas nao foram devidamente equipados? Porque eh que desfilaram de JEANS? O sr. Presidente do Comite Olimpico Timorense deve comecar a pensar em apresentar contas e publica-las!

Anónimo disse...

Desfilaram de jeans porque tiveram
a liberdade democratica de assim o fazer.E porque nao.Os jeans sao usados por uma grande maioria de pessoas no mundo.Os fatos desportivos que Portugal lhes deu afundaram-se com o "trasatlantico santos".Ja agora a Margarida e o Partido Comunista Portugues queriam enviar fatos cubanos mas Ribeiro e Castro recusou-se a transporta-los.No final, no encerramento, irao desfilar a cangaruci.(Com akfolik e tudo).

Anónimo disse...

Foi bom os responsaveis terem retirado um comentario cuja liguagem baixa em nada dignifica este blog. Quanto a alegacao dos US$200.000,00, certamente que Joao Carrascalao apresentara as contas de como foram gastos, para alem dos 90.000 em passagens. Para ja e de louvar a atitude de Joao Carrascalao em nunca ter aproveitado o Comite Olimpico para interesses do partido de que e Presidente.

Anónimo disse...

Ate agora o Joao Carrascalao ainda nao apresentou nenhuma conta desde que auto-assumiu o cargo de Presidente do Comite Olimpico. Eh bom que apresenta todas elas. Por outro lado gostaria de encorajar o todas as federacoes desportivas timorenses no seu movimento para a realizacao de uma conferencia sobre o desporto em Timor e com o objectivo de reestruturar, renovar, e legitimar todos os seus dirigentes incluindo o do Comite Olimpico.

Anónimo disse...

Tem a certeza de que ele auto-assumiu o cargo? Procure investigar primeiro antes de fazer as suas declaracoes!...

Anónimo disse...

Nao importa agora para o caso que o Joao se tenha auto-assumido ou nomeado para o cargo de presidente do Comite Olimpico. O que importa eh que ele vai ter que apresentar as contas! So lhe desejo boa sorte.

Anónimo disse...

A nostalgia e as saudades de Timor Leste fizeram de mim um visitante diario deste blog. E a melhor e mais actualizada fonte de noticias para quem longe da terra querida procura saber e perceber o que la se passa. Quando o tempo o permite tambem leio os comentarios as noticias que me prendem a atencao.
Ha um fossso enorme em qualidade e dignidade, apesar da diversidade de tendencias, entre os "posts" do blog e alguns comentarios de linguagem tao baixa que quase retiram todo o merito e valor ao esforco que estao fazendo os responsaveis do blog.
Porque mais do que qualquer outro evento no espaco lusofono os Jogos sao o acontecimento de maior impacto, visto em todo o meundo por mais de quatrocentos milhoes de pessoas conforme declarou o presidente Manuel Silverio na Assembleia Geral da ACOLOP, fiz uma autentica colagem a organizacao e aos seus principais intervenientes.Nestes dias tenho conversado longamente com todos os presidentes e outos dirigentes dos comites olimpicos, assim como troquei impressoes com o Secretario Geral do OCA e o seu Director Geral, respectivamente o Sr Singh e o sR Hussein. Invariavelmente a conversa centra-se em Timor Leste. Estou por isso a vontade para escrever sobre o que ouvi da boca dos proprios e sobre o que tenho visto.
O Dr. Silverio foi mandatado pelo Olympic Council of Asia (OCA) para visitar Timor e inspeccionar as actividades do Comite Olimpico Nacional de Timor Leste,o que fez durante quatro dias em pleno periodo da crise que ainda dura. Segundo ele proprio, no minucioso relatorio que apresentou ao Conselho Olimpico da Asia,da conta do que viu e ouviu dos mais variados quadrantes, desde membros do Governo, Responsaveis pelas Federacoes, entidades religiosas, atletas e elementos indiscriminados do publico em geral. Disse ainda que deu recentemente uma entrevista a um jornal de Hongkong onde cita Timor Leste como um exemplo a seguir por Comites Olimpicos de paises sem recursos e em situacao instavel.
Como Timorense de alma e coracao, sinto-me orgulhoso por ouvir destes altos dirigentes referencias tao elogiosas ao nosso Comite Olimpico e ao seu presidente Joao Carrascalao. Mais orgulhoso ainda me sinto quando vejo a alegria que demonstram quando o vem e a forma respeitosa como o ouvem, desde Angola a Mocambique, passando por Portugal, Guine Bissau, Cabo Verde, Sao Tome e ate os orgulhosos Brasileiros. Noto que Joao carrascalao goza de simpatia e respeito geral e por isso o elegeram para Presidente do Orgao Fiscalizador de toda a ACOLOP. De conceituados jornalistas da Bola e do Macau Post ouvi comentarios de que o
Carrascalao e sempre sereno, calmo e lucido nos seus comentarios e procura mesmo suavizar as duras criticas que fazem ao seu pais e aos governantes. De admirar que trouxe na sua delegacao um Secretario de Estado e o Embaixador de Timor-Leste em Pequim que como sabem sao da Fretilin. A isto chamo eu ter o Carrascalao verdadeiro sentido de Estado Sao totalmente injustas e ate infundadas as criticas que alguns comentaristas fazem a Joao Carrascalao, pelo menos nesta materia dos Olimpicos. Falei com ele sobre as criticas que lhe fazem e nem sequer se mostrou magoado. Atribui apenas ao facto de nao estarem a par da situacao. Disse-me, e Manuel Silverio confirmou-o na Assembleia Geral, que a organizacao apenas lhe concedeu cerca de trinta e cinco por cento das despesas da deslocacao e algum equipamento desportivo. Joao Carrascalao disse-me que para alem disto, apenas uma outra organizacao lhe deu cinco mil dolares o que corresponde a dois e meio por cento. Total, cerca de setenta mil dolares, deixando um deficit muito consideravel. Mas trouxe uma delegacao de cerca de cem pessoas com todas as despesas de viagem pagas, e todos os atletas apresentaram-se em campo devidamente equipados de acordo com as rigorosas exigencias das Federacoes internacionais. Nao sei onde os comentaristas foram descobrir essa dos duzentos mil dolares, de que nem Joao Carrascalao nem Manuel Silverio sabem. Porque nao escrevem a OCA e a COJOL a perguntar, antes de fazerem declaracoes infundadas? Por curiosidade tambem falei com o Presidente da Federacao de Tenis de Mesa Sr. Julio da Silva que aqui se encontra com a sua equipe. Disse-me que tem tido todo o apoio do Comite Olimpico e ainda no mes passado uma equipa de cinco elementos de Tenis de Mesa fez um estagio de 18 dias no estrangeiro pago pelo Comite Olimpico. Um comentarista fez alusao a uma ida a Australia e hoje o Sr. da Silva explicou-me que so nao foram porque uma Associacao de timorenses na Australia nao enviou um documento assinado a confirmar o alojamento que tinham prometido e sem esse documento a Embaixada Australiana nao deu o visto. Era uma actividade da federacao de Tenis de Mesa mas o Comite Olimpico pagaria as despesas de viagem.
Outro comentarista refere-se a apresentacao de contas. Quanto a mim so pode exigir a apresentacao de contas quem paga, isto e quem da o dinheiro. Neste caso seria a Organizacao dos Jogos e o Conselho Olimpico da Asia. Tanto o Sr. Singh como o Sr. Hussein me disseram que elas tem sido apresentadas anualmente e estao satisfeitos. Em relacao aos Jogos, ainda nao terminaram e por isso naturalmente ainda nao devem ter sido apresentadas. Uma coisa e certa e que e do conhecimento de quem esta minimamente envolvido nestas questoes, o Carrascalao so tem que dar contas e so depende do Comite Olimpico Internacional em Lausane e do Conselho Olimpico da Asia em Kuweit. Nem o governo, nem as Federacoes tem qualquer poder sobre os Comites Olimpicos Nacionais. Basta recordar o recente caso de Portugal onde a Federacao Internacional de Futebol ia suspender toda a participacao de clubes portugueses e da Seleccao Nacional de Portugal em torneios internacionais porque estavam a resolver o caso de um jogador e de uns clubes desportivos em tribunal portugies e nao no tribunal da FIFA.
Por ultimo, alguem referiu que os atletas marcharam de chinelos e de jeans. Mas eu vejo-os todos os dias vestidos com bonitos fatos do Comite Olimpico de Timor Leste, jaquetas e calcas. O chefe de Missao, Sr. Madeira disse-me que so um entrou de chinelos e foi porque ninguem deu conta disso. Ele anda sempre de sapatos e tem sapatilhas de Jogo. Nao teve tempo para os calcar e para nao perder o transporte foi mesmo de chinelos. A organizacao nao deu conta, caso contrario nao o teria deixado entrar no campo. E este atleta e cunhado do Presidente do Parlamento de Timor e tem familia aqui em Macau, segundo o Sr. Madeira.
Por tudo o que disse e pelo que vi nestes dias, considero injustas as criticas que fazem ao Joao Carrascalao e que eu proprio constatei serem sem fundamento. Termino por afirmar que a delegacao de Timor esta a portar-se com muita dignidade e a elevar o nome de Timor-Leste. E um orgulho para nos Timorenses em Macau ver os nossos conterraneos comportarem-se com dignidade e respeito e o prestigio que o Carrascalao goza no meio Olimpico.Ao menos quatrocentos milhoes no mundo vem todos os dias atletas timorenses a competir e nao apenas as cenas de violencia, tiroteio, golpes e casas queimadas. Bem haja Joao Carrascalao. Ja nao es o garoto que conheci. Es um Homem com letra grande e continua a trabalhar por Timor como tens feito sempre.
Como parece ser norma neste blog, tambem eu vou anonimo.

Um catuas em China

Anónimo disse...

Ao anonimo das 5:59:59 AM, um catuas em China, os meus parabens pela reposicao brilhante dos fatos e a indicacao clara sobre quem e so quem o Joao Carrascalao tem obrigacao de prestar as contas que efectivamente, como o meu amigo diz, estao correctas. Parabens tambem pela forma elegante de apresentar a sua defesa de quem tem sido tao injustamente criticado.
Votos de boa atuacao aos nossos atletas e um abraco!

De um katuas, in terra australis, que guarda de Macau as mais gratas recordacoes...

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.