sábado, maio 31, 2008

Timor-Leste: Displaced families leave camps, return home

International Organization for Migration (IOM)
Date: 30 May 2008

IOM has helped 1,030 displaced families living in three of Dili's 48 displacement camps to return home, two years after the political violence that forced them to flee their communities.

The three-week return and reintegration operation in support of the government's national recovery strategy was funded by the Humanitarian Aid Department of the European Commission (ECHO) and the Australia's International Refugee Fund (IRF), and focused on Dili's Fatumeta Seminario Minor, National Hospital and Jardim camps.

The Fatumena and National Hospital camps are now closed, but the Jardim camp, located directly adjacent to Dili's port, still houses some displaced families. An estimated 25,000 displaced people are still sheltering in Dili's 46 remaining camps.

In addition to providing transport for the returns, IOM worked closely with the government, local leaders and partner agencies to prepare both the families and their receiving communities through dialogue to promote reconciliation.

"The return and reintegration of families from the camps is quite complex. Other families may have moved into their homes during their absence; there is an acute shortage of alternative housing; and there is a real risk of renewed violence if large numbers of people return at the same time," says IOM Timor-Leste Chief of Mission Luiz Vieira.

"Not everyone can return to their old home and some families have to move to transitional housing. Our aim is to find viable, dignified and safe alternatives to life in the camps and that means working through potential problems with receiving communities before they happen," he adds.

For more information, please contact Brad Mellicker at IOM Dili, Tel: +670 735 1998, email bmellicker@iom.int

1 comentário:

Margarida disse...

Tradução:
Timor-Leste: famílias deslocadas deixam campos, regressam a casa
International Organization for Migration (IOM)
Data: 30 Maio 2008

A IOM tem ajudado 1,030 famílias deslocadas a viverem em três doa 48 campos de deslocados de Dili a voltarem para casa, dois anos depois da violência política que os forçou a fugir das suas comunidades.

A operação de três semanas de regresso e reintegração em apoio da estratégia de recuperação nacional do governo foi financiada pelo Departamento da Ajuda Humanitária da Comissão Europeia (ECHO) e pelo Fundo Internacional de Refugiados da Austrália (IRF), e focou-se nos campos de Dili de Fatumeta Seminario Minor, Hospital Nacional e Jardim.

Os campos de Fatumena e Hospital Nacional estão agora fechados, mas o campo do Jardim, localizado directamente adjacente ao porto de Dili, ainda aloja algumas famílias deslocadas. Uma estimativa de 25,000 deslocados estão ainda abrigados nos restantes 46 campos de Dili.

Em adição a dar transporte para os retornados, a IOM trabalhou de perto com o governo, líderes locais e agências parceiras para preparar ambas as famílias e as comunidades receptoras através do diálogo para promover a reconciliação.

"O regresso e a reintegração de famílias dos campos é bastante complexo. Outras famílias podem ter-se mudado para as suas casas durante a sua ausência; há uma falta aguda de alojamentos alternativos; e há o risco real de renovada violência se grandes números de pessoas regressarem ao mesmo tempo," diz o Chefe da Missão da OM Timor-Leste Luis Vieira.

"Nem toda a gente pode regressar às suas casas antigas e algumas famílias tiveram de mudar-se para alojamentos provisórios. O nosso objectivo é encontrar alternativas viáveis, dignas e seguras para a vida nos campos e isso significa trabalhar através de potenciais problemas com as comunidades receptoras antes de acontecerem," acrescenta ele.

Para mais informações, por favor contacte Brad Mellicker na IOM Dili, Tel: +670 735 1998, email bmellicker@iom.int

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.