domingo, maio 28, 2006

Dos leitores (3)

"Como católico apelo a SS o Papa para, na próxima nomeação de Bispos para Timor, tirar primeiro a medida da cabeça (percebem o que quero dizer) dos candidatos para ver se serve para (dignidade e responsabilidade) da mitra que vão usar. "

7 comentários:

Anónimo disse...

Nesta altura são perfeitamente contraproducentes ofensas gratuitas destas aos católicos.

Anónimo disse...

Margarida está absolutamente correta.
Compreendam as ações da Igreja que, também, como seres humanos, têm projetos politicos.
Alfredo
Brasil

Mau Seran disse...

Margarida, não acho que o que foi escrito tenha sido uma ofensa aos católicos, se a Margarida se bem se lembra, SS o Papa João Paulo II não beijou o nosso solo quando la esteve (já o tinha feita na Indonésia) ou talvez não estava lá…

Quanto ao que foi dito sobre os Bispos, continuo a achar que o Vaticano faz o melhor que podem, é pena que os nossos Bispos tenham aquela veia política, um quer candidatar-se a presidente da república, o outro diz que o governo deve ser ‘removido’. Já imaginou ter Don Ximenes como Presidente e Don Ricardo como oposição?

‘O homem é um animal político’ la me dizia a minha maezinha, mas a Igreja Timorense como instituição não deveria ter o ‘projetos políticos’ e os membros que ‘líderam’ não deveriam por as aspirações políticas acima do bem estar do povo.

Nunca se pôs em causa o papel da Igreja em Timor, no entanto acho questionável o papel de alguns ‘amos’ no pós 99 com a febre das ONG’s, contentores de ajuda humanitária que ela rápidamente colocada no Mercado para venda.

Entre Pousadas e destilarias de Tua Sabu, ONGs e tudo mais, lá continuam eles ‘liderando’.

Se sabe do que e de quem estou a falar, agora tem mil e um motivos e razões para se sentir ofendida, mas talvez não saiba…

Mas no fim disto tudo, divagações passageiras, porquê se achou que o que foi escrito ofendeu católicos?

Anónimo disse...

Se eu fosse católica e vivesse em Timor numa altura em que o PM denuncia um golpe para o depor e em que 1800 tropas australianas aí estão a assistir impávidas e serenas a pilhagens, destruições e incêndios, seria a primeira a repudiar que outro católico achasse que o importante, fosse apelar ao papa em relação a futuras nomeações, esquecendo que um católico também é um cidadão e que o que nesta altura está em perigo são direitos de todos os cidadãos de Timor. O que acho ofensivo é NESTA ALTURA, com este apelo, passar-se assim um atestado de menoridade cidadã aos católicos, particularmente aos católicos timorenses. Esta é uma altura para unir em torno do que é fundamental, o respeito pela observância da Constituição da RDTL.

Anónimo disse...

Ok, então já chega está bem?!!!

Anónimo disse...

Mau Seran, ó nia raan manas na fatim xissas!!!

Sante deit, ita hatene sá…lalika hakerek barbarak, sira iha liur balu hakerek kona ba buat barak nebe sira la hatene… Ne hanesan demokrasia, ita hotu hotu bele hakerek…

Anónimo disse...

SENHOR BISPO LEIA E SEJA LEAL AOS VOTOS QUE ASSUMIU...

MENSAGEM DO SANTO PADRE JOÃO PAULO II
POR OCASIÃO DA DECLARAÇÃO DA INDEPENDÊNCIA DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR LESTE
Aos Administradores Apostólicos de Díli e Baucau,
meus Irmãos no Episcopado,
Às ilustres Autoridades,
Ao dilecto Povo Timorense,
Com uma solene Celebração Eucarística na presença do meu Enviado Extraordinário, o Arcebispo Renato Martino, quisestes dar graças a Deus pelo dom da liberdade e independência do vosso País.
Neste momento tão significativo da vossa história em que estais para entrar na categoria das Nações livres da terra, uno-me espiritualmente a todos vós para partilhar do vosso sentimento de regozijo e incitar-vos a edificar uma sociedade justa, livre, solidária e pacífica.
Chegou a hora da liberdade! Chegou o tempo da reconstrução! Para vós, amados timorenses, ressoam as palavras do apóstolo Paulo: «Foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não torneis a sujeitar-vos ao jugo da escravidão» (Gal 5, 1)! De facto, a liberdade tem de ser sempre defendida e preservada tanto daquilo que pode enclausurá-la, como das contrafacções que possam adulterar a sua autenticidade em prejuízo da pessoa humana e da sua dignidade. Por isso, permanece válida a exortação do apóstolo Pedro: «Comportai-vos como homens livres, não como aqueles que fazem da liberdade como que um véu para encobrir a malícia, mas como servos de Deus» (1 Ped 2, 16).
Esta Pátria, que Deus entrega nas vossas mãos diligentes, há-de apoiar-se sobre os valores imprescindíveis para a existência duma verdadeira democracia: respeito pela vida e por toda a pessoa; solidariedade efectiva entre os membros da comunidade; abertura ao contributo positivo de cada uma das suas categorias e de todos os seus membros, no respeito das diversas competências; atenção às necessidades reais das famílias e, de modo especial, dos jovens que são a promessa do futuro do recém-nascido País. Em tudo isto, os cristãos devem ser exemplares, até porque, como bem ensina a liturgia deste domingo de Pentecostes, eles receberam a força do Espírito Santo para se renovar a si próprios e ao mundo.
A todo o querido povo timorense, exprimo, pois, ardentes votos das maiores felicidades; em particular a Sua Excelência o Senhor Kay Rala Xanana Gusmão, Presidente eleito da República, àqueles que ocupam cargos institucionais, quer a nível nacional quer a nível local. Sobre eles, na verdade, recai mais directamente a responsabilidade de velar pelo correcto encaminhamento de todas as estruturas políticas e administrativas, consolidando a sua operacionalidade e funcionamento ao serviço duma sociedade onde todos possam ser artífices de um projecto comum.
Envio uma saudação fraterna e afectuosa aos Excelentíssimos e Reverendíssimos D. Carlos Filipe Ximenes Belo e D. Basílio do Nascimento, Administradores Apostólicos respectivamente de Díli e Baucau, encorajando-os a continuarem, através da sua palavra iluminada pela fé, do seu exemplo de vida e do seu testemunho constante de fidelidade ao Evangelho e generoso serviço pastoral, a ser pontos de segura referência e orientação. O meu encorajamento também aos sacerdotes, aos religiosos e religiosas, que actuam incansavelmente nas paróquias, nas escolas, nos postos médicos, para que possam continuar o seu precioso apostolado de evangelização e promoção, quer no seio das comunidades católicas, quer em benefício de toda a população timorense.
Enquanto concedo uma cordial Bênção Apostólica a todos vós, invoco, sobre as Autoridades da República Democrática de Timor Leste e quantos hão-de trabalhar para um futuro próspero e sereno, a assistência divina e a intercessão de Maria Imaculada, por vós invocada carinhosamente sob o título da «Virgem de Aitara».
Vaticano, 6 de Maio de 2002.
IOANNES PAULUS II

Traduções

Todas as traduções de inglês para português (e também de francês para português) são feitas pela Margarida, que conhecemos recentemente, mas que desde sempre nos ajuda.

Obrigado pela solidariedade, Margarida!

Mensagem inicial - 16 de Maio de 2006

"Apesar de frágil, Timor-Leste é uma jovem democracia em que acreditamos. É o país que escolhemos para viver e trabalhar. Desde dia 28 de Abril muito se tem dito sobre a situação em Timor-Leste. Boatos, rumores, alertas, declarações de países estrangeiros, inocentes ou não, têm servido para transmitir um clima de conflito e insegurança que não corresponde ao que vivemos. Vamos tentar transmitir o que se passa aqui. Não o que ouvimos dizer... "
 

Malai Azul. Lives in East Timor/Dili, speaks Portuguese and English.
This is my blogchalk: Timor, Timor-Leste, East Timor, Dili, Portuguese, English, Malai Azul, politica, situação, Xanana, Ramos-Horta, Alkatiri, Conflito, Crise, ISF, GNR, UNPOL, UNMIT, ONU, UN.