quarta-feira, agosto 23, 2006

Advogados de Alfredo Reinado acusam GNR de prisão ilegal

Díli, 23 Ago (Lusa) - Os advogados do major Alfredo Reinado, detido a 25 de Julho pelas forças australianas, acusaram hoje a Guarda Nacional República estacionada em Díli de prisão ilegal do ex-militar por incumprimento das regras processuais.

De acordo com a carta assinadas por seis advogados, liderados por Benevides Correia Barros, a GNR deteve Alfredo Reinado sem lhe ter mostrado o mandato de captura e sem lhe prestar informação das razões da detenção, motivos porque consideram a prisão ilegal e violadora de Direitos Humanos.

Em declarações à agência Lusa, o capitão Gonçalo Carvalho, comandante da força portuguesa estacionada em Díli, reafirmou que a detenção de Alfredo Reinado foi "efectuada" pelas forças australianas e disse "estranhar" a razão porque "um mês depois da detenção, os advogados insistem numa acusação falsa".

"Nós apreendemos as armas que estavam na posse do grupo liderado pelo senhor Alfredo Reinado e temos em nossa posse as devidas autorizações assinadas pelo ex-militar para efectuar as buscas às casas onde estava o grupo", disse Gonçalo Carvalho.

O responsável pela força portuguesa acrescentou que após a descoberta das armas que acabariam apreendidas foi dada ordem aos militares portugueses por parte do Procurador da República para que a GNR abandonasse as casas, momento em que se deu a entrada das forças australianas que detiveram Alfredo Reinado e o seu grupo.

"Nós já explicámos esta situação duas vezes e vamos responder aos senhores advogados tentando que entendam o que se passou de uma vez por todas porque não houve qualquer intervenção dos militares da Guarda Nacional Republicana na detenção de Alfredo Reinado", assinalou.

Gonçalo Carvalho disse ainda que na posse de Alfredo Reinado, existiam "armas do exército e da polícia já depois de ter acabado o prazo para a entrega voluntária do armamento", além do grupo estar a ocupar uma residência que estava arrendada a um cidadão português.

A detenção de Alfredo Reinado e do seu grupo de cerca de 20 homens, a 25 de Julho, foi justificada na ocasião com a posse de material de guerra por parte do major, detectado terça-feira pela GNR, no decurso de uma operação policial de rotina.

O arsenal foi encontrado em três casas, uma delas, segundo Alfredo Reinado, atribuída pelo Presidente da República, Xanana Gusmão, e as restantes duas ocupadas pelo major rebelde, a cerca de dez metros do Quartel-General das forças militares australianas.

A detenção foi feita ao abrigo do Protocolo bilateral entre Timor-Leste e a Austrália, no âmbito das medidas de emergência enunciadas no passado dia 30 de Maio por Xanana Gusmão.

Entre as armas apreendidas pela GNR a Alfredo Reinado constavam nove pistolas, quatro de calibre 0,45 Auto e cinco de calibre 9, mais de 4.000 munições para espingarda automática e pistola, granadas, cinco rádios de transmissões, dois bastões extensíveis, cinco punhais, três catanas e equipamento militar diverso, entre o qual coletes à prova de bala e cinturões.

O major Alfredo Reinado abandonou no início de Maio a cadeia de comando das forças armadas timorenses e foi um dos principais intervenientes na crise político-militar que levou as autoridades de Timor-Leste a pedir ajuda externa - à Austrália, Malásia, Nova Zelândia e Portugal - para tentar ultrapassar a situação de instabilidade e violência no país, que levou à demissão do antigo primeiro-ministro Mari Alkatiri.

JCS/EL.

18 comentários:

Anónimo disse...

Afinal "na posse de Alfredo Reinado, existiam armas do exército e da polícia". Do exército já se sabia, mas é a primeira vez que leio que também tinha com ele armas da polícia. Tudo isto deve ser mesmo investigado a fundo.

Anónimo disse...

Eu acho que s militares cangurus conseguiram o que queriam, que e haver uma sentimento contra a GNR!
Está nas nossas mãos não deixar esses sujeitos meterem o nariz nos nossos assuntos. Dizem que estão em TLeste para manter a paz...mas a verdade é que eu acho que lá estão para manter vigilancia nos negócios do nosso petrólio e acima de tudo para ver se impõe a língua Inglesa no pais.

Foram dois feridos e quem os safou? foi a GNR.

Essa de os advogados do Alfredo acusarem a GNR , mostra curta visão desses....Deviam era perguntar aos Australianos porque deixaram o Alfredo vir de Maubisse para Dili com armas. Os Australianos não disseram que tinham cconfiscado tudo? De onde é que essas armas vieram? Porque que é que chamaram os GNR ( são uma força de seguranca extra-ordinaria, excelente, sem igual) para prender o Alfredo! Com ou sem mandato,alguem os mando para lá.

Eu defendo a GNR!

Maracujá ( triste com tudo o que se passa no meu maravilhoso país)

Anónimo disse...

O querido Lobão já voltou... Lá se vai a qualidade das notícias da Lusa a que nos habituaram ultimamente...

Anónimo disse...

Advogados?! Mais quais advogados?!

Em Timor não há advogados e é por isso que depois se vê este tipo de "acusações"...

Isto é o que se pretende em Timor?

Um país de faz de conta?

Anónimo disse...

E que tal pedirem a carteira profissional ao "advogado" Benevides Correia Barros?

E já agora perguntem quanto cobram de honorários estes "advogados" aos pobres cidadãos timorenses?

Comenta-se que não cobram muito caro, cobram cerca de 7.000,00 US dólares no mínimo.

Claro que se um dia estiverem habilitados e forem mesmo advogados cobrarão um pouco mais.

Se não fosse por respeito ao povo timorense eu diria:

É de rebolar no chão a rir.

Anónimo disse...

Go to hell Alfredo.
With your dumb president BANANAS....!!

Anónimo disse...

....benevides ho ninia kolega sira ba het malu tiha deik ho XG...

Anónimo disse...

Benevides é "colega" de Xanana como é Carmelita Moniz, "jurista" da Presidência.
Competentes profissionais em jogadas menos claras.
Graças a Deus são ignorantes e por isso é mais fácil impedir as "jogadas".

Anónimo disse...

lawyers? what lawyers?

supermi

Mau Seran disse...

"O arsenal foi encontrado em três casas, uma delas, segundo Alfredo Reinado, atribuída pelo Presidente da República, Xanana Gusmão"

Esta é uma acusação fortíssima, acho que o Presidente Xanana se tem de explicar no tribunal, se Mari Alkatiria assim o teve de fazer, porque será que Xanana não é levado para o tribunal? O que me dizem os juristas da Palácio das cinzas que por cá se passeavam?

Anónimo disse...

Que linguagem baixa a do anonimo das 7:40:35 pm. Embora esteja escrito em Tetum, não é motivo para se utilizar linguagem baixa neste blog. Nem tods os que escrevem neste blog fala o Tetum, o que não quer dizer que se aproveite disse para ser mal-educao..
Que vergonha ! Se não sabe argumentar, fique calado! É democracia dizer-se o que pensa em termos de debate sobre uma questnao1 Mas usar palavrões como o que utilizou: "benevides ho ninia kolega sira ba het malu tiha deik ho XG..." o F word em Ingles, ou F em Português ou o "Het" em tetum mostra a baixesa e a falta de educação de quem a escreve...
O facto de não concordar com o Benevides, ou Xanana, ou Alkatiri , ou Lu-Olo, não lhe dá o direito de ser mal-educado neste blog que é uma pagima pública a qual muita gente tem acesso e participa, trocar ideias, concordando ou discordando uns com os outros. Se não tem nada de especial ou ão tem capacidade para falar, não fale, cale-se e aprenda ser educado!
Que tristeza denigrir a imagem dos Timorenses com linguagem baixa de gente mal formada ...hau moe ( tenho vergonha) de que patricios meus se portem dessa, maneira...

Maracujá

Anónimo disse...

Xi, os senhores advogados estao a sofismar, o pá!!! já se escreveu neste blog sobre a possibilidade de detenção de alguém em flagrante e a detenção fora do flagrante, e, neste caso, apenas com mandado do juiz. Quer me parecer, se é que bem me alcançam meus parcos conhecimentos jurídicos, que a prisáo do senhor Alfredo deu-se em flagrante, por estar a portar ilegalmente armas....... então, se assim foi, estão a sofismar os doutos defensores dele, ao dizerem que à políca faltou mandado... se foi flagrante, mostra-se prescindivel o mandado judicial. Detem-se, e pronto, apresenta-se ao juiz..... E, mais ainda, quem deteve o homem foram os australianos, nao foram? Então....

crocodilinho cor de rosa

Anónimo disse...

Nem posso acreditar que haja quem defenda o "famoso e mimado" major Alfredo. Se o Alfredo estivesse noutro pais, iria direitinho para um sitio que ca sei. Alfredo e desertor e foi filmado a matar . Foi apanhado em flagrante com a posse ilegal de armas. Que mais provas querem? Por favor, levantem um bocadinho a reputacao de Timor-Leste. E o dever de todos os verdadeiros nacionalistas. Que a justica se faca porque a verdade tera que ser dita, doa a quem doer. Nao podemos continuar a viver esta farsa. O Mari Alkatiri foi o bode expiatorio mas aos poucos vamos juntando as pecas do "puzzle". Nao escamoteiem os factos. O Alfredo e os seus "amigos" tinham uma agenda a cumprir. So que a agenda foi interromnpida pela prisao inesperada do major "destemido" sob as ordens de alguem. Quem sera esse ser que teima em ser "misterioso"? Ja todos nos apercebemso. E apenas uma questao de tempo.Em Timor-Leste, nem todos sao estupidos! Vamos recuperar-nos mas alguns que hoje se afirmam de "herois" tem os seus dias contados. Que pena!

Anónimo disse...

Hau mos laos jurista, nomos laos ema matenek bot ida. Hakarak hakerek deit iha ne atu advogado Benevides Correia le karik nia bele explika deit iha jornal oinsa mak nia bele nafatin deit repete katak GNR mak kaer Alfredo bainhira ita hatene ona hosi GNR nia comandante katak GNR la kaer Alfredo maibe forsa australiano mak kaer nia. GNR ba buka deit kilat iha uma neba, nomos ho Alfredo rasik ninia konsentimentu. GNR hetan duni kilat. Maibe PGR telefone ba GNR atu husik uma ne atu forsa australia nian bele tama uma.
Idatan: bainhira hetan ema ho kilat ilegal tenki kaer kedas ema ne hodi lori ba juiz bele haruka nia ba sulan iha fatin metin, tamba se la kaer nia bele halai tia. Los ka la los, tuir advogadu Benevides nia estuda?
HF

Anónimo disse...

Iha ne hau hare fila filaona Timor oan balu, lori lia fuan foer atu tolok ho hotar ema seluk. Masque Alfredo sala e iha comarca, ita lalika lori lia fuan foer mai iha forum debate ida ne. So acontece nune bainhira ita la iha moral, la iha formassaun e laran makarekek et se lai laran moras. Argumrnto la iha diak liu nonok tiha deit. Keta halo ita Timor oan hotu moe.

Anónimo disse...

O que alguns anonimos nao estao a considerar e que ha procedimentos que tem que ser seguidos por lei. Por exemplo um suspeito tem que ser dado a conhecer o seu direito de nao prestar declaracoes sem a presenca de um advogado. Sem esse conhecimento, qualquer declaracao do suspeito pode ser invalidado por questoes de incumprimento das devidas regras processuais.

Da mesma forma, ha regras que regulam a obtencao de evidencias admissiveis num tribunal. Se as evidencias forem obtidas por vias ilegais (imcumprimento das regras processuais), mesmo que sejam genuinas, nao podem ser admitidas num tribunal para provar a culpa do arguido. Se a busca feita nas casas foram feitas sem que o Alfredo tivesse conhecimento do mandado para a sua capturada e a razao dessas buscas, obviamente que as regras processuais nao tinham sido cumpridas pondo assim em questao a legalidade da sua detencao e da busca nessas 3 casas. Nao sou advogado mas tenho um conhecimento minimo da lei e consigo perceber perfeitamente os argumentos apresentados pelos advogados do Alfredo.
Claro o tribunal e que vai decidir se sao validas ou nao.

Anónimo disse...

Quarta-feira, Agosto 23, 2006 11:18:41 PM


COncordo contigo

Anónimo disse...

Ha'u tuir lia fuan ne'ebe anonimu 11:18:41 PM. Hanesan timoroan ita labele halo ita hotu moe. Malae mutin, ka metan ka sina sira, iha oin dehan sira tulun ita, maibe se ita hatudo ita nia beikten sira hamnasa ita.
Keta halo ita timoroan hotu moe ho imi nia hahalok ne'ebe hatudo katak ita mesa beik ten deit.

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.